Jogadores batem recorde e pulverizam marcas de velocidade da Copa de 2014



Em oito anos, atletas mostram enorme evolução física e superam recordes de velocidade na Copa do Mundo (Foto: Montagem)

Não é exagero dizer que a velocidade da arrancada de Mbappé contra a Argentina, nas quartas de final da Copa do Mundo da Rússia, é algo que não aconteceria, por exemplo, na Copa de 2010, na África do Sul. Isso porque, de lá para cá, houve uma significativa evolução física dos jogadores, que chegaram a atingir mais de 32 km/h em 79 oportunidades, contra apenas uma há oito anos, segundo dados divulgados pela Fifa.

Desde a Copa da África a entidade máxima do futebol mundial passou a medir com precisão, por meio de câmeras, a atividade dos 22 jogadores em campo, incluindo suas velocidades. Naquela edição da competição, apenas um jogador atingiu mais de 32 km/h. O feito foi alcançado por Javier Hernández, do México, que registrou 32,15 km/h, contra o Uruguai, pela fase de grupos.

Quatro anos depois, no Brasil, a realidade começou a mudar. Ao todo, em 2014, 25 atletas ultrapassaram a barreira dos 32 km/h, que até então havia sido batida somente uma vez. E fizeram mais: nove deles passaram dos 33 km/h, sendo que Júnior Díaz, da Costa Rica, registrou 33,80 km/h contra a Grécia, nas oitavas de final. Número que passou a ser reconhecido como o recorde em Copas do Mundo e que dificilmente seria batido.

Mas não demorou muito para a marca ser quebrada na Copa de 2018. Logo no segundo dia de competição, Cristiano Ronaldo marcou três gols no empate em 3 a 3 com a Espanha e ainda registrou uma velocidade de 33,98 km/h, novo recorde da competição que, até aqui, teve 66 jogadores batendo os 32 km/h, sendo que 20 deles passando dos 33 km/h.

CR7, porém, não está mais absoluto com esse recorde, já que Ante Rebic, da Croácia, igualou a marca do atacante português no confronto contra a Dinamarca, pelas oitavas de final do torneio. Vale destacar que o croata também registrou outra marca acima dos 33 km/h, diante da Nigéria, ainda pela fase de grupos. Naquela ocasião ele cravou 33,30 km/h.

Como é possível observar abaixo, entre 2014 e 2018, triplicou o número de jogadores que bateram os 32 km/h. Enquanto isso, quadruplicou o número de atletas que ultrapassaram a marca de 33 km/h, fato que nem existia em 2010.

Número de jogadores que atingiram 32 km/h ou mais na Copa do Mundo

Copa de 2010 – 1 (Javier Hernández)
Copa de 2014 – 23
Copa de 2018 – 66

Número de jogadores que atingiram 33 km/h ou mais na Copa do Mundo

Copa de 2010 – 0
Copa de 2014 – 5
Copa de 2018 – 20

Veja na galeria abaixo os rankings de velocidade máxima da Copa de 2018 e de 2014



MaisRecentes

Corinthians x Cruzeiro registra a maior renda do Brasil em 2018; veja ranking



Continue Lendo

Rodada do Brasileirão-2018 tem maior público pagante desde a edição 2015



Continue Lendo

Destino antes incomum, Inglaterra passa a ser refúgio brasileiro na Europa



Continue Lendo