Finanças do Palmeiras em 2016



Palmeiras já divulgou seu balanço patrimonial de 2016 e os números são positivos.

As receitas atingiram R$ 469 milhões, melhora de 33% em relação a 2015 e crescimento de 92% nos últimos três anos.

O clube atingiu a maior receita de sua história no ano passado.

Receitas Palmeiras

A principal fonte de receita do clube alvi-verde em 2016 foram os direitos de TV que atingiram R$ 128 milhões, melhora de 45% em relação a 2015.

Na sequência aparece o faturamento com os patrocínios que atingiram R$ 91 milhões, melhora de 30%.

A bilheteria sofreu redução de 21% e no ano passado caiu para R$ 69 milhões, frente aos R$ 87 milhões de 2015.

Quando somada a bilheteria ao sócio torcedor, o volume arrecadado pelo o clube atingiu R$ 104 milhões, a segunda maior fonte, maior até que os patrocínios.

As duas fontes somadas em 2015 foram de R$ 119 milhões.

Evolução Receitas

A venda do Gabriel Jesus para o Manchester City foi a principal responsável pelo aumento substancial das receitas com transferências que saltaram de R$ 13 milhões em 2015 para  R$ 51 milhões em 2016.

Custos subiram mas finanças estão equilibradas

Os custos com futebol do Palmeiras apresentaram aumento de 19% em 2016, abaixo do incremento das receitas, mostrando equilibrio na gestão do clube.

Enquanto as receitas apresentaram evolução de R$ 117 milhões em um ano, os custos com futebol cresceram R$ 46 milhões.

Nos últimos três anos os custos com futebol do clube apresentaram evolução de 45%.

Futebol

A relação custo com futebol/ receita vem apresentando queda, o que resultou em uma melhora do superávit do Palmeiras em 2016.

%custo

O clube encerrou 2016 com superávit de R$ 89,6 milhões, frente aos R$ 10,6 milhões de 2015.

É o melhor resultado financeiro da história do clube.

Mesmo com altas despesas financeiras, na casa de R$ 59,8 milhões em 2016.  Em dois anos o clube gastou R$ 114,6 milhões em despesas financeiras.

Dívidas foram reduzidas

Palmeiras encerrou 2016 com um endividamento de R$ 395 milhões, frente aos R$ 410 milhões de 2015.

Isso representa uma queda de quase 4%.

Dívida

Chama a atenção o aumento dos empréstimos de longo prazo que cresceram R$ 20,6 milhões em um ano.

E também um aumento de R$ 34 milhões em títulos a pagar, substancialmente referente aos valores devidos a terceiros pela venda de Gabriel Jesus.

O valor devido é de R$ 30,2 milhões.

Pelas minhas contas o Palmeiras ficou com apenas 63% da venda de sua principal revelação dos últimos anos.



MaisRecentes

Finanças dos clubes brasileiros em 2017



Continue Lendo

São Paulo melhora números financeiros



Continue Lendo

Finanças do Corinthians em 2017



Continue Lendo