FPF fatura mais de R$ 3 milhões com bilheteria, sendo quase R$ 1 milhão com jogos do Palmeiras



FPF arrecadou mais com bilheteria dos jogos do que 18 clubes na Série A1 do Paulistão (Foto: Rodrigo Corsi/FPF)

FPF arrecadou mais com bilheteria dos jogos do que 13 clubes na Série A1 do Paulistão (Foto: Rodrigo Corsi/FPF)

O Campeonato Paulista finalmente terá sua primeira partida da decisão neste domingo. A competição, que tem sua existência contestada, é defendida com o argumento de que as bilheterias dos jogos permitem que os times menores consigam se manter durante o restante do ano, mas há mais gente rindo à toa com esses valores, além dos clubes grandes.

Em 118 jogos, somando Paulistão e Troféu do Interior, a Federação Paulista de Futebol já faturou mais de R$ 3 milhões com taxas sobre as rendas das partidas. O Palmeiras, sozinho, colaborou com quase R$ 1 milhão, valor que o Corinthians pode se aproximar com a final na Arena.

Quanto cada clube colaborou com a FPF em taxas na bilheteria

Quanto cada clube colaborou com a FPF em taxas na bilheteria

Com essa quantia arrecadada, a FPF supera a soma dos lucros com bilheteria de 13 clubes do campeonato, incluindo o Santos. Somente São Paulo, Corinthians e Palmeiras estão à frente da entidade.

Arrecadação da FPF em comparação com os clubes do Paulistão-2017

Arrecadação da FPF em comparação com o lucro dos clubes do Paulistão-2017

São duas as taxas que oneram os clubes e beneficiam a Federação em cada duelo. A primeira é fixa de 5% sobre a renda bruta, independentemente do mandante. A outra, cujo nome era Fundo de Manutenção e Modernização dos Estádios de Futebol do Estado de São Paulo, e passou a se chamar Fundo de Valorização e Desenvolvimento do Futebol Paulista, tira 2% da renda bruta quando os mandantes são Corinthians, Palmeiras, Santos ou São Paulo, e 1% quando o dono da casa não é um desses grandes citados.

Com essa taxação, que varia entre 6% e 7% por jogo, a Federação arrecadou R$ 3.004.075,61. Graças aos jogos dos clubes de maior expressão como visitantes, nenhum dos participantes desta edição terminará o campeonato com prejuízo (Confira o ranking na galeria abaixo). No entanto, dos 118 confrontos até aqui, 45 terminaram com renda líquida negativa, ou seja, a cada dez partidas neste Paulistão, aproximadamente quatro terminaram com mais despesas do que receitas.

No Troféu do Interior, competição criada para premiar o melhor time entre aqueles que não foram para o mata-mata e não foram rebaixados, todos os dez jogos disputados até aqui terminaram com prejuízo.

Em 2016, esse valor de R$ 3 milhões nem foi alcançado e vale lembrar que a competição do ano passado foi disputada por 20 clubes (40 jogos a mais no período), mas também é importante destacar que o Palmeiras ficou alguns jogos afastado do Allianz Parque e o São Paulo não tinha o Morumbi à sua disposição para mandar suas partidas. Por conta disso, adotou o Pacaembu e acabou com públicos pequenos, com consequentes prejuízos na bilheteria.

A renda bruta total da competição deste ano, inclusive, já superou a do ano passado, antes mesmo das duas partidas da decisão. Enquanto em 2016 o total foi de R$ 43.079.201,94 (158 jogos), em 2017 já são R$ 44.437.475,24 (118 jogos). O valor deve ficar maior após o confronto entre Corinthians x Ponte Preta, na Arena.



  • Rogerio Vanadia

    Olha esse $$ é distribuidos apra os dirigentes da FPF que são dos clubes, por isso ninguem reclama, deveria pagar apenas 1% de taxa nada mais mas….

  • MAIS RICO DAS AMÉRICAS

    O Todo Poderoso das Américas sustenta o futebol paulista sozinho.

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Paulo

    Claro o Santos sempre jogando na Vila Cu dá nisso mesmo, se levasse metade dos jogos pro Pacaembu estaria com 3 ou 4 milhões arrecadados.

  • P@lmeir@s

    P@lmeir@s 💰🏠⚽

MaisRecentes

Neymar e Lucas disputam a artilharia entre brasileiros da elite europeia



Continue Lendo

Público do Santos no Paca só perde para o do Palmeiras no Allianz; Na Vila é quatro vezes menor



Continue Lendo