No Brasileirão, Palmeiras lucra por jogo mais do que o Santos faturou em 19 partidas



Palmeiras lidera o ranking de renda líquida do Brasileirão-2018 e lucra mais de R$ 1 milhão por jogo (Foto: Flickr Palmeiras)

Com mais um título nacional para a conta, o Palmeiras vai sedimentando seu espaço como o clube que está alguns passos à frente dos rivais, dentro e fora de campo, seja na estrutura, seja nas finanças, seja na capacidade de montar elencos, seja na fidelidade dos torcedores. O Brasileirão é um grande exemplo disso. Além da liderança na classificação e a conquista antecipada, o Verdão sobra quando o assunto é renda. Para se ter uma ideia, o lucro por jogo com bilheteria é maior do que o lucro total arrecadado pelo Santos em 19 partidas em casa.

A comparação com o Peixe é uma coincidência que calhou de ser o exemplo ‘perfeito’ para mostrar a disparidade entre dois clubes grandes, rivais, que disputam o mesmo campeonato, e brigaram por títulos recentemente, mas estão passando por fases opostas, e se distanciam demais no faturamento com seus estádios.

Ao todo, o Palmeiras teve um lucro de R$ 21.274.913,12 em 18 jogos como mandante, que se dividiram entre Pacaembu e Allianz Parque. Em média, cada confronto rendeu aos cofres palmeirenses R$ 1.181.932,62. Esse valor é maior do que a renda líquida total do Santos somadas as suas 19 partidas em casa, divididas entre Vila Belmiro e Pacaembu: R$ 1.070.364,67. Vale destacar que os santistas tiveram sete duelos com prejuízo na bilheteria.

A média do Verdão supera também o lucro total do Vasco (R$ 921.456,78), que só não tem prejuízo por conta da venda de dois jogos no Mané Garrincha no valor de R$ 950 mil, e do Vitória (R$ 518.631,24), além de América-MG, Fluminense e Botafogo, que têm renda líquida negativa como mandantes.

Fato é que cada jogo em que o Palmeiras é mandante, mais de R$ 1 milhão vai para a conta do clube, o que dá uma vantagem enorme em relação aos concorrentes. O Flamengo, por exemplo, precisaria de seis partidas para igualar valor arrecadado em um mando do Alviverde, Internacional e Grêmio necessitariam do lucro de dois jogos em seus estádios, e o Cruzeiro dez. Somente São Paulo e Corinthians chegam perto do rival, sendo que os valores arrecadados pelo Timão na Arena são destinados diretamente ao fundo criado para o pagamento do estádio.

Todos os valores têm como fonte os borderôs dos jogos do Brasileirão divulgados no site da CBF. São consideradas as rendas líquidas da partida, ou seja, a subtração da despesa total pela renda bruta do duelo. O mesmo critério é utilizado para calcular a arrecadação dos 20 clubes.

Confira os rankings na tabela abaixo:



MaisRecentes

Fair play financeiro? Palmeiras domina arrecadação do Brasileirão-2018



Continue Lendo

Palmeiras e Rojas fecham Brasileirão no topo da lista de amarelos por reclamação



Continue Lendo

No Brasileirão-2018, 67% dos jogos no Rio de Janeiro tiveram prejuízo com bilheteria



Continue Lendo