Brasileirão-2018: a edição de poucos gols, bom público e dos visitantes fracos



Diante de bom público na Vila Belmiro, Santos e São Paulo empataram sem gols no Brasileirão-2018 (Foto; Ivan Storti/Santos)

Embora a disputa pelas primeiras posições do Brasileirão-2018 esteja bastante equilibrada, diferentemente de edições anteriores, a verdade é que a qualidade do jogo está longe de ser boa, principalmente quando notamos a baixa quantidade de gols que, do jeito que está, baterá recordes na era dos pontos corridos, bem como a situação dos visitantes, que nunca foram tão ineficientes de 2003 para cá. Mas nem tudo é ruim, uma vez que a média de público desta edição é a maior do período.

Após o término da 25ª Rodada da competição, a média de gols se estabeleceu em 2,16 tentos por partida. Um número assustadoramente baixo, se comparado com o mesmo momento nas edições anteriores. Até então, a média mais baixa em 25 rodadas havia sido registrada em 2014, com 2,2 gols por jogo. Naquele ano o Brasileirão terminou com o pior índice da era dos pontos corridos, posto ameaçado justamente pelo campeonato de 2018.

Média de Gols do Brasileirão na Era dos Pontos Corridos (clique para ampliar)

Ao todo, neste ano, 12 rodadas terminaram com menos de 20 gols marcados. Em 2014, para se ter uma ideia, isso aconteceu nove vezes após as 38 rodadas e, há algumas semanas, ostentava o título da edição que mais registrou essa situação desde 2006, quando o campeonato passou a ser disputado por 20 clubes.

Rodadas com menos de 20 gols desde 2006 (clique para ampliar)

Mas não é só. Outro fator que chama bastante a atenção pelo lado ruim é o baixo aproveitamento dos visitantes. Apenas 16,87% das partidas são vencidas por quem joga fora de casa. É o mais baixo índice desde 2003, ou seja, novamente um recorde negativo na era dos pontos corridos registrado na edição 2018.

Percentual de Vitórias de Visitantes na Era dos Pontos Corridos (clique para ampliar)

Ainda que não explique esse baixo desempenho dos visitantes, é possível analisar que, se comparado com as edições anteriores, o percentual de vitórias dos mandantes é o segundo maior do período: 53,82% das partidas são vencidas por quem joga em casa. Assim como o índice de empates, que também é o segundo maior da era dos pontos corridos: 29,32% dos duelos terminaram empatados.

Percentual de Vitórias de Mandantes na Era dos Pontos Corridos (clique para ampliar)

 

Percentual de Empates da Era dos Pontos Corridos (clique para ampliar)

Nem tudo está perdido, porém, já que a edição atual tem registrado uma boa média de público pagante até aqui. O índice em 25 rodadas (18.211 pagantes por jogo) é superior ao do campeonato de 2009, quando houve a maior média de público pagante da era dos pontos corridos (17.807 pagantes por jogo).

Média de Público Pagante na Era dos Pontos Corridos (clique para ampliar)

Até aqui, apenas três rodadas tiveram menos de 150 mil pagantes: a primeira, a sétima e a 15ª. Já as rodadas com mais de 200 mil pagantes, fato raro, aconteceram sete vezes neste edição. Para efeito de comparação, entre 2012 e 2017, apenas 18 rodadas registraram público pagante maior do que 200 mil.

Número de Rodadas com mais de 200 mil pagantes desde 2012 (clique para ampliar)

Outro dado interessante para comparar é o de público pagante total em 2018 (4.534.568), com 25 rodadas, que já está quase maior do que o público pagante total de 2012 (4.949.298) após as 38 rodadas. É provável que, diante da média da competição, na 28ª os números já ultrapassem os 5 milhões de pagantes.

Brasileirão-2012 – 4.949.298 de pagantes
Brasileirão-2013 – 5.683.304 de pagantes
Brasileirão-2014 – 6.207.094 de pagantes
Brasileirão-2015 – 6.377.648 de pagantes
Brasileirão-2016 – 5.755.596 de pagantes
Brasileirão-2017 – 6.021.967 de pagantes
Brasileirão-2018 – 4.534.568 de pagantes



MaisRecentes

Corinthians x Cruzeiro registra a maior renda do Brasil em 2018; veja ranking



Continue Lendo

Rodada do Brasileirão-2018 tem maior público pagante desde a edição 2015



Continue Lendo

Destino antes incomum, Inglaterra passa a ser refúgio brasileiro na Europa



Continue Lendo