No Brasileirão, Palmeiras lucra por jogo mais do que o Santos faturou em 19 partidas



Palmeiras lidera o ranking de renda líquida do Brasileirão-2018 e lucra mais de R$ 1 milhão por jogo (Foto: Flickr Palmeiras)

Com mais um título nacional para a conta, o Palmeiras vai sedimentando seu espaço como o clube que está alguns passos à frente dos rivais, dentro e fora de campo, seja na estrutura, seja nas finanças, seja na capacidade de montar elencos, seja na fidelidade dos torcedores. O Brasileirão é um grande exemplo disso. Além da liderança na classificação e a conquista antecipada, o Verdão sobra quando o assunto é renda. Para se ter uma ideia, o lucro por jogo com bilheteria é maior do que o lucro total arrecadado pelo Santos em 19 partidas em casa.

A comparação com o Peixe é uma coincidência que calhou de ser o exemplo ‘perfeito’ para mostrar a disparidade entre dois clubes grandes, rivais, que disputam o mesmo campeonato, e brigaram por títulos recentemente, mas estão passando por fases opostas, e se distanciam demais no faturamento com seus estádios.

Ao todo, o Palmeiras teve um lucro de R$ 21.274.913,12 em 18 jogos como mandante, que se dividiram entre Pacaembu e Allianz Parque. Em média, cada confronto rendeu aos cofres palmeirenses R$ 1.181.932,62. Esse valor é maior do que a renda líquida total do Santos somadas as suas 19 partidas em casa, divididas entre Vila Belmiro e Pacaembu: R$ 1.070.364,67. Vale destacar que os santistas tiveram sete duelos com prejuízo na bilheteria.

A média do Verdão supera também o lucro total do Vasco (R$ 921.456,78), que só não tem prejuízo por conta da venda de dois jogos no Mané Garrincha no valor de R$ 950 mil, e do Vitória (R$ 518.631,24), além de América-MG, Fluminense e Botafogo, que têm renda líquida negativa como mandantes.

Fato é que cada jogo em que o Palmeiras é mandante, mais de R$ 1 milhão vai para a conta do clube, o que dá uma vantagem enorme em relação aos concorrentes. O Flamengo, por exemplo, precisaria de seis partidas para igualar valor arrecadado em um mando do Alviverde, Internacional e Grêmio necessitariam do lucro de dois jogos em seus estádios, e o Cruzeiro dez. Somente São Paulo e Corinthians chegam perto do rival, sendo que os valores arrecadados pelo Timão na Arena são destinados diretamente ao fundo criado para o pagamento do estádio.

Todos os valores têm como fonte os borderôs dos jogos do Brasileirão divulgados no site da CBF. São consideradas as rendas líquidas da partida, ou seja, a subtração da despesa total pela renda bruta do duelo. O mesmo critério é utilizado para calcular a arrecadação dos 20 clubes.

Confira os rankings na tabela abaixo:



MaisRecentes

Empolgação ou desonestidade? Estreia no Paulista pareceu rodada da Premier League



Continue Lendo

Venha sem preconceitos, pois precisamos falar da fase de Felipe Melo no Palmeiras



Continue Lendo

No futebol nossa torcida é mais contra ou a favor? Até que ponto a paixão nos cega?



Continue Lendo