Finanças dos clubes brasileiros em 2017



A empresa Sports Value, especializada em marketing esportivo acaba de lançar um novo estudo sobre as finanças dos clubes brasileiros em 2017.

Segundo o levantamento o volume total gerado do mercado atualmente, considerado as receitas dos clubes, das 27 federações estaduais e da CBF é R$ 6,25 bilhões. 

Os 20 maiores clubes brasileiros são responsáveis por 81% do total.

Receitas

Os 20 times viram suas receitas crescerem 4% em 2017.   O volume gerado pelos 20 times somados foi de R$ 5,05 bilhões no ano passado, frente aos R$ 4,85 bilhões de 2016

É a primeira vez que esses times ultrapassam a marca de R$ 5 bilhões em receitas.

As receitas com TV caíram 18% em 2017, em virtude do registro realizado pelos clubes com as luvas recebidas em 2016.  Esses valores não se repetiram em 2017. As receitas com transferências cresceram 40% passando, de R$ 960 milhões no ano passado.

Os recursos com patrocínios cresceram 27% e as receitas com sócios outros 17%. E a bilheteria apresentou crescimento de 9%.

Os clubes que viram o maior aumento absoluto das receitas foram Flamengo, Botafogo, Cruzeiro, São Paulo, Chapecoense e Palmeiras. E aqueles que sofreram maior redução nas receitas foram Corinthians, Fluminense, Internacional, Goiás, Sport e Vasco.

Os direitos de TV foram responsáveis por 40% do total gerado pelos clubes e as transferências de jogadores outras 19%. Os patrocínios por 13% o mesmo que os sócios. A bilheteria foi responsável por 7%  e outras receitas pelos 8% restantes.

Custos com departamento de futebol

Os custos com departamento de futebol dos 20 times apresentaram grande evolução em 2017. Embora as receitas tenham apresentado aumento de 4%, os custos com futebol cresceram 21%

O custo total com futebol dos 20 times atingiu R$ 3,5 bilhões em 2017, frente aos R$ 2,9 bilhões de 2016. É o maior valor já registrado pelos clubes em toda a história do futebol brasileiro.

Os custos com departamento de futebol dos 20 times representam atualmente 70% da receita total. Em 2016 esse índice estava em 60%.

Muitos clubes apresentam índice custo do futebol/receita acima do valor médio de 70% em 2017. O ideal é que esse índice não ultrapasse 73% para clubes com altas dívidas, de acordo com análises da Sports Value.

Superávits / Déficits do exercício

Os 20 clubes em receitas do Brasil fecharam 2017 com superávits de R$ 27,8 milhões, frente aos R$ 443 milhões em 2016 e R$ 173 milhões de 2015.  Já é o terceiro ano consecutivo de superávits.

Isso somente foi possível pelos valores recebidos com PROFUT em 2015 e Luvas da TV em 2016., que são valores extraordinários.

Os 20 maiores clubes  do Brasil nesses três anos  somaram superávits de R$ 644 milhões.

O resultado conjunto de 2017 foi muito impactado pelos ótimos resultados de Flamengo com R$ 155 milhões. Palmeiras R$ 57 milhões, Botafogo R$ 53 milhões e Cruzeiro com R$ 30,5 milhões também contribuíam para o resultado positivo.

Dívidas

As dívidas dos 20 times passaram de R$ 6,63 bilhões em 2016 para R$ 6,76 bilhões em 2017, alta de 2%.  Nos últimos quatro anos as dívidas subiram 77%, enquanto a inflação acumulada do período foi de 43%.

 

Os clubes conseguiram, graças ao aumento de receitas melhorar a relação dívida / receita média nos últimos anos. Esse índice que na média dos 20 clubes era de 2,07 em 2014 caiu para 1,80 em 2015 e 1,36 em 2016.

Em 2017 foi reduzido para 1,33, o menor índice desde 2005.

Esse é um dos melhores indicadores no futebol brasileiro para acompanhar a gestão dos clubes.

Dívidas fiscais

As dívidas fiscais dos 20 times passaram de R$ 2,4 bilhões em 2016 para R$ 2,5 bilhões em 2017, alta de 4%.

As dívidas fiscais representam atualmente 37% do endividamento total dos times.



MaisRecentes

São Paulo melhora números financeiros



Continue Lendo

Finanças do Corinthians em 2017



Continue Lendo

Cartola FC empolga mais que a Série A



Continue Lendo