Mundial de contrarrelógio foi muito bom. Domingo deve ser ainda melhor - Solta o freio

Mundial de contrarrelógio foi muito bom. Domingo deve ser ainda melhor



  1. Com um percurso bem diferente para a elite masculina o mundial de contrarrelógio de ontem foi bem movimentado. Normalmente o mundial costuma ter um percurso mais longo que vemos nas grandes voltas. Geralmente sem montanhas, mas com alguns calombos e quem sabe o vento para atrapalhar. No de ontem tínhamos chuva, raramente um pedaço plano e para finalizar uma subida de 3,4km com pendência média de 9% e talvez a grande diferença que a subida era no fim. Os “puristas” diriam que prova de contrarrelógio pode até ter subida, mas não no fim e com aquele perfil. Houve reclamações, sendo a do campeão mundial do ano passado Tony Martin a mais ácida. UCI, órgão que supervisiona as competições de ciclismo, liberou a troca de bikes e o empurrão do mecânico após a troca. Com isso abriram várias opções; ir ate o fim com a bike TT, trocar de bike para fazer a subida ou ir com uma bike meio termo como o norueguês local E.B. Hagen, mas ele só seria favorito mesmo no domingo na prova de estrada.

Fato é que a prova ficou emocionante, pois era difícil prever o final. Bem diferente do ano passado. Alias, só a quantidade de torcida comparado com o ano passado já é uma tremenda melhoria. A comparação das imagens abaixo diz tudo..

Tom Doumolin foi absoluto e aplicou uma verdadeira aula em todos. Inclusive no Froome. Claro, Froome foi lá tentar um podium enquanto o Dumoulin ficou meses se preparando especificamente para essa prova, mas 1m21seg foi realmente uma escovada. Só faltou ele ultrapassar o Froome largando 1 minuto e meio atrás. Só não aconteceu por 9seg..

Alguns destaques;

Primoz Roglic, o ex-ski jumper foi prata e o mais rápido na última subida. Se solidifica como um dos melhores contrarrelogistas do pelotão.

Rohan Dennis mais uma vez azarado e mais uma vez perde excelente oportunidade de brilhar.

Nelson Olivira com uma prova sensacional quase belisca o podium.

Gianni Moscon, que ano! 15o na Tour de Flandres, 5o na Paris-Roubaix, campeão italiano de TT, 13o na etapa do Angliru e agora 6o no mundial de TT. O que esse garoto não consegue fazer?? Que talento e apenas 23 anos..

Como curiosidade, em 39o aparece Hamish Bond. Esse Neozelandês é um dos melhores remadores da última década, tem 1m90cm, 85kg e até a olimpíada do ano passado fazia parte de um barco que ficou invicto por 8 anos. Inclusive ganhando 6 campeonatos mundiais e 2 ouros olímpicos. Ah, e ainda furou o pneu durante a prova…

Tomara que seja só o começo e que o fim de semana ainda traga excelentes provas de estrada no feminino, sub-23 e na elite



Cancelar Resposta

MaisRecentes

Temporada praticamente acabou. Agora, foco passa a ser 2018.



Continue Lendo

Provas do outono italiano são lindas e muito divertidas



Continue Lendo

Sagan é tricampeão mundial!!



Continue Lendo