Finanças do Santos, uma história que merece ser contada



Santos FC acaba de conquistar mais um título paulista, e desde 2002 com seu título Nacional, pode ser considerado um dos times mais vitoriosos do futebol brasileiro nos últimos 14 anos.

Essa história recente de títulos gerou impactos financeiros para o clube. Sem dúvida esse time merece ter suas finanças analisadas, não apenas no exercício de 2015, mas desde 2003.

Os dados atuais do clube assustam. Receitas em queda desde 2011 – Ano histórico da conquista da Libertadores da América-,  custos elevados e dívidas gigantescas.

Atualmente a dívida do clube ronda R$ 410 milhões, em 2011 era de R$ 208 milhões. Um aumento de 97%. Deste total  do ano passado, somente R$ 128 milhões em dívidas fiscais.

O time da Vila Belmiro, verdadeiro produtor de craques, viveu um terrível ostracismo nas décadas de 80 e 90, voltando a conquistar títulos em 2002, crescendo muito graças a isso.

E por isso, analisar as finanças do clube é interessante, pois a cada ano, ressurgindo das cinzas, montando novos times, o clube vem mantendo  regularidade em sua performance esportiva.

Contudo suas finanças estão em uma situação preocupante.

Receitas

O clube, que teve um grande pico de receitas em 2005 com a venda de Robinho para  o Real Madrid, depois somente cresceu de forma contundente nos anos com Neymar e seus títulos, alta exposição na mídia e bom retorno na época.

Desde então está estagnado. Fica claro que o Santos não aproveitou os bons momentos desde 2002 para fortalecer sua marca e todo o seu negócio, que sempre dependeu de novos craques e performance.

O clube desperdiçou milhões de reais em jogadores, técnicos, CT, mas nunca em sua marca, em projetos de marketing que pudessem alavancar as receitas do clube de forma contundente e perene.

fontes de receitas

Para acentuar seus problemas, o clube gasta muito mais com futebol do que poderia, criando uma bolha em suas finanças, que produz déficits altíssimos. Para competir com seus rivais o clube gasta muito além de suas possibilidades, fazendo com que em 2015 os custos com futebol fossem superiores às receitas. Um descontrole total!

custos

Palmeiras, São Paulo e Corinthians gastaram em 2015 entre R$ 240-270 milhões com futebol, bem à frente do atual bicampeão paulista.

Essa gestão, com poucas receitas, muitos custos e desequilibro orçamentário, produziu números financeiros péssimos, especialmente nos últimos anos.

%CUSTO

Reparem na evolução do índice de 2005 para 2006. Isso comprova que um erro naquele período apenas concentrar investimentos das vendas de atletas em times caros e muitas vezes ineficientes. O mesmo se repetiu a partir de 2013, em outra gestão, mas com os mesmos erros.

Assim como o clube acerta com jovens promessas, erra feio com jogadores caros e com baixo retorno.

A evolução de 2012 para 2013, mostra o início do desequilíbrio, que ao longo dos anos se intensificou com poucas receitas, altos custos e grandes déficits.

Desde o grande superávit de R$ 63 milhões em 2005 com a venda de Robinho, o clube se viu em um acúmulo de déficits, somente revertidos em 2011 e 2012. Desde 2003 o acúmulo de perdas somam R$ -233 milhões.

Nos últimos três anos os déficits acumulados são de R$ -178 milhões.

pl

Se não fosse a ajuda do Governo com o PROFUT, que concedeu descontos de R$ 38,4 milhões para o clube em 2015, ampliando as receitas financeiras, os déficits de 2015 teriam ultrapassado R$ -116 milhões.

Todos os erros produziram um aumento gigantesco das dívidas, não apenas em débitos fiscais.

Os números do Santos são reflexo de sua gestão, ao longo de sua história recente . Os equívocos cometidos em diferentes administrações ao longo de todos esses anos, são os responsáveis pela situação atual do clube.

Os gestores podem ter acertado  no futebol, mas apequenaram o clube em termos de marketing. As receitas estão ao menos R$ 120 milhões abaixo do seu potencial.    Isso sem considerar o mercado internacional!

Já as dívidas estão entre as maiores do Brasil!

Dívidas

DIVIDAS

Há saída para o Santos?

Sim, mas terá que mudar muita coisa do seu cenário atual.



MaisRecentes

Finanças dos clubes brasileiros em 2017



Continue Lendo

São Paulo melhora números financeiros



Continue Lendo

Finanças do Corinthians em 2017



Continue Lendo