Virada que credencia o Fluminense



Se alguém tinha dúvida do potencial da equipe do técnico Cristovão Borges para brigar no alto da tabela, ela acabou na noite da última quarta-feira. Com conjunto cada vez mais entrosado, o Fluminense foi capaz de superar um primeiro tempo muito abaixo das expectativas para, com a mesma formação, transformar uma derrota parcial em goleada.

E a vitória do Tricolor das Laranjeiras teve um nome: Walter. O camisa 18 tinha a responsabilidade de substituir  ninguém mais, ninguém menos do que o camisa 9 da Seleção Brasileira e o fez com louvor. O atacante correu, brigou, incomodou, tentou fazer gol de bicicleta e no fim, deitou e rolou. Uma virada que veio com a marca do time de Cristovão. Paciência com a bola no pé e muita velocidade nos contra-ataques.

O trio de meias formado por Wágner, Conca e Sobis passou boa parte do jogo em desvantagem no duelo contra os volantes adversários. O argentino, muito bem marcado, pouco criou. Wágner e Sobis cresceram de produção no segundo tempo, como quase toda a equipe. O camisa 23 foi fundamental no auxílio a Wellington Silva na marcação. O lateral-direito foi o ponto baixo do Flu na partida ao fazer um pênalti desnecessário em Antônio Carlos.

E a noite reservou ainda duas estreias pelo lado do Tricolor das Laranjeiras. Primeiro, o goleiro Felipe Garcia, que recebeu a oportunidade após Diego Cavalieri não ser liberado pela Fifa para atuar ontem. O arqueiro não teve culpa nos gols sofridos e fez boa defesa em chute de Pato ainda no primeiro tempo. Além dele, o garoto Marlon, grande promessa da base de Xerém, também debutou no Maracanã. Tendo entrado no lugar de Elivélton, machucado, não sentiu o peso do primeiro jogo e mostrou personalidade. Olho nele!



  • geraldo lourenço

    Srs.

    É inquestionável que o FLUSÃO, do meio para frente É O MELHOR TIME DO BRASIL.

    Já imaginaram o time com dois zagueiros firmes e com recursos e um 1º volante de categoria no lugar do diguinho ?

    O time esta mostrando: competência, compromisso, vibração, sangue, determinação, vontade, entrega, enfim, tudo que o tercedor sempre quis ver, bastou para isso, entregar o time a um treinador que conhece futebol, o time deixou de ser um bando.
    Ação entre amigos, altinhos, futivoleis, rachão, pique esconde, pular amarelinha, deixaram de existir e começamos a treinar, fazer coletivos, ter tática, padrão de jogo e seriedade.
    O resultado esta aí, um time vibrante, as duas derrotas que tivemos foram injustas, jogamos mais.

    PARABÉNS GUERREIROS, PARABÉNS CRISTÓVÃO, PARABÉNS PETER.
    AVANTE FLUSÃO.

  • Frederico Gosling

    Com certeza não assistimos o mesmo jogo, pois embora o São Paulo tenha virado o placar ainda no primeiro tempo, com um gol bisonho, em momento algum o São Paulo teve o domínio do jogo. O palhaço do Ceni, no intervalo de uma uma entrevista dizendo” nós estamos com 80% do domínio da partida, no segundo tempo vamos consolidar a vitória”. Consolidou?

  • ADEMIR SILVA

    NÓS TRICOLORES ORIGINAIS DEMOS UMA LIÇÃO DE GARRA E COMPETENCIA AO SR
    MURICI RAMALHO, HOMEM QUE QUE ESNOBOU O FLUZÃO DURANTE SUA SAIDA, TRATA-SE DE UM GRANDE TREINADOR, MAS AS VEZES FALA COISA COM COISA, DIZENDO QUE O FLU NÃO TEM UM CT PARA TREINAR, SE TIVE SERIA O MELHOR DOB RASIL, MAIS SR MURICI JÁ ESTAMOS EM FASE DE CONSTRUÇÃO QUE SERÁ O MELHOR DO BRASIL NA BARRA E GRAÇAS AS SUAS PALAVRAS A DIRETORIA SE MEXEU PARA A CONSTRUÇÃO. E O WALTER , CONCA E RAFAEL SOBIS QUE BELEZA DE TRIO E OLHA QUE O W NEM ESTA CHEGANDO AÍ O BICHO VAI PEGAR PARA OS ARCO-IRIS.

  • Alexandre

    Eu Concordo com tudo que o amigo internauta postou o Srº Geraldo Lourenço do meio para frente temos um time decente mais a defesa e o primeiro volante não condizem com as tradições tricolores. Acho que uma troca entre Wágner e Cícero seria uma boa pois o Wágner é de lua e o Cícero é mais regular, tem uma bola alta muito boa e joga em mais posições. A vida do W.Nem seria de grande valor para agregar a tão precisada velocidade de ataque. A Defesa precisa-de de quatro jogadores os 2 zagueiros e os 2 laterais são fracos. Dá até para quer o galho do Bruno e do Gum, mais o Elivélton é horrrrrrível e o Carlinhos só dorme. Basta contratar um zagueiro que saiba sair jogando com técnica e um lateral bom e o volante que saiba passar e dialogar com os meias isso o Diguinho não sabe.
    Saudações,
    Tricolores

  • Rafael Lucena

    O time no segundo tempo mostrou muita disposição, com alterações táticas do Cristóvão, que não é o Buarque, mas faz o time jogar por música. Ele no segundo tempo inverteu a posição do Jean com o Diguinho, fazendo este deixar de jogar de primeiro volanto, para segundo volante. Outra modificação tática, foi que o time compactou mais, marcando no campo adversário e segurando um pouco mais os laterais, dando mais liberdade aos meias. Não concordo com o comentário acima quanto a sacar o Diguinho. Ontem ele foi o melhor do time junto ao Walter, aliás, Diguinho tá jogando bem o ano todo, se apresentando pros jogos, deixando para trás o Jean no ano, com certeza. Quanto ao Goleiro, o Felipe mostrou insegurança e o Titular na ausência do Cava, deveria ser o Kléver, bom goleiro da base que via evoluir muito ainda, com certeza, ainda mais que o empréstimo do Felipe termina agora no meio do ano e era reserva do Náutico, sem menosprezo ao Timbú, mas nossa história de goleiros me gabarita a falar isto. ST

    • Reforço às palavras do internauta quanto a importância do Diguinho no esquema do Cristóvão.Gostaria de lembrar aos críticos do futebol dele que ,o Diguinho, tem sido o maior ladrão de bola do BRASILEIRÃO e tem evoluído muito na armação das jogadas e frequentemente tem se apresentado na entrada da área participando do ataque.galera o momento é de apoiarmos pois estamos no caminho de mais um título do BRASILEIRÃO?

    • luis

      parabens lucena por ver o momento , realmente o diguinho nesse ano é um dos jogadores mais regulares do fluminense , tem jogado mais que o jean nao tem errado os passes e até tem feito lançamentos , infelismente ele é cobrado pelo que jogava , e também concordo sobre o goleiro e espero que o marlon tenha mais oportunidade , até porque para voce reforçar o setor primeiramente tem que esperimentar quem ja se encontra no grupo………..muricy aqui é o fluminense meu filho

  • Luiz Carlos

    Uma pintura a vitória do Flu sobre o SP. E não goleou um time qualquer não. O SP é uma potência. Com alguns ajustes, quais sejam, mais um zagueiro ou dois, um lateral esquerdo para a reserva de Carlinhos, um volante e um reserva para o gol podemos pensar em título.

    SDST

  • Altamiro

    Acho que, pelas boas atuações no ano passado, Kléver merece uma chance no gol tricolor.
    É arrojado, tem elasticidade e reflexos ágeis.

  • Ademir Cunha

    Concordo em parte com Alexandre, nossa zaga é muito fraca, os laterais no mercado não vejo melhores, a menos que tragam de volta o Mariano. O Manoel do Atlético-PR está aí solto no mercado, seria uma opção para a zaga.
    Saudações Tricolores.

  • Waltinho arrebentou mais duas partidas ADEUS Fred siga seu caminho já deu o que tinha pra dar. Só esta faltando uma dupla de zaga boa ai ninguém segura o FLUZÃO, com o Cristovão o time se acertou jogando sempre no ataque e bem armado não recuando quando leva um gol, mas sim buscando o resultado não se encolhendo. PARABÉNS FLUMINENSE

  • Lucas Menezes

    Vamos lá.. Infelizmente muitos ainda olham o Diguinho do passado. De fato, nunca foi um craque, mas também nunca foi esse jogador horrível que muitos falam. Se olharmos para esses jogadores que estão no nosso time, seria muito pouco provavel acreditar que essa formação poderia dar certo. Afinal de contas, Diguinho nunca foi primeiro volante. Mas felizmente, ele tem jogado bola, tem calado a boca de muitas (já diria o waltinho), e sim, é uma das peças mais importantes desse time. Nos dá uma consistência defensiva quase inimaginável. Sim, o Diguinho é o cara mais injustiçado desse time. Apoio ele como titular em gênero, número e grau! E que continue assim! Parabéns Diguinho! Parabéns guerreiros! Parabéns Cristóvão por resgatar o nosso orgulho de torcer por esse clube tantas vezes campeão! ST

  • A DIFERENÇA QUE A CAMISA FAZ

    Aquele uniforme reserva só deu azar: 3 jogos e 2 derrotas!

    Até que enfim o bom senso trouxe a tradicional e belíssima camisa verde-branco-grená, a mais charmosa que há, de volta ao campo de batalha. Na vitória de 5 x 2 contra o São Paulo, o Walter afogou o ganso e ainda teve pato e frango de acompanhamento. Depois do banquete, deitou e rolou – ah, se aquela bicicleta entra!

    O uniforme faz parte da tradição e da história de todo grande time. Uma camisa leva tempo e custa muito suor e lágrima para entrar na alma do clube e se transformar na segunda pele do torcedor. E mais importante: faz uma enorme diferença, ainda que subconscientemente, contra os adversários, que reconhecem uma camisa de peso quando a confrontam respeitando-a muito mais do que qualquer uniforme reserva, por mais belo e elegante que seja. Os jogadores, os dirigentes e a torcida vão e vêm, mas a tradição da camisa permanece e se fortalece a cada geração.

    Alguns uniformes tradicionalíssimos do futebol brasileiro estão simplesmente irreconhecíveis nesta temporada. O Nº 1 do Fluminense, milagrosamente, manteve a discreta sobriedade e a charmosa elegância do estilo retrô, que consagrou as cores que fazem parte do coração dos tricolores, cores exaltadas logo na primeira estrofe do próprio hino do clube, e também na reverenciosa saudação aos irmãos torcedores. Esse uniforme reserva até que é discreto, mas o branco é muito sem graça e não tem apelo algum. Não por coincidência, o uniforme titular, usado na 1ª Rodada do Brasileirão, foi responsável pela primeira goleada.

    Será que o uso exagerado do uniforme reserva (3 vezes em 6 jogos) é pura jogada de “marketing” para vender camisa nova? Eu não adiro!

    Pensem nisso, Tricolores de Coração!

  • geraldo lourenço

    Srs, que defendem o futebol do Diguinho, quero dizer que: o Diguinho não é jogador que eu gostaria de ver no meu time – isso é questão de ponto de vista, como o é, o fato dos Srs. defendê-lo.
    O fato de não escalá-lo no meu time não é falta de apoio ou o que quer que seja, mas sim questão de gosto, preferência.
    Reconhecemos que tem dado conta do recado, mas infelizmente isso é questão de tempo e logo voltará a ser o bom e velho Diguinho.
    Tá certo que o setor defensivo melhorou, mas o mérito não é só do Diguinho, o mérito é da postura do time, da ajuda que o Wagner e o Sóbis estão dando ao setor.

MaisRecentes

Torcida única – Qual deve ser a posição do Fluminense?



Continue Lendo

Fred será protagonista em mais um Fla-Flu?



Continue Lendo

Vale apostar em Enderson Moreira?



Continue Lendo