Em duelo de semelhantes, Santos optou por mudar seu estilo no primeiro jogo da final



Primeiro duelo da decisão entre Osasco Audax e Santos foi marcado pelo equilíbrio (Foto: Ivan Storti/Lancepress)

Primeiro duelo da decisão entre Osasco Audax e Santos foi marcado pelo equilíbrio (Foto: Ivan Storti/Lancepress)

O primeiro duelo da semifinal do Paulistão 2016, como era de se esperar, mostrou equilíbrio entre as forças que brigam pelo título. Na primeira etapa, o Santos conseguiu superioridade, mas apenas no domínio do jogo, sem concretizá-lo em gols.

Já o Osasco Audax, que foi praticamente neutralizado antes do intervalo, mudou o cenário no segundo tempo, foi melhor do que o adversário e abriu o placar. É verdade também que o Peixe alcançou o empate antes do apito final, corroborando com o equilíbrio inicialmente previsto.

No entanto, apenas um dos times que estiveram em campo teve que mudar seu estilo de jogo. Antes de a bola começar a rolar, muito se falou, inclusive aqui, sobre a semelhança existente entre os jeitos de jogar dos finalistas e a expectativa era em cima das artimanhas que os dois comandantes achariam para obter vantagem no confronto.

Pelo que se viu, quem teve de abrir mão de suas características foi o Santos, que deixou de trocar passes como vem fazendo desde que Dorival assumiu o time e acabou por abusar do números de lançamentos e bolas longas, o que foge de seu padrão. Veja a comparação no gráfico abaixo:

Gráfico mostra a mudança nas características de jogo do Santos contra o Audax. (Fonte: Footstats)

Gráfico mostra a mudança nas características de jogo do Santos contra o Audax. (Fonte: Footstats)

Essa estratégia foi tomada com o objetivo de não arriscar e se proteger da pressão do Audax que, por sua vez, não abriu mão de seu padrão, pelo contrário, manteve sua postura do início ao fim, tendo como mudança a abertura de espaços na defesa santista por meio de viradas de jogo no segundo tempo . Observe nos gráficos:

Gráfico destaca a manutenção do padrão de jogo do Audax na final e durante o campeonato (Fonte: Footstats)

Gráfico destaca a manutenção do padrão de jogo do Audax na final e durante o campeonato (Fonte: Footstats)

Caminhos encontrado pelo Audax no segundo tempo, foi inverter as jogadas (Fonte: Footstats)

Caminho encontrado pelo Audax no segundo tempo foi investir nas viradas de jogo (Fonte: Footstats)

Para o jogo na Vila, a expectativa é de que o Santos não se comporte da mesma forma e invoque suas ofensivas atuações jogando em casa, onde não perde há quase um ano. Já a equipe de Osasco deve optar pela manutenção de jogo, ingredientes que fazem da segunda partida da final mais um momento surpreendente do futebol.



  • Ganesh

    ?????????????// Não entendi nada.

  • paulo rodrigues

    Nem eu kkkkkk… Só sei que foi um bom jogos de assistir. Pena que o campo prejudicou o espetáculo, aquilo é um PASTO… Já a Vila tem gramado de 1º mundo mas o estádio é PEQUENO e achei SACANAGEM do SANTÁSTICO mandar a final em Santos, o ideal seria no Pacaembu… SANNNNNTOOOOOOS, SANNNNNNNTOOOOOS, SANNNNTOOOOOS… Pra cima deles…

  • Shaolin

    O peixe tem q ficar esperto com a arbitragem, pois foi prejudicado com 1 penalti não marcado contra os porcos e 2 no domingo contra o Audax. Tão de sacanagem com o peixe, abre o olho.

MaisRecentes

Flamengo, Corinthians e Botafogo dominam a Seleção da 9ª Rodada do Brasileirão-2017



Continue Lendo

Luan, Botafogo, Cruzeiro e Palmeiras se destacam na 8ª Rodada do Brasileirão-2017



Continue Lendo