Finanças do São Paulo



O São Paulo publicou ontem suas demonstrações contábeis de 2015.  A situação financeira do clube não é boa.

As receitas apresentaram um salto de 31% atingindo R$ 330,9 milhões. Uma parte muito representativa desse aumento se deve aos R$ 108, 8 milhões gerados com transferências de atletas.

receitas

 

Desconsiderando os recursos com as transferências, a receita cresceu apenas 4%.

fontes de receitas

% receitas

Além do crescimento com transferências e direitos de TV vale destacar o aumento das receitas com  sócio-torcedor e bilheteria. Os ganhos com o Morumbi caíram, assim como  as baixíssimas receitas com patrocínio.

Os custos com futebol subiram 16% e atingiram R$ 273,4 milhões. A relação custo futebol sobre receita melhorou, em virtude do amento do faturamento. Mas sem dúvida é uma grande preocupação para o clube em 2016.

futebol

 

% custo SPFC

Por conta dos altos custos, o cube do Morumbi encerrou o ano passado com déficits de R$ -72,5 milhões. Nos últimos dois exercícios os déficits somados foram de R$ -172,6 milhões.

deficits

As dívidas do clube saltaram para R$ 359,4 milhões, aumento de 5%. As dívidas fiscais cresceram 40% e atingiram R$ 82,4 milhões.

Dívidas

Os empréstimos com bancos somaram em 2015 R$ 129,7 milhões, frente aos R$150,4 milhões de 2014. Entretanto, empréstimos com terceiros que não existiam em 2014, atingiram R$ 24,4 milhões.

O São Paulo utiliza os empréstimos como forma de suprir sua falta de receitas. E essa prática gera juros bancários elevados. No ano passado o clube despendeu R$ 48,2 milhões em despesas financeiras.

financ

Nos últimos 5 anos as despesas financeiras consumiram R$ 144,7 milhões.

O clube precisa urgente aumentar suas receitas de marketing e com o estádio do Morumbi e reduzir seus custos, especialmente com futebol.

E assim começar a operar com mais recursos próprios, do que com recursos de terceiros.



MaisRecentes

Finanças dos clubes brasileiros em 2017



Continue Lendo

São Paulo melhora números financeiros



Continue Lendo

Finanças do Corinthians em 2017



Continue Lendo