Como ressuscitar a 1ª semana do Tour de France? - Solta o freio

Como ressuscitar a 1ª semana do Tour de France?



Todo ano vem sendo assim. Todos sedentos pelo Tour de France, normalmente após épicas batalhas no Giro de Itália 1 mês antes e vem a 1ª semana do Tour e é aquele marasmo..

Esse ano, de novo, foram sprints e zero de emoção até os últimos 10km. Até a etapa 6, que foi a chegada no empinado “Mur de Bretagne”, que sempre produz disputas emocionantes, mas foram apenas 2km e 3h de transmissão. Previsivelmente todos pouparam suas energias até o último momento fazendo a etapa looooonga de assistir.

Esse ano tivemos etapa boa MESMO só na 9ª!! Ótima etapa de paralelepípedos, mas até chegarem lá o terreno não oferece muitas opções para etapas mais emocionantes. A largada foi na Bretagne, que oferece a potencial chance de ventos cruzados. Isso seria sensacional para qualquer etapa, mas pode não ventar o suficiente como aconteceu nesse ano e de novo só aconteceu alguma coisa nos últimos 10km.

Para os fãs, como eu, sabemos que não vai acontecer NADA de emocionante e mesmo assim assistimos porque somos muito fãs. Agora, para o entusiasta ou para o potencial torcedor que está casualmente assistindo a transmissão com 2 ou 3 horas é possivelmente a última. Mesmo com incríveis imagens da França fica difícil assistir toda a 1ª semana, 2 horas de NADA acontecendo esportivamente. Sempre lembro da F1 e como não acontece NADA a não ser trocas “emocionates” de posição quando o um favorito entra no box(!?) e como a audiência vem se desintegrando ao longo dos anos.

Se não me engano a última vitória de uma fuga na 1ª semana do Tour foi a 9 anos atrás. Com a redução de 9 para 8 ciclistas por equipe se tornou ainda menos atrativo enviar gregários na fuga numa etapa plana.

Muito disso acontece devido a geografia da França, que não tem montanhas distribuídas pelos pais como na Itália ou na Espanha. Todo ano existe a passada anual nos Alpes e no Pirineus. Um em cada fim de semana. Cada um fica no extremos leste e oeste do país e a ligação entre eles pode ser feita por regiões de médias montanhas. A parte leste e sul da França estão cheias de médias e altas montanhas, além da Massif Central e a região de Vendee. Todas com VÁRIAS opções para tornarem a etapa atraente para que os oportunistas tenham alguma chance de vencerem o pelotão. O problema vem sendo “vender” a largada para as cidades que se predispõe a pagarem uma fortuna para sediar o “circo” do pré prova e a largada da 1ª etapa muitas vezes longe das regiões montanhosas da França. Aí a 1a semana fica comprometida para ligar essas regiões com as de montanhas da França.

Outra coisa, na minha opinião, seria colocar um prólogo ou contrarrelógio individual até a etapa 3. Assim, a ordem da classificação geral(GC) já estaria formada, uma hierarquia entre as equipes e as equipes GCs não teriam que “ajudar” na perseguição as fugas já que não justificaria gastar energia a não ser para proteger seus capitães, comboiá-los até os 3km antes do sprint. Como nesse ano foi contrarrelógio por equipes, além de privilegiar as equipes maiores e com melhores gregários, muitos passam a ter chance de alcançar uma inesperada camisa amarela e assim forçando as equipes realmente favoritas ao GC a ajudarem no controle das fugas.

Etapas de sprint são boas e tem que haver etapas de ligação entre as regiões, mas não é possível não ter pelo menos uma ladeira, um calombo para complicar um pouco?! Ano passado foi ridículo!! 2 chegadas em cidades altamente históricas para o ciclismo, Liege e Pau, mesmo assim conseguiram fazer a etapa plana até a chegada. As 2 com vitória do Kittel, que sofre para passar o menor dos calombos. Uma heresia ele ter o nome associado a vitória nessas 2 cidades.

Semana que vem teremos a 1ª semana da Vuelta da Espanha. Nela veremos a semana inteira com emoções e possibilidades com fugas, briga pela camisa de melhor escalador, sprints e também o já conhecidos “muritos” da 1ª semana da Vuelta. Aquelas ladeiras curtas e empinadas que caracterizam boa parte do terreno e do final das etapas da Vuelta. Assim como no Giro as expectativas para assistirmos as disputas, qualquer disputa, numa grande volta já é atendida logo na 1ª semana..

Então, quais as propostas para o Tour? A ASO, organizadora da prova, parece não achar que a 1ª semana tenha sido “chata”. Muito pelo contrário..

Que venha a Vuelta!!…



MaisRecentes

Melhores e piores de 2018



Continue Lendo

Qual é o melhor corredor de clássicas em atividade??



Continue Lendo

Vuelta: 1ª vitória em grandes voltas para Simon Yates e equipe Mitchelton!!



Continue Lendo