Direitos de transmissão no mundo somam US$ 43 bilhões



Na indústria do esporte, os direitos de transmissão sempre tiveram um papel importante, representando uma parte significativa do seu faturamento.

O recente estudo TV Sports Markets mostra que os direitos de TV cresceram muito nos últimos anos. Inclusive cita que com a economia global em crise, chega a surpreender o crescimento de 18% nos direitos em todo o mundo entre 2014 e 2016.

Em 2014 foi realizada a primeira edição do levantamento e os direitos de transmissão movimentavam US$ 36,5 bilhões. Em dois anos o crescimento foi de US$ 6,5 bilhões, atingindo US$ 43 bilhões em 2016. A projeção é que em 2019 os direitos de transmissão no esporte atinjam US$ 50 bilhões.

O estudo mostra que há claramente uma concentração de riqueza nas grandes Ligas dos EUA e Europa. Grande destaque para os altos contratos televisivos da NFL, MLB e crescimento elevado da NBA. Outros destaques foram o aumento da Premier League, Liga Espanhola e Champions League.

O futebol é o esporte com mais volume gerado com US$ 16,5 bilhões em 2016, crescimento de 24% nesses dois anos. Sua força está em sua popularização global e valiosas propriedades, especialmente na Europa e representa 38% do total global de direitos.

NFL é a líder com US$ 7,2 bilhões em direitos de TV nesse ano, um aumento no volume dos contratos de US$ 600 milhões desde 2014. O elevado aumento do contrato da Premier League, colocou os ingleses na segunda posição do ranking global.

TV Sports Markets

O mercado dos EUA, por ser o mais importante do planeta, com US$ 20 bilhões em direitos de TV, coloca suas ligas entre as maiores do mundo. Na sequência aparecem MLB, NBA e completando os cinco primeiros, UEFA Champions League.

Os contratos da NBA cresceram impressionantes US$ 1 bilhão, em dois anos, o maior crescimento do planeta. A liga de basquete segundo projeções deve encerrar 2017 com US$ 3,6 bilhões gerados em direitos de transmissão.

 Mas afinal, por que tanto crescimento?

O estudo aponta uma série de fatores para um desempenho tão elevado, mesmo em um ambiente de recessão global. O crescimento de mercados emergentes na Ásia, América Latina e África contribuíram muito, graças ao aumento da penetração da TV por assinatura e internet.

Novos grupos de comunicação disputando as mesmas propriedades também foram um fator importante para a melhora dos números.

Outro ponto foi a evolução do mercado de direitos de transmissão na era digital, com a fragmentação da mídia. A exploração dos conteúdos em diferentes plataformas e dispositivos impulsionou os números, especialmente pela presença das pessoas nas redes sociais.

woman-638384_1280

O fenômeno da segunda tela, que as pessoas postam nas redes sociais e navegam na internet enquanto assistem TV, impactou positivamente o mercado de direitos no esporte.

Os conteúdos esportivos são cada vez mais importantes e na era digital são fundamentais para gerar audiências, cada vez mais dispersas e as verbas dos anunciantes a cada dia mais exigentes.

 Direitos de TV no futebol brasileiro

Os clubes de futebol no Brasil atingiram R$ 1,6 bilhão em direitos de TV em 2015, entre US$ 400 e US$ 470 milhões dependendo do câmbio. Os valores do ano passado representam uma melhora de 26% em relação a 2014.

O volume gerado no Brasil cresceu especialmente pelo registro de luvas por parte de alguns clubes. Em 2016, seguramente os números vão crescer ainda mais por mais luvas recebidas nos novos contratos assinados com a Globo e Esporte Interativo.

Infelizmente estamos muitos distantes dos grandes mercados, pois não nos globalizamos e vivemos apenas do mercado doméstico, praticamente dominado ainda por uma única emissora. E temos um produto deteriorado, sem apelo global.



MaisRecentes

Futebol brasileiro parou no tempo



Continue Lendo

Boa Esporte e o anti marketing



Continue Lendo

A hora das mulheres no esporte brasileiro



Continue Lendo