Real Madrid atinge a maior receita de sua história



O supercampeão Real Madrid apresentou recentemente seu balanço patrimonial referente à temporada 2016-17 e os resultados foram extremamente positivos.

O clube encerrou a temporada passada com receitas de 675 milhões de euros, frente aos 620 milhões de euros de 2016, um crescimento de quase 9%.

Se considerados os valores produzidos com as vendas de jogadores, a movimentação financeira do Real atingiu incríveis 726 milhões de euros, frente aos 622 milhões de euros do ano anterior.

O faturamento do Real é o maior de sua história e foi muito influenciado pela temporada extremamente positiva em campo, com conquista do seu 12º título europeu.

As receitas que mais cresceram em 2017 foram os ganhos de marketing com aumento de 20% e a exploração de seu estádio com incremento de 8%.

As receitas com TV ficaram no mesmo patamar do ano anterior, quando o time de Madrid também se sagrou campeão da Champions.

As receitas de marketing atingiram 254 milhões de euros e a exploração do estádio Santiago Bernabéu outros 166 milhões de euros.

As vendas antecipadas das cadeiras movimentaram 50 milhões de euros. O clube faz outros 25 milhões de euros explorando suas instalações e 25 milhões de euros com vendas em lojas em seu estádio.

Os valores com direitos de TV atingiram 165 milhões de euros e somados aos valores recebidos da UEFA atingiram 251 milhões de euros.  O título da Champions garantiu 86 milhões de euros.

Gastos salariais dispararam

Um dado que chamou a atenção foi o crescimento de seus gastos salariais.

Em 2017 os salários do clube atingiram 406 milhões de euros, frente aos 307 milhões de 2016. Isso representa um aumento de 32% em relação à temporada anterior.

Os gastos salariais com o futebol atingiram 377 milhões de euros no ano passado e outros 29 milhões foram gastos com o time de basquete. Atualmente os gastos salariais representam 60% de suas receitas, frente aos 50% de 2016.

Solidez financeira é uma realidade

O clube merengue mesmo gastando mais que em anos anteriores mostra uma solidez financeira em seus números. O Real encerrou a temporada 2016-17 com lucro líquido de 21 milhões de euros frente aos 30 milhões de euros de 2016.

Nos últimos seis anos o Real Madrid acumulou lucro líquido de impressionantes 222 milhões de euros, mesmo tendo investido mais de 600 milhões de euros em contratações.

Nos últimos nove anos foram mais de 900 milhões de euros em contratações.

O patrimônio líquido do clube atingiu 464 milhões de euros em 2017, frente aos 270 milhões de euros de 2012. Em seis anos o patrimônio líquido do clube cresceu 72%.

Isso significa que quanto mais o clube faturou e gastou em salários e contratações, mas se fortaleceu financeiramente.

Realidade do Real é o oposto dos times do Brasil

Essa realidade é o oposto do verificado no mercado brasileiro, já que aqui quanto mais os clubes faturam e gastam, mas ampliam seus déficits e suas dívidas.

A gestão do Real Madrid deveria servir de modelo para os nossos clubes, que a cada dia estão mais distantes das receitas e solidez financeira do gigante espanhol.

No Brasil infelizmente temos clubes perdidos em termos administrativos, com gestões totalmente ineficazes e alavancadas.

O Real vive o ciclo virtuosos de geração de receitas, cujo aumento do investimento é financiado pelo crescimento constante das receitas.

No Brasil infelizmente vivemos um ciclo vicioso, já que os investimentos não são financiados pelo crescimento constante de faturamento, impossibilitando que os clubes evoluam financeiramente.

Nossos clubes são administrados de forma completamente ineficiente e irresponsável.

Por isso nossos times estão estrangulados financeiramente, por pura ineficiência em suas gestões.



MaisRecentes

Chapecoense, a grande vitoriosa de 2017



Continue Lendo

Premiação da Série A representa menos de 10% da receita da CBF



Continue Lendo

Gestão do Flamengo na marca do pênalti



Continue Lendo