Defesa do Palmeiras se mostra vulnerável e números da temporada preocupam



Na última quarta-feira o Palmeiras amargou a sua segunda eliminação da temporada. Dessa vez na Copa do Brasil. A classificação estava garantida até os 39 minutos do segundo tempo, quando Diogo Barbosa empatou para o Cruzeiro em uma falha da defesa do Verdão, fato que tem sido corriqueiro na temporada, mas principalmente nos últimos jogos.

Em 2017, os palmeirenses levaram 46 gols em 43 partidas, média de 1,07 por duelo. Em outras palavras, na frieza das estatísticas, o time é vazado pelo menos uma vez em cada oportunidade que entra em campo. No entanto, até o momento, o Palmeiras ficou 14 jogos sem levar gol, isso significa que o time levou pelo menos um tento em quase 70% dos confrontos. (Veja na galeria acima os jogos em que o Palmeiras não levou gol sob o comando de Cuca)

 

Comparação da defesa do Palmeiras em 2016 com 2017

Comparação da defesa do Palmeiras em 2016 com 2017

Se contarmos apenas a gestão Cuca neste ano, essa porcentagem aumenta para quase 75%, ou seja, a cada quatro partidas com o treinador campeão brasileiro de 2016, em apenas uma o Verdão não é vazado. Números que prejudicam muito em um campeonato por pontos corridos, mas são praticamente fatais no mata-mata, como foi na Copa do Brasil.

Para se ter uma ideia, a vitória por 2 a 0 sobre o Sport, na Arena Pernambuco, foi a primeira partida fora de casa, sob o comando de Cuca, em que a equipe não levou gol. Com Eduardo Baptista não foi diferente, a única vez em que o time saiu sem ser vazado como visitante foi contra o Linense, 4 a 0, no Paulistão. Dos 23 jogos longe de seus domínios, apenas em dois deles o Verdão saiu de campo sem ver sua rede balançada.

Números da defesa do Palmeiras com Eduardo Baptista e com Cuca

Números da defesa do Palmeiras com Eduardo Baptista e com Cuca

Esses dados pioraram, e muito, justamente a partir do jogo de ida das quartas de final da mesma Copa do Brasil, quando os palmeirenses viraram o primeiro tempo perdendo por 3 a 0 para o Cruzeiro e tiveram de correr atrás do placar para heroicamente empatar em 3 a 3, no Allianz Parque.

O caldo já não estava dando liga e passou a desandar de vez. Nos últimos nove jogos, sendo o primeiro da série o 3 a 3 com o Cruzeiro, o Verdão levou 14 gols, média de 1,55 por partida. Outro número que chama a atenção nesses confrontos mais recentes é a relação entre finalizações certas na meta palmeirense e as bolas que balançaram a rede. Em linhas gerais, a cada 2,2 chutes certos, um entra no gol Alviverde.

Queda brusca de rendimento da defesa em dois períodos da gestão Cuca no Palmeiras em 2017

Queda brusca de rendimento da defesa em dois períodos da gestão Cuca no Palmeiras em 2017 (Fonte: Footstats)

Dessas nove partidas, o Palmeiras só saiu de campo sem ser vazado em duas. Contra os reservas do Grêmio, no Pacaembu, e contra o Sport, na Arena Pernambuco, ambas pelo Brasileirão. Nas três partidas de mata-mata no período (Cruzeiro, Barcelona-EQU e Cruzeiro) o Verdão sofreu gols. Preocupante para um time que precisa reverter a vantagem de 1 a 0 que o time equatoriano construiu na partida de ida das oitavas de final da Copa Libertadores, já que se levar um gol, terá de fazer três para se classificar.

Relação entre gols sofridos e finalizações certas sofridas sob o comando de Cuca em 2017 (Fonte: Footstats)

Relação entre gols sofridos e finalizações certas sofridas sob o comando de Cuca em 2017 (Fonte: Footstats)

Se a defesa sólida e difícil de ser batida foi um trunfo na conquista do Campeonato Brasileiro do ano passado, neste ano é um problema crônico a ser resolvido por Cuca até o dia 9 de agosto, quando o Palmeiras definirá se 2017 terá continuidade ou se já começará a preparação para 2018.



MaisRecentes

Brasileirão-2018: a edição de poucos gols, bom público e dos visitantes fracos



Continue Lendo

Chapecoense bate o Inter e se destaca na Seleção da 25ª Rodada do Brasileirão-2018



Continue Lendo

Palmeiras x Corinthians foi o jogo mais ‘caro’ do Brasileirão-2018; veja a lista



Continue Lendo