Ultimas provas antes do Tour; Criterium du Dauphine e Tour de Suisse - Solta o freio

Ultimas provas antes do Tour; Criterium du Dauphine e Tour de Suisse



As últimas provas antes do Tour de France são sempre Criterium du Dauphine e Tour de Suisse e acontecem essa semana.

Dauphine é também organizado pela ASO. A mesma organizadora do Tour. Por isso, geralmente usam trechos, montanhas ou mesmo a etapa toda para servir de teste para o que usarão no Tour em 1 mês. Serão 8 etapas; 2 etapas não exatamente planas, 1 contrarrelógio curto(6km), um contrarrelógio por equipe como no Tour(35km) e 4 etapas de montanhas seguidas. Além de um contrarrelógio por equipes com a mesma distância que teremos no Tour a 7a etapa da Dauphine será igual a 11a do Tour. 110km com 4 montanhas, sendo as 2 primeiras categoria HC, seguida de um categoria 2 e para terminar o categoria 1 “La Rosiere”. Será um bom teste para ver como funcionará a dinâmica de uma etapa de “só” 110km e 4 montanhas. Para os profissionais é como se fosse um treino de tiros de subida.

A qualidade dos favoritos na geral(GCs) é boa, mas com um contrarrelógio por equipes tão longo para uma volta de 1 semana a disputa entre os GCs ficará prejudicada. Equipes Sky, BMC e Q-Step são bem superiores e levarão enorme vantagem. Bardet(AG2R) e Nibali(Bah), os melhores GCs na prova, usarão como treino nas montanhas e claro, caso haja um improvável quebra de algum Sky que esteja liderando após o contrarrelógio por equipes, eles não hesitarão em atacar. Bardet trouxe quase o que de melhor a equipe AG2R tem para oferecer e será interessante ver o que podem fazer tanto no contrarrelógio por equipes, como nas montanhas contra a equipe Sky. Já Nibali NUNCA sabemos, mas com o que a equipe Bahrain levou não terá muitas chances.

Temos 2 outros importantes tópicos que TODOS os anos pesam na dinâmica dessas 2 provas a essa altura do ano.

1- A temporada de troca-troca e renovações estão no seu ponto alto. Ciclistas com fim de contrato em dezembro estão a procura de novos contratos e aonde melhor para demonstrar suas qualidades e utilidade do que nas preparatórias do Tour? Agosto é quando podem ser anunciadas as novas contratações e renovações, logo apo´s o Tour e até lá a maioria das negociações já terão acontecido.

2- O outro é a “briga” para conseguir uma vaguinha nas equipes que disputarão o Tour. Principalmente nas equipes grandes. Imagina a Sky que terá provavelmente Froome, Thomas, Poels, Kwiatkowski, Moscon, Kiryenka, talvez Castroviejo e talvez o Bernal. Se você é um dos outros escaladores como Henao, Lopez, De La Cruz, Rosa, Elissonde e etc estarão de olho, principalmente se o garoto Bernal passar a perna neles. Fora os passistas que fazem o trabalho duro de liderar o pelotão por dezenas de kms durante TODO o Tour e provavelmente nem vão aparecer quando a transmissão da Tv começar. Os já testados e confiáveis Puccio, Rowe, Stannard, Knees ficariam de fora?

Para conseguir o 1o item necessariamente você precisa do 2o item. Isso faz com que algumas etapas tenhamos algumas surpresas e isso sempre é entretenimento garantido.

Quanto ao Tour de Suisse falo na próxima.

Não veremos as estrelas dos sprints nem na Dauphine, nem no Tour de Suisse. Eles irão em peso para o bem mais “suave” Tour of Slovenia. Isso faz as etapas mais imprevisíveis e até com chances para mais surpresas nos sprints.



MaisRecentes

Junho é sempre igual e um assunto domina; contratos para 2019



Continue Lendo

Próximo fenômeno a caminho do pelotão; Remco Evenepoel



Continue Lendo

Giro de Itália 2018; nota 9!!



Continue Lendo