A melhor das opções



Desde o fim de julho de 2013, quando demitiu Abel Braga, o Fluminense já teve três técnicos: Vanderlei Luxemburgo, Dorival Júnior e Renato Gaúcho. Nenhum desses nomes foi unanimidade entre o clube e a parceira Unimed. Desta vez, a diretoria agiu rápido e anunciou Cristovão Borges.

Dentro dos nomes apresentados e da atual realidade do grupo, considero que a escolha foi acertada. Cristovão não é um nome tão badalado e desde que virou treinador efetivo, após o AVC do amigo Ricardo Gomes, teve bons trabalhos a frente de Vasco e Bahia.

No Cruz-Maltino, ele ficou pouco mais de um ano como treinador e fez um bom trabalho, levando o clube ao vice-campeonato brasileiro e as quartas-de-final da Libertadores. No Campeonato Brasileiro do ano passado, ele assumiu o Bahia e evitou o rebaixamento do time.

Se Cristovão não for envolvido na confusão da relação Fluminense-Unimed, ele terá um bom time e alguns bons reservas em mãos, mas precisa de reforços para a zaga. Como já disse no título desse texto, foi a melhor escolha.



  • Calebe

    Dorival Jr. teve bons resultados, e dentro dos limites do time do ano passado, desempenhou bem o seu papel. Gostaria que ele tivesse continuado ao invés do ex-boleiro Renato Gaúcho, mas enfim… toda sorte ao Cristovão !!

  • espero que deem tempo e tranquilidade para o cristovao trabalhar e contratem logo se nao fica dificil

  • Fernando

    Também acho que foi a melhor escolha.

  • Mauricio

    Acho acertada a demissão do técnico Renato Gaúcho, o time do Fluminense mesmo com bons jogadores era um verdadeiro bando em campo, faltava padrão tático e treinamento. A opção pelo Cristóvão é boa, tomará que a política interna não complique o trabalho dele. Mas, o balanço no elenco com a contratação de um zagueiro, lateral esquerdo e um atacante veloz será importante para os desafios que enfrentaremos em 2014. Que o time passe a jogar com garra e determinação e lute até o último minuto pelo pavilhão tricolor.

  • jose cláudio

    Gostaria de saber do Matheus Babo se o zagueiro Welington Carvalho tem condições de jogar no Fluminense,pois vi ele jogar contra o Corinthians, e por sinal jogou bem, mas depois sumiu,o que houve com este jogador que só fica no banco de reservas?

  • ROBSON

    QUE FIQUE BEM CLARO, O PROBLEMA NÃO ESTÁ SÓ EM TREINADORES. O FATO RESIDE EM COMBINAR ACERTAR E DAR CONDIÇÕES DE TRABALHO A TODOS. EH CLARO TAMBÉM QUE AS PEÇAS HUMANAS TEM QUE SEREM ADEQUADAS. O FLU FINGE QUE PAGA JOGADORES FIGEM QUE JOGAM, HÁ NO MEIO FRUTAS PODRES, EX FRED JÁ DEU O QUE TINHA QUE DAR AGORA EH PANELEIRO. A BRIGA DE VULGO T

  • max

    QUEM É CELSO BARROS DIANTE DA GRANDEZA DO FLUZÃO? SE ELE É O MANDACHUVA PORQUE NÃO DISPENSOU FRED, JEAN, DIGÃO, EUZÉBIO, VALÊNCIA E OUTROS ENGANADORES????? O FLUZÃO CAIU PRA SEGUNDONA GRAÇAS AO PATROCINIO DE CELSO BARROS. EU NÃO ME IMPORTO DE NÃO SER CAMPEÃO, mas ocb tb tem de tomar vergonha , o flu e maior do que ele cb.

  • max

    Entre termos um parceiro que se autoatribui a função de determinar como é que as “coisas” têm de funcionar no clube e não termos nenhum, eu preferiria a 2ª opção. É claro que não existe um tricolor que não tenha muito a agradecer ao CB por tudo que ele nos ajudou. Isso é um fato. Mas a partir do momento em que ele, CB, se achou no direito de se meter no dia-a-dia do clube, impondo a sua vontade apoiado na “força” do seu dinheiro, acabou que ele tornou esta parceria problemática. Por isso entre a possibilidade de “descermos ao inferno” por conta de uma eventual interrupção da parceria e vivermos neste “limbo” em que estamos vivendo por causa dela, eu sinceramente preferiria enfrentar a 1ª situação. Pelo menos nela nós estaríamos lidando com uma realidade que foi por nós criada e não com uma que foi criada por gente de fora. A nossa independência é tudo e nós não podemos perdê-la por causa do dinheiro de um patrocínio. Sds tricolores

  • max

    Essa polêmica está sendo totalmente desnecessária. O Celso Barros precisa ser mais patrocinador e deixar a gerência do clube para o Presidente. O Peter Siemsen precisa ser menos arrogante e mais politico. Ele tem que respeitar a opinião do patrocinador e este, por sua vez, tem que acatar as decisões da diretoria. O Celso Barros avalia que a saída do Renato prejudica o time em relação ao compromisso com o Horizonte. Essa vaca já foi para o brejo. Qualquer resultado será lucro. Precisamos focar o Campeonato Brasileiro para não fazer feio. Foi boa a troca do técnico diante da passividade do time nos últimos jogos. Ficou claro que o Renato não agradava ao grupo. Eu sugeriria que o Presidente aceitasse a volta do Rodrigo Caetano ou do Sandro Lima como forma de compensar à Patrocinadora pela troca do técnico. Precisamos de alguém para apaziguar os ânimos e tudo voltar à normalidade.

  • Acredito ser 100% melhor que o treineiro de rachão, mas terá que provar, inclusive fazendo as mudanças necessárias na zaga e meio, mesmo sem os reforços. Terá que jogar como grande que é, de preferência com dois meias de qualidade, coisa que o treineiro insistia em não colocar.
    Fazer do Bruno um lateral e não meia, pois tem a mania de driblar para o meio ao invés de ir para o fundo do campo.
    O mais importante;…treinar e dar condições físicas ao time.
    Boa presidente,…e sorte Cristóvão.

MaisRecentes

Torcida única – Qual deve ser a posição do Fluminense?



Continue Lendo

Fred será protagonista em mais um Fla-Flu?



Continue Lendo

Vale apostar em Enderson Moreira?



Continue Lendo