FPF fatura mais de R$ 3 milhões com bilheteria, sendo quase R$ 1 milhão com jogos do Palmeiras



FPF arrecadou mais com bilheteria dos jogos do que 18 clubes na Série A1 do Paulistão (Foto: Rodrigo Corsi/FPF)

FPF arrecadou mais com bilheteria dos jogos do que 13 clubes na Série A1 do Paulistão (Foto: Rodrigo Corsi/FPF)

O Campeonato Paulista finalmente terá sua primeira partida da decisão neste domingo. A competição, que tem sua existência contestada, é defendida com o argumento de que as bilheterias dos jogos permitem que os times menores consigam se manter durante o restante do ano, mas há mais gente rindo à toa com esses valores, além dos clubes grandes.

Em 118 jogos, somando Paulistão e Troféu do Interior, a Federação Paulista de Futebol já faturou mais de R$ 3 milhões com taxas sobre as rendas das partidas. O Palmeiras, sozinho, colaborou com quase R$ 1 milhão, valor que o Corinthians pode se aproximar com a final na Arena.

Quanto cada clube colaborou com a FPF em taxas na bilheteria

Quanto cada clube colaborou com a FPF em taxas na bilheteria

Com essa quantia arrecadada, a FPF supera a soma dos lucros com bilheteria de 13 clubes do campeonato, incluindo o Santos. Somente São Paulo, Corinthians e Palmeiras estão à frente da entidade.

Arrecadação da FPF em comparação com os clubes do Paulistão-2017

Arrecadação da FPF em comparação com o lucro dos clubes do Paulistão-2017

São duas as taxas que oneram os clubes e beneficiam a Federação em cada duelo. A primeira é fixa de 5% sobre a renda bruta, independentemente do mandante. A outra, cujo nome era Fundo de Manutenção e Modernização dos Estádios de Futebol do Estado de São Paulo, e passou a se chamar Fundo de Valorização e Desenvolvimento do Futebol Paulista, tira 2% da renda bruta quando os mandantes são Corinthians, Palmeiras, Santos ou São Paulo, e 1% quando o dono da casa não é um desses grandes citados.

Com essa taxação, que varia entre 6% e 7% por jogo, a Federação arrecadou R$ 3.004.075,61. Graças aos jogos dos clubes de maior expressão como visitantes, nenhum dos participantes desta edição terminará o campeonato com prejuízo (Confira o ranking na galeria abaixo). No entanto, dos 118 confrontos até aqui, 45 terminaram com renda líquida negativa, ou seja, a cada dez partidas neste Paulistão, aproximadamente quatro terminaram com mais despesas do que receitas.

No Troféu do Interior, competição criada para premiar o melhor time entre aqueles que não foram para o mata-mata e não foram rebaixados, todos os dez jogos disputados até aqui terminaram com prejuízo.

Em 2016, esse valor de R$ 3 milhões nem foi alcançado e vale lembrar que a competição do ano passado foi disputada por 20 clubes (40 jogos a mais no período), mas também é importante destacar que o Palmeiras ficou alguns jogos afastado do Allianz Parque e o São Paulo não tinha o Morumbi à sua disposição para mandar suas partidas. Por conta disso, adotou o Pacaembu e acabou com públicos pequenos, com consequentes prejuízos na bilheteria.

A renda bruta total da competição deste ano, inclusive, já superou a do ano passado, antes mesmo das duas partidas da decisão. Enquanto em 2016 o total foi de R$ 43.079.201,94 (158 jogos), em 2017 já são R$ 44.437.475,24 (118 jogos). O valor deve ficar maior após o confronto entre Corinthians x Ponte Preta, na Arena.



MaisRecentes

É possível admirar o estilo Fernando Diniz no São Paulo sem ser um Dinizete fanático



Continue Lendo

Corinthians vai de ‘melhor técnico do Brasil’ ao alto risco de eliminação no Paulista



Continue Lendo

Empolgação ou desonestidade? Estreia no Paulista pareceu rodada da Premier League



Continue Lendo