Finanças dos finalistas da Copa do Brasil



A final da Copa do Brasil entre Atlético-MG e Grêmio coloca frente a frente dois clubes com finanças bem complicadas. Grandes dívidas e acúmulo de pesados déficits são a realidade de ambos.

Os finalistas não conseguiram até hoje conquistar um Campeonato Brasileiro, desde a adoção dos pontos corridos e sempre foram melhor nas competições de mata-mata.

receitas

Atlético-MG depois de um período longo sem títulos relevantes, a partir da conquista da Libertadores em 2013 e Copa do Brasil em 2014 voltou a figurar entre os clubes mais vitoriosos da atualidade.

Grêmio que luta pelo pentacampeonato da Copa do Brasil, vem passando por um longo período sem títulos importantes.

custos-com-futebol

custo

O excesso de gastos e receitas abaixo do necessário para obter equilibrio financeiro a dupla vem acumulado déficits gigantescos.,

Atlético- MG nos últimos 5 anos acumulou perdas de R$ 157 milhões.

deficits-camNo mesmo período Grêmio acumulou déficits de R$ 118 milhões.

deficits-gremio

Ambos estão entre os clubes com maiores dívidas do Brasil.

dividas

Atlético-MG tem a terceira maior dívida do futebol brasileiro. Já o Grêmio apresentou sétima maior dívida no ano passado.

Números do Grêmio melhoraram em 2016

Nos primeiros 9 meses de 2016 os números financeiros do Grêmio melhoraram na comparação com os 12 meses de 2015.

O tricolor gaúcho se beneficiou dos R$ 100 milhões recebidos da Globo pelos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro de 2019-2024.

Com esse volume astronômico contabilizado as receitas com TV do clube em 2016 representaram inacreditáveis 68% de toda a receita gerada pelo clube.

Até setembro de 2016 o clube apresentou superávits de R$ 55 milhões. O que mostra que já consumiu uma parte importante de recursos que somente deveriam ser utilizados no futuro.

A dívida caiu para R$ 381 milhões, uma redução de 10% até o momento.



MaisRecentes

CBF rica, clubes pobres



Continue Lendo

Finanças do CAP, o desafio da Arena da Baixada



Continue Lendo

Atlético Mineiro melhora receita, mas dívida aumenta



Continue Lendo