Contrarrelógio foi decisivo! Yates está inabalável... - Solta o freio

Contrarrelógio foi decisivo! Yates está inabalável…



Depois de 34,2km de mano-a-mano da etapa de ontem Yates(Mit) saiu como grande vencedor.

A expectativa toda era quanto o campeão mundial da modalidade Dumoulin(Sun) iria descontar do camisa rosa. Após pouco mais de 40min os esperados(por mim) 2min não chegaram a 1m15seg. Agora Yates tem 56seg de vantagem na geral(GC)para o Dumoulin. Faltando 5 etapas, sendo 3 de altas e longas montanhas, fica difícil enxergar onde o Dumoulin poderá conseguir tirar esse tempo já que depois de 16 etapas, em nenhuma o Dumoulin chegou a frente do Yates. Então, a não ser que algo fora do normal aconteça, a vitória está bem encaminhada. O Yates agressivo que vimos até aqui deve dar lugar ao Yates conservador. Colocará a excelente equipe cheio de gregários em grande forma para marcar qualquer ataque entre os top 10.

Dennis ganhou mais 1 vez com a incrível média de 51,3km/h em exatos 40min. Com isso saltou de 11o para 6o na geral e tem boas chances de conseguir um top 10.

Na luta pela camisa branca de melhor sub-25 Superman Lopez(Ast) espremeu mais 10seg do Carapaz(Mov). Essa é a mais apertada disputa de camisa e deveremos ver ataques dos 2 nas 3 etapas de montanha.

A briga pelo último lugar no pódio também deve ser boa, pois ao contrário do que eu imaginava Pozzovivo(Bah) ganhou tempo em cima do Pinot(Grup). Agora Pozzo, o melhor italiano, tem 1m08seg de vantagem para o 4o lugar e irá grudar na roda do Froome e do Pinot. Froome(Sky) voltou a brigar por esse pódio. Com o 4o na etapa ele saltou de 7o para 4o na geral e só a 41seg do Pozzo e com a melhor equipe desses 3. Froome e Poels irão atacar com certeza, mas não enxergo ele ameaçando o 2o lugar do Dumoulin. Se acontecer, deve explodir no dia seguinte, como aconteceu no dia seguinte ao Zoncolan.

Como nota embaraçosa as punições de tempo dadas aos espertinhos da equipe UAE, que se aproveitaram para surfar o vácuo dos parceiros de equipe quando estavam fazendo ultrapassagens. A ordem de largada no contrarrelógio é inversa ao ordem na geral. Largando de minuto a minuto, SE o da frente é da sua equipe, ao fazer a ultrapassagem “amiga” de forma lenta e não saindo da linha do ciclista da frente a vantagem é enorme. No final o Aru constava na frente de vários especialista e só a 2seg atrás do Froome!? Ele NUNCA fez top 10 em nenhum contrarrelógio, de qualquer distância, principalmente de um longo. Ridículo e vergonhoso. A mesma vergonha aconteceu com o Pedersen(Trek), que se utilizou do vácuo do veículo que acompanhava o ciclista da frente. Coincidentemente(!?) era também da Trek e ao invés de estar utilizando um dos carros “normais” não é que eles resolveram usar uma Van!?

A etapa de hoje tem tremenda pinta de termos uma enorme fuga, que sairia logo na 1a subida não categorizada. Cabe uma observação. Essa 1a montanha, Molina de Ledro, 10km e média de 5,5%, no Tour de France seria 1 montanha “categoria 1” e aqui no Giro nem categorizado foi.

Desde a largada a estrada aponta para cima e todas as equipes que não tem sprinters em condições de ganhar no sprint final, ou seja, todas menos a Bora de Bennett e a Q-Step de Viviani, irão com tudo nos primeiros 30km para tentar elimina-los da fuga.

Equipe Bora deverá forçar a barra, pois o Bennett passa bem melhor que o Vivivani quando a ladeira é feita em ritmo de fuga, mas a fuga não deverá parar de apertar até se livrarem dos 2. É região vinícola e as imagens serão lindas.

Com os 90km finais praticamente planos o pelotão com os favoritos(GCs) irá ficar satisfeito em tomar 10min com tantas montanhas nas próximas etapas. Imagino uma enorme fuga de uns 20, 30 e o pelotão girando atrás dos seus gregários em volta do belíssimo lago Iseo(abaixo).

Nesse cenário Mohoric(Bah), Ulissi(EF-E), algum Astana(Sanchez/Lutsenko) são meus chutes..

Resumo; A não ser que haja alguma coisa fora do normal, uma queda, um problema tipo o do Chaves(Mit), assistir os 15km finais…

Para comentários e informações ao vivo me seguir no twitter em @MoynaFernando



MaisRecentes

Junho é sempre igual e um assunto domina; contratos para 2019



Continue Lendo

Ultimas provas antes do Tour; Criterium du Dauphine e Tour de Suisse



Continue Lendo

Próximo fenômeno a caminho do pelotão; Remco Evenepoel



Continue Lendo