Bundesliga supera € 4 bilhões em receitas



Bundesliga, responsável pela organização da primeira e segunda divisão da Alemanha acaba de apresentar seu relatório financeiro referente à temporada 2016-17.

Os 36 times das duas divisões atingiram pela primeira vez o faturamento conjunto de € 4,01 bilhões.

O crescimento consolidado das receitas nesta última temporada foi de 4%. Nos últimos 14 anos as receitas cresceram mais de 200%. É um crescimento constante, desde seu processo de reestruturação no início de 2000 e impulsionado pela Copa do Mundo de 2006.

Os 18 times da Bundesliga geraram em 2017 um total de € 3,37 bilhões em receitas e os 18 times da Bundesliga 2 outros € 635 milhões.

Em quase quinze anos as receitas dos times da primeira divisão cresceram 209% e da segunda divisão ainda mais, evolução de 243%.

Dois anos antes da Copa do Mundo de 2006, os 36 times faturavam € 1,28 bilhão, valor que saltou para € 1,9 bilhão apenas dois anos depois.

O megaevento foi fundamental para alavancar as receitas de todos dos times.

O investimento nas categorias de base dos 36 times cresceu muito e em 14 anos soma mais de € 1,4 bilhão investidos.

Estes 36 times pagaram na última temporada € 1,2 bilhão em impostos e contribuições sociais.

Desde 2004 pagaram ao governo mais de € 10 bilhões de euros.

Sem anistia, sem benesses como no Brasil. Quanto mais faturaram e gastaram em salários e contratações, mas pagaram impostos.

O que ocorre lá, deveria ser igual no Brasil.

Gestão da Bundesliga é referência global

Os 18 times da primeira divisão da Alemanha são uma referência global, sendo há anos a segunda liga com maior faturamento do futebol mundial, apenas atrás da Premier League

A principal fonte de receita da Liga são os recursos de marketing, que incluem os patrocínios e vendas de produtos, que somados superaram € 1,04 bilhão na última temporada.

Os direitos de TV apareceram na sequência com € 961 milhões e os estádios com € 504 milhões.

Chama atenção o crescimento das receitas com transferências de jogadores. Desde a Copa de 2014, os jogadores alemães se valorizaram profundamente.

Em 2017 as receitas dos times com as transferências ultrapassaram € 582 milhões, frente aos € 171 milhões de 2014.

A gestão da Bundesliga é considerada uma referência, sendo de longe a liga com maior controle financeiro do futebol mundial.

Os gastos salariais atingiram € 1,18 bilhão ou 35% do faturamento dos 18 times, o menor índice entre as ligas europeias.

Segundo relatório financeiro da liga, os times de primeira divisão encerraram a última temporada mais uma vez com lucros. Já são sete temporadas seguidas com lucro líquido.

Nos últimos 14 anos foram quase € 700 milhões de lucros acumulados.

Quanto mais os times faturam, mas pagam impostos, mais investem nas categorias de base e mais lucram. Um negócio absolutamente equilibrado.

 Liga é a mais popular da China

Um estudo recente surpreendeu o futebol mundial, com a Bundelsliga como liga mais popular da China, à frente da Premier League e La liga.

Segundo estudo da agência Mailman Group, a Bundesliga foi a liga com maior impacto na China. O time vencedor foi o Manchester United e o jogador Lionel Messi.

Na China as redes sociais são controladas pelo governo e no lugar do Facebook, Twitter e Instagram, as plataformas são Weibo, WeChat e o buscador Baidu.

E neste ambiente digital a Bundesliga se destacou.

Liga estuda mudar modelo de propriedade dos times

Depois de 20 anos da regra 50+1, que obriga os times a manterem o controle de sua administração, a Bundesliga assinala com uma clara possibilidade de mudança.

O principal objetivo é adequar a liga ao mundo atual e garantir um futuro mais próspero para seus times em um mercado cada vez mais competitivo.



MaisRecentes

Finanças dos clubes brasileiros em 2017



Continue Lendo

São Paulo melhora números financeiros



Continue Lendo

Finanças do Corinthians em 2017



Continue Lendo