Cartola FC empolga mais que a Série A



Minha última coluna para o Lance! tratou da gestão individualista dos times brasileiros, onde cada um apenas olha para seu próprio umbigo.

Ao final do texto mostrei que entre tantos problemas que essa desunião causa, está a total falta de promoção e divulgação do Campeonato Brasileiro. Como não temos uma liga, esse trabalho de marketing deve ser realizado pela CBF, e pelos próprios clubes.

Essa falta de visão coletiva nos apequena.

Este meu artigo repercutiu muito nas redes sociais e muitas pessoas apoiaram o que escrevi. E muitos foram além, dizendo que embora a Série A não conte com qualquer divulgação oficial, o Sportv estava “bombando” com a divulgação de seu fantasy game, o Cartola FC.

A partir dai fiquei pensando nessa afirmação, fui pesquisar e cheguei à seguinte conclusão: Pela falta de um trabalho de marketing dos clubes e da CBF, o Cartola FC da Globo tem mais apelo junto ao público que nossa principal competição.

Uma loucura! Alguém consegue imaginar isso ocorrendo com a NFL, NBA ou Premier League?

Sem dúvida o crescimento dos fantasy games é uma realidade em todas as partes do planeta, inclusive é uma ótima ferramenta criada pelas ligas e veículos de comunicação para alavancar o interesse e engajamento dos fãs.

Está comprovado que o fantasy ajuda a toda a indústria.

A Globo já conta com 5,5 milhões de usuários ativos na versão gratuita. Esse número é infinitamente superior ao de pessoas que frequentam os estádios brasileiros.

Segundo dados de público em 2017 a série A contou com cerca de 6 milhões de torcedores nos estádios, sendo que boa parte deles são sempre os mesmos. Isso significa que muito mais gente se envolve com o game, do que realmente vive a competição in loco.

Na versão Pro do Cartola (que é paga) já são mais de R$ 10 milhões gerados por ano para a emissora. E os prêmios para os participantes chegam a R$ 500 mil. Um ótimo negócio que vai crescer muito.

Sem falar na exposição das marcas, que é obrigatório para participar no jogo. A Globo está fazendo o papel dela, quem não entende nada do que está acontecendo são os clubes. O que a Globo fatura com a versão paga, já é maior do que qualquer clube grande do Brasil gera com licenciamento de marca.

O mercado de fantasy games é bilionário. São mais de 60 milhões de usuários em jogos deste tipo e o faturamento do setor supera US$ 7 bilhões anuais.

Assim, essa comparação entre o trabalho que a Globo vem fazendo com o Cartola FC e o “não trabalho” realizado pelos times brasileiros e CBF apenas mostra como a falta de união dos clubes é nosso maior problema.

Se tivéssemos uma liga, ou pelo menos uma entidade que defendesse os interesses coletivos dos times, bilhões de reais novos poderiam ser ingressados por eles, em várias frentes.

A falta de conhecimento dos dirigentes do que está acontecendo no mundo dos esportes e a ausência de um bom trabalho de marketing, conseguiu criar um fato único no esporte mundial.

Somos a única nação em que o fantasy game é maior em termos mercadológicos e de engajamento que a competição em si.

Mercado de fantasy cresceu muito

Segundo dados da Fantasy Sports Trade Association (FSTA), em 2007 o mercado de Fantasy Games representava um contingente de 19 milhões de pessoas, número que saltou para 29 milhões em 2008.

Há uma década o faturamento do setor era de US$ 800 milhões, valor que passou para US$ 1,7 bilhão em 2012 e atingiu os US$ 7 bilhões em 2017. 

Segundo dados da FSTA, nos EUA atualmente 30% dos usuários participam de versões pagas como o Cartola FC Pro.

Enquanto nossos clubes estão desunidos e apóiam tudo que a CBF decide, mesmo que seja contra seus interesses comerciais, muito dinheiro fica pelo caminho.



MaisRecentes

Finanças dos clubes brasileiros em 2017



Continue Lendo

São Paulo melhora números financeiros



Continue Lendo

Finanças do Corinthians em 2017



Continue Lendo