Bola no pé e vaga na mão: Audax triunfa com seu estilo e tendência é seguida no Paulistão



Jogadores do Audax comemoram vitória sobre o Palmeiras no Paulistão deste ano

Jogadores do Audax comemoram vitória sobre o Palmeiras no Paulistão deste ano (Foto: Eduardo Viana/Lancepress!)

Com as exceções de Corinthians e Santos, que mantiveram suas estabilidades durante toda a competição, os outros seis times classificados para as quartas de final do Paulistão tiveram um campeonato marcado por altos e baixos.

Há quem diga que o São Bento também poderia figurar entre aqueles que foram constantes durante as 15 rodadas por conta de ter sido derrotado apenas duas vezes e estar invicto contra os grandes, no entanto quando retomamos a série de jogos sem perder da equipe de Sorocaba no meio do campeonato, constatamos que nem sempre a classificação foi um sonho tão possível quanto foi desde o início para Timão e Peixe.

Nesse mar de perfis heterogêneos que trouxe um enorme equilíbrio ao campeonato e suspense para a reta final, podemos fazer o diagnóstico de uma particularidade apresentada por sete dos oito classificados para a próxima fase. Explica-se: Eles estão entre os dez times que registraram as melhores médias de passe certos da competição. O São Bento é único que não esteve entre os melhores no quesito.

Houve também aqueles que não estão nas quartas, mas tiveram boas médias de passes e marcaram presença no Top 10. É o caso da Ferroviária, que teve ótimo início e acabou perdendo fôlego, do Novorizontino, que ficou muito próximo de garantir uma das vagas, e do Rio Claro, que acabou rebaixado e amargando a lanterna da tabela geral. Veja no gráfico a seguir a posição e a média de passes certos por partida:

Gráfico mostra o ranking das equipes com as melhores médias de passes certos no Paulistão 2016 (Fonte: Footstats)

Gráfico mostra o ranking das equipes com as melhores médias de passes certos no Paulistão 2016 (Fonte: Footstats)

Interessante notar que o gosto pela posse de bola e pelo controle do jogo, além do cuidado em tentar não errar passes, fundamento básico do esporte, não se limita apenas aos times grandes, de maior investimento. O Osasco Audax, que executa o estilo com excelência, é um desses exemplos. Os efeitos disso já são vistos nos resultados.

No terceiro ano de Série A1, o clube chegou pela primeira vez à segunda fase mantendo sua filosofia e observando que a tendência de seus concorrentes tem sido exatamente uma versão daquilo que tem produzido nas últimas três edições do campeonato.

Apesar de o equilíbrio do Paulistão ser proveniente de um nivelamento por baixo, premiando, na grande maioria das vezes, aqueles que perderam menos pontos, é bom o sinal de que a maioria daqueles que permaneceram na disputa pelo título tende a seguir o apreço pela qualidade do jogo e pela sua construção. Faz bem ao campeonato e, principalmente, ao torcedor.



MaisRecentes

Neymar e Lucas disputam a artilharia entre brasileiros da elite europeia



Continue Lendo

Público do Santos no Paca só perde para o do Palmeiras no Allianz; Na Vila é quatro vezes menor



Continue Lendo