Jogadores batem recorde e pulverizam marcas de velocidade da Copa de 2014



Em oito anos, atletas mostram enorme evolução física e superam recordes de velocidade na Copa do Mundo (Foto: Montagem)

Não é exagero dizer que a velocidade da arrancada de Mbappé contra a Argentina, nas quartas de final da Copa do Mundo da Rússia, é algo que não aconteceria, por exemplo, na Copa de 2010, na África do Sul. Isso porque, de lá para cá, houve uma significativa evolução física dos jogadores, que chegaram a atingir mais de 32 km/h em 79 oportunidades, contra apenas uma há oito anos, segundo dados divulgados pela Fifa.

Desde a Copa da África a entidade máxima do futebol mundial passou a medir com precisão, por meio de câmeras, a atividade dos 22 jogadores em campo, incluindo suas velocidades. Naquela edição da competição, apenas um jogador atingiu mais de 32 km/h. O feito foi alcançado por Javier Hernández, do México, que registrou 32,15 km/h, contra o Uruguai, pela fase de grupos.

Quatro anos depois, no Brasil, a realidade começou a mudar. Ao todo, em 2014, 25 atletas ultrapassaram a barreira dos 32 km/h, que até então havia sido batida somente uma vez. E fizeram mais: nove deles passaram dos 33 km/h, sendo que Júnior Díaz, da Costa Rica, registrou 33,80 km/h contra a Grécia, nas oitavas de final. Número que passou a ser reconhecido como o recorde em Copas do Mundo e que dificilmente seria batido.

Mas não demorou muito para a marca ser quebrada na Copa de 2018. Logo no segundo dia de competição, Cristiano Ronaldo marcou três gols no empate em 3 a 3 com a Espanha e ainda registrou uma velocidade de 33,98 km/h, novo recorde da competição que, até aqui, teve 66 jogadores batendo os 32 km/h, sendo que 20 deles passando dos 33 km/h.

CR7, porém, não está mais absoluto com esse recorde, já que Ante Rebic, da Croácia, igualou a marca do atacante português no confronto contra a Dinamarca, pelas oitavas de final do torneio. Vale destacar que o croata também registrou outra marca acima dos 33 km/h, diante da Nigéria, ainda pela fase de grupos. Naquela ocasião ele cravou 33,30 km/h.

Como é possível observar abaixo, entre 2014 e 2018, triplicou o número de jogadores que bateram os 32 km/h. Enquanto isso, quadruplicou o número de atletas que ultrapassaram a marca de 33 km/h, fato que nem existia em 2010.

Número de jogadores que atingiram 32 km/h ou mais na Copa do Mundo

Copa de 2010 – 1 (Javier Hernández)
Copa de 2014 – 23
Copa de 2018 – 66

Número de jogadores que atingiram 33 km/h ou mais na Copa do Mundo

Copa de 2010 – 0
Copa de 2014 – 5
Copa de 2018 – 20

Veja na galeria abaixo os rankings de velocidade máxima da Copa de 2018 e de 2014



MaisRecentes

É possível admirar o estilo Fernando Diniz no São Paulo sem ser um Dinizete fanático



Continue Lendo

Corinthians vai de ‘melhor técnico do Brasil’ ao alto risco de eliminação no Paulista



Continue Lendo

Empolgação ou desonestidade? Estreia no Paulista pareceu rodada da Premier League



Continue Lendo