Empolgação ou desonestidade? Estreia no Paulista pareceu rodada da Premier League



O Corinthians venceu o Botafogo-SP por 4 a 1 na estreia do Paulistão-2019 (Foto: Ricardo Moreira/Fotoarena)

Quem acessou as redes sociais (especialmente o Twitter) nos últimos dias após a 1ª rodada do Campeonato Paulista certamente ficou confuso. Nesse caso estamos falando daqueles que não sabiam dos jogos e/ou de quem usa mais razão do que a emoção, já que a outra parte sabia exatamente o que estava acontecendo e fazendo. E desse grupo podemos fazer uma divisão em dois: os empolgados e os desonestos. A verdade é que parecíamos ter presenciado duelos da Premier League e não de um torneio estadual.

Dos quatro grandes do estado, apenas o Santos não venceu. Empate em 0 a 0 com o Red Bull Bragantino, que deve fazer frente aos outros gigantes ao longo da competição. Pouco pôde se tirar do estilo de Jesualdo Ferreira, ou compará-lo com Jorge Sampaoli. É outro trabalho, um elenco modificado e que vai demandar tempo para entregar algo mais concreto. Nas redes, somente torcedores santistas fizeram suas análises, uma mistura de ponderação com desespero, natural de quem torce e não é pago para analisar.

O primeiro dos grandes a jogar foi o Palmeiras, na reestreia de Vanderlei Luxemburgo em um jogo oficial pelo clube. E o primeiro tempo do time fez parecer que ainda estávamos em 2019. Falta de mobilidade, falta de repertório, morosidade, acomodação e bola no Dudu. Esse foi o resumo da metade inicial. No entanto, com a entrada de Gabriel Verón no lugar de Raphael Veiga as coisas mudaram, o primeiro gol saiu, a equipe se soltou e os outros três belos gols aconteceram de forma natural. Não foi brilhante, mas suficiente para o cartão de visitas.

Nas redes, a desconfiança e a cornetagem palmeirense de sempre, temerosa por tragédias e cautelosa na empolgação. Nas análises, a tradicional perseguição ao trabalho de Luxa, e a vontade de falar que está tudo errado e antiquado. Dessa vez não deu, mas essa busca continua nas próximas semanas, assim como a certeza de que em três partidas Felipe Melo não serve para ser zagueiro. Eles sabem tudo.

Depois estreou o São Paulo, que por alguns momentos quase sofreu um gol antes mesmo de ameaçar o adversário, um filme já visto no ano passado. Passado o susto, o time realmente melhorou, abriu o placar e ampliou com um bonito gol coletivo, mas, ao meu ver, uma atuação nada especial, principalmente por ser um rival frágil como o Água Santa, que deve brigar para não cair.

O amplo domínio de jogo e de posse era quase obrigação. No entanto, nas redes, os fãs de Diniz ficaram em polvorosa (torcedores e jornalistas), além daquela famosa empolgação são-paulina que todo ano aparece nessas horas. Se não aprenderam antes, não vão aprender agora. O Tricolor jogou bem em comparação ao ano passado e só, qualquer coisa além disso é oportunismo, empolgação ou desonestidade.

Por fim, a estreia do Corinthians e essa realmente pareceu uma partida de Premier League entre torcedores e jornalistas que se manifestaram no Twitter. Mais uma vez, jogo em que o adversário do grande era muito frágil, com limitações em todos os setores. E o Timão se aproveitou disso, impôs seu novo estilo comandado por Tiago Nunes, pressionou e abriu 1 a 0 no primeiro tempo, parecia pouco.

E foi pouco, pois no segundo tempo o abismo técnico entre as equipes foi monstruoso, o cenário indicava uma enorme goleada e após a expulsão de Reginaldo, do Botinha, mais três bolas na rede completaram o placar de 4 a 1. Foi uma boa estreia, uma boa forma de começar o ano, mas não para tanta empolgação. Se com Luxemburgo a torcida é por dar errado, com Nunes a vontade é que ele dê certo para que os “Zé Tática” confirmem suas teorias de que o novo é melhor do que o velho, eles estão certos e outros são ignorantes.

As análises feitas por alguns colegas, com exceção daqueles que atuam em mídia nichada para determinados clubes, parecem excluir completamente o cenário de um estadual em que os adversários são cada vez mais limitados. Isso não é informar, isso é desinformar o público, que certamente vai utilizar essas teses para, de forma errada, discutir com os amigos e espalhar um material feito de forma desonesta e que busca mostrar uma realidade que não existe. É primeira rodada, gente, primeira rodada do PAULISTÃO, P-A-U-L-I-S-T-Ã-O. Se começou assim, imaginem daqui para frente. Que saudades do Brasileirão, quando a ilusão vai embora e mundo real aparece.



MaisRecentes

É possível admirar o estilo Fernando Diniz no São Paulo sem ser um Dinizete fanático



Continue Lendo

Corinthians vai de ‘melhor técnico do Brasil’ ao alto risco de eliminação no Paulista



Continue Lendo

Venha sem preconceitos, pois precisamos falar da fase de Felipe Melo no Palmeiras



Continue Lendo