Finanças do Palmeiras em 2016



Palmeiras já divulgou seu balanço patrimonial de 2016 e os números são positivos.

As receitas atingiram R$ 469 milhões, melhora de 33% em relação a 2015 e crescimento de 92% nos últimos três anos.

O clube atingiu a maior receita de sua história no ano passado.

Receitas Palmeiras

A principal fonte de receita do clube alvi-verde em 2016 foram os direitos de TV que atingiram R$ 128 milhões, melhora de 45% em relação a 2015.

Na sequência aparece o faturamento com os patrocínios que atingiram R$ 91 milhões, melhora de 30%.

A bilheteria sofreu redução de 21% e no ano passado caiu para R$ 69 milhões, frente aos R$ 87 milhões de 2015.

Quando somada a bilheteria ao sócio torcedor, o volume arrecadado pelo o clube atingiu R$ 104 milhões, a segunda maior fonte, maior até que os patrocínios.

As duas fontes somadas em 2015 foram de R$ 119 milhões.

Evolução Receitas

A venda do Gabriel Jesus para o Manchester City foi a principal responsável pelo aumento substancial das receitas com transferências que saltaram de R$ 13 milhões em 2015 para  R$ 51 milhões em 2016.

Custos subiram mas finanças estão equilibradas

Os custos com futebol do Palmeiras apresentaram aumento de 19% em 2016, abaixo do incremento das receitas, mostrando equilibrio na gestão do clube.

Enquanto as receitas apresentaram evolução de R$ 117 milhões em um ano, os custos com futebol cresceram R$ 46 milhões.

Nos últimos três anos os custos com futebol do clube apresentaram evolução de 45%.

Futebol

A relação custo com futebol/ receita vem apresentando queda, o que resultou em uma melhora do superávit do Palmeiras em 2016.

%custo

O clube encerrou 2016 com superávit de R$ 89,6 milhões, frente aos R$ 10,6 milhões de 2015.

É o melhor resultado financeiro da história do clube.

Mesmo com altas despesas financeiras, na casa de R$ 59,8 milhões em 2016.  Em dois anos o clube gastou R$ 114,6 milhões em despesas financeiras.

Dívidas foram reduzidas

Palmeiras encerrou 2016 com um endividamento de R$ 395 milhões, frente aos R$ 410 milhões de 2015.

Isso representa uma queda de quase 4%.

Dívida

Chama a atenção o aumento dos empréstimos de longo prazo que cresceram R$ 20,6 milhões em um ano.

E também um aumento de R$ 34 milhões em títulos a pagar, substancialmente referente aos valores devidos a terceiros pela venda de Gabriel Jesus.

O valor devido é de R$ 30,2 milhões.

Pelas minhas contas o Palmeiras ficou com apenas 63% da venda de sua principal revelação dos últimos anos.



  • Lauro Roberto

    Pelo que noticiaram as dívidas bancárias do clubes estavam quase zeradas, restando apenas 1 dos fundos que o Paulo Nobre tem direito (Algo em torno de 66 milhões) que deve ser quitado até dezembro de 2018 pela expectativa de Galiote. A devolução de 81 milhões ao ex-presidente e quitar as outras dívidas bancarias devem reduzir bastante, essas despesas financeiras.
    Acho preocupante o fato de mesmo com um ano excelente financeiramente o clube conseguir reduzir suas dívidas em apenas 4%. Em um futuro anos de possíveis déficits podem nos colocar novamente naquele caos financeiro. Acredito que falta ao palmeiras um maior foco em quitar dívidas que viram bola de neve (Como o caso Wesley que já ultrapassa 21 milhões).
    Como o presente é promissor, é ideal é equilibrar as finanças que viraram um caos no passado recente por gestões desastrosas.

    Acredito que Galiote se reelege e teremos ao menos mais 3 anos de uma gestão coesa e redução da dívida de curto e longo prazo.

    • Rafael

      Concordo com você Lauro, hoje o Palmeiras tem uma arrecadação muito boa e consegue honrar com todos seus compromissos mensais, mas o time tem que reduzir suas dívidas para que mesmo com uma queda futura na arrecadação ainda possa manter um elenco forte e manter a estrutura que já possui. Estou curioso de como serão os números de 2017, se o Galiote irá reduzir dívidas em seu primeiro ano, acredito que teremos bons números nesse aspecto.

      • Lauro Roberto

        Rafael, embora muita coisa ainda vá acontecer a tendencia é que sejam bons números, a Crefisa, a bilheteria, Sócio Torcedor e outros fatores continuam bem e devem permanecer assim até dezembro, a não ser que aconteça desastres no futebol. 1 dos fundos quitados por Galiote (mais de 40 milhões de reais) entram no balanço de 2017.
        A dívida com Paulo Nobre tem juros menores que o de mercado, logo, essa pressa em quitar a Dívida dos fundos referentes a ele pode (e eu acredito que tem) ter um caráter político.
        O time é bem mais caro que o de 2016 e a arrecadação será menor já que não venderemos jogadores ao nível monetário de Gabriel Jesus (Possivelmente Vitor Hugo seja vendido e dudu, mas esse é bem improvável).
        O investimento na base é algo que com certeza irá fazer muita diferença no futuro (como hoje faz no São Paulo), e é um das melhores atitudes do Paulo Nobre em toda sua gestão que o Galiote deu continuidade.

        Esse ano acredito que o palmeiras não ganha a libertadores (acho que falta alguma coisa, gana, sei la, talvez um técnico de peso que tivesse mais tranquilidade para trabalhar), mas ainda da pra evoluir e queimar minha língua (espero que isso aconteça), Temos boa gestão e um bom time, so falta levar isso pra campo. Reverter o placar contra a macaca seria o start para o time perceber que pode ganhar de qualquer um, independente de qualquer situação, ai minha opinião sobre a libertadores muda totalmente. Vamos aguardar, a torcida ta fazendo a sua parte.

        Vamo Verdão !!!

    • Amir Somoggi

      Pelo balanço não bate com o discurso. Aguardemos.

  • Marcello

    Por favor, onde entra a receita com participação em vendas de camisas? Há dados disponíveis que possibilitem pelo menos se estimar a quantidade de camisas vendidas pela Adidas? Obrigado.

    • Amir Somoggi

      No licenciamento, que diga-se de passagem são baixíssimos.

  • DOUTOR ROBSON TORRES

    A TORCIDA DO FLAVELA TEM BAIXO PODER FINANCEIRO .

    A DO PALMEIRAS É BEM SUPERIOR.

    QTD NAO CONTA https://uploads.disquscdn.com/images/0c0d5d0e7f9861a5ead68e9ffe680aee4f06d835d2707d4f27dc89f6ecc51724.jpg

  • RicardoPSG

    Parabens pela analise. Um time vitorioso so da’ para permanecer forte com financas em ordem. Seria interessante ver comparacoes semelhantes dos demais clubes.

  • Eduardo Pires Del Picchia

    Onde está o valor da Adidas, na faixa de 23 a 25 milhões ai? E os 50% das luvas do Esporte Interativo, no valor de 50 milhões? Tem algo errado, o faturamento foi maior que isso, a não ser que a Adidas não tenha pago nada e as luvas do EI só entraram a partir de 2017.

    • Chorintiânu

      patrocínio & publicidade
      cotas de tv … tá incluso

MaisRecentes

PROFUT subiu no telhado



Continue Lendo

Entendendo as finanças da Conmebol



Continue Lendo

Contratação de Neymar mostra a força dos times dos magnatas



Continue Lendo