2015, o ano que precisa acabar



Em virtude de problemas de conexão com a Internet onde estava durante as festas não consegui publicar aqui minha última coluna de 2015 para o Lance!  Assim publico hoje e aproveito para desejar a todos os leitores do blog um ótimo 2016!

Minha coluna para o Lance! de 29/12/2015

Todo final de ano é igual, retrospectivas, metas para os próximos 12 meses, sonhos, enfim a virada do ano sempre suscita esse tipo de reflexão. Infelizmente o ano de 2015 para todos os brasileiros foi muito ruim, do ponto de vista ético, econômico e até social.

Para o futebol o ano que se vai foi péssimo, já que o principal esporte no planeta se viu envolvido em graves denúncias de corrupção, desde a FIFA, passando por suas Confederações Continentais e na nossa CBF.

Não há dúvidas que as denúncias e prisões de cartolas apenas trouxeram à tona toda a corrupção, interesses pessoais e falta ética do mundo do futebol.

O mar de lama que engoliu o futebol mundial e o Brasil é uma grave crise que afasta do futebol seus valores mais importantes, e por consequência a paixão das pessoas, que é no final de tudo a razão de existir de clubes, Ligas, Federações e Confederações.

A falta de pudor sendo em escala global ou apenas local como faz a CBF e as Federações Estaduais há décadas apenas destrói o que de mais lindo e valorizado o futebol tem. O ano de 2015 escancarou a podridão que corrói o futebol, já que as denúncias realizadas pelo FBI vêm colocando sistematicamente cartolas na cadeia.

No Brasil o problema é ainda pior, já que todo o sistema da CBF é mantido por uma relação íntima de poder com as Federações e uma covardia ou melhor conivência dos clubes brasileiros. Os presidentes dos clubes infelizmente não se deram conta que podem mudar tudo, mas simplesmente preferem não fazer absolutamente nada.

Os grandes clubes brasileiros são os maiores responsáveis pelo estado do futebol no Brasil. Esses times representam mais de 160 milhões de brasileiros que declaram ter um time de futebol, não fazem nada e pior corroboram com esse nível baixíssimo da gestão da CBF e do futebol brasileiro.

Um bom exemplo da incapacidade gerencial e de promover mudanças é a Primeira Liga, a tão alardeada revolução do nosso futebol. Contrataram um CEO, que de executivo não tinha nada, que já foi embora. Os mesmos de sempre fazendo as mesmas coisas de sempre.

Por isso 2015 tem que acabar. Essa crise toda precisa ser o ponto de partida da mudança, por isso o que de mais importante aconteceu nesse ano foi o movimento #ocupaCBF, já que a sociedade organizada exigiu aquilo que todos os clubes têm medo de fazer.

Cobrar a renúncia imediata de toda a diretoria da CBF. Precisamos que o novo ano traga novas eleições na entidade.

Ou deixamos como está e vamos assistir mais um ano ver o futebol brasileiro definhar.

 

 



MaisRecentes

Discrepância dos direitos de TV no Brasil, um erro da Globo



Continue Lendo

Gestão de patrocínio no futebol brasileiro está obsoleta



Continue Lendo

Entendendo as finanças dos clubes brasileiros em 2016



Continue Lendo