Tour; será que teremos "hoje não, hoje não, hoje simmm"?? - Solta o freio

Tour; será que teremos “hoje não, hoje não, hoje simmm”??



Os 4 primeiros na luta(Thomas, Froome, Dumoulin e Roglic) pela camisa amarela parecem bem consolidados e a grande dúvida fica por conta da dupla da equipe Sky. Será que teremos uma versão ciclística do “hoje não, hoje não, hoje simmmm” que aconteceu com o Barrichelo e Schumacker? Ou a dúvida não é SE e sim QUANDO?

A essa altura está claro que para a dupla da Sky a única chance de “zebra” seria o Dumoulin, mas aonde ele poderia tirar tempo? Não nas etapas dessa semana e provavelmente só no contrarrelógio do próximo sábado. Acho que para evitar mais uma vitória da Sky a única chance seria alguma coalisão entre equipes e mesmo assim só funcionaria se tomando de assalto alguma etapa como aconteceu na Vuelta 2016. Coincidentemente a última derrota do Froome numa grande volta de 3 semanas. A etapa do Formigal foi sensacional. Uma etapa no papel xôxa, que logo na largada virou o caos com a colaboração da Movistar do Quintana e principalmente da Tinkoff do Contador. Contador já tinha perdido muito tempo e para que uma emboscada funcionasse contra a Sky só mesmo contando com outra equipe que tivesse disputando a prova. Mesmo que não tivesse mais chances de vitória no GC Contador ainda tinha como “escolher” o vencedor.

Essa é a única imagem dos bastidores do pódio daquele dia. Quintana será eternamente agradecido e a maioria dos gregários da Sky, que foram pegos de calças curtas, não renovaram seus contratos com a equipe.

A única etapa com esse potencial de emboscada acontecerá na 4ª feira. A já polêmica etapa montanhosa de “só” 65km.

Não acho que Dumoulin nem a Sunweb tenham esse nível de obstinação pela vitória a ponto de tramarem uma coalisão. Não me parece possível que Dumoulin, que está sem equipe para ajuda-lo nas montanhas, possa tirar 1m50s do Thomas. Só no seu espetacular contrarrelógio, que será sábado que vem. Mesmo assim 30 ou 45seg em cima do Froome e do Thomas já seria uma enorme vitória. Hoje ele está só 11seg atrás do Froome e SE houver uma “falha” intencional ou não do Thomas acho que ele ficará aguardando e apostará em marcar o Froome até sábado que vem, pois confia muito no seu contrarrelógio.

Froome por sua vez tem que atacar nas montanhas para tirar tempo de seu companheiro de equipe e porque só tem 11seg a frente do Dumoulin. Thomas pode ficar de roda do Dumoulin, que seria obrigado a pergui-lo num ataque do Froome. Se isso acontecer e o Dumoulin reconectar, sai o Thomas em fuga e ele de novo seria obrigado a perseguir trazendo o Froome de roda e assim sucessivamente até o Dumoulin explodir. Foi exatamente assim que ele perdeu a Vuelta da Espanha em 2015 e naquela vez foi para a Astana SEM o Nibali. Agora com a Sky seria até relativamente mais simples, pois o Thomas está muito forte e a equipe é tremendamente superior aquela Astana de 2015.

A etapa de 3ª feira não deve acontecer nada de tão importante entre os GCs, pois a última montanha não é tão empinada, o que inibe as fugas e com a longa descida poderia propiciar a reconectar com um possível ataque. Claro, essa seria a etapa para o ataque Nibali e deverá ser a do Bardet, mas um já saiu e o outro já está muito atrás na geral e não serão marcados assim tão fortemente pelos 4 primeiros. A etapa montanhosa de mais de 200km servirá mesmo para minar as pernas para 4ª feira. A etapa com somente 65km e 3 montanhas categorizadas. Deverá ser pancada desde a largada.

Amanhã, logo quando descerem do d’Aspet, haverá homenagens no monumento do talentoso Fabio Carsatelli. O companheiro de equipe do Lance Armstrong morreu ali numa queda no Tour de 1995.

Agora, ataques não faltarão entre os que tiverem na fuga, que assim como foi sábado e domingo, deverá ser grande. O atual camisa de bolinha Alaphillipe deverá duelar com o Barguil. A pontuação será dobrada nessa semana o que animarão outros a tentarem a entrar nessa disputa. Fora os oportunistas brigando pela vitória da etapa. A descida do Col de Menté é cheia de curvas de 180 graus até a metade da descida. Vamos ficar de olho ali. Em seguida o categoria 1 Col de Pontillon.

Essa descida é a mesma onde o Froome surpreendeu a todos em 2016. Até então era considerado um “braço duro”, mas atacou na descida ganhando a etapa solo e 13seg a frente do pelotão GC. Imaginava antes da largada essa etapa para um ataque Nibali perto do topo, ante de começar o descidão de mais de 10km. Então imagino que a equipe Bahrein siga o plano e coloque alguns na fuga. Os irmãos Izaguirre parecem a aposta mais certa. O campeão espanhol Gorka está em ótima fase, mas talvez Ion o mais provável.

Astana, Mitchelton e BMC também sem chances no GC tentarão a fuga para a etapa.

Meu chute para vitória na etapa; Yates

 



MaisRecentes

Tour; analisando os melhores e piores



Continue Lendo

Tour; analisando a tão aguardada etapa de 65km



Continue Lendo

Tour; ontem foi épico!! Hoje sonolento..



Continue Lendo