O mistério e a cautela de Renato Gaúcho



Fala, galera tricolor.

No treino deste sábado, nada da definição no time. Segue a dúvida sobre quem jogará no lugar de Jean. Como de praxe, o técnico Renato Gaúcho optou pelo mistério.  Não acredito muito na eficácia dessa tática, mas enfim, cada um tem a sua forma de trabalhar e a do Portaluppi é essa. Rafinha e Wágner são os principais candidatos e, analisando o elenco tricolor, dificilmente a decisão fugirá dessas duas opções. Talvez Chiquinho possa surgir como alternativa.

Dentro de campo, nenhuma pista. Já nas palavras, o treinador deixou subentendido que deve mesmo optar pela opção mais óbvia e cautelosa, que é a entrada do Rafinha, que é um volante muito mais de contenção do que o próprio Jean. Precisando apenas de um empate para chegar à final, não dá para criticar a escolha do Renato. Mas questionar nós podemos. Por que não Wágner? O camisa 10 é o vice-artilheiro da equipe na temporada ao lado do Conca com cinco gols e tem dado conta do recado em todos os jogos em que foi exigido.

Mas aí surge a pergunta: o time não ficaria muito ofensivo? É claro que sim. Afinal de contas, sai um volante para a entrada de mais um meia clássico e com poder de marcação limitado. É risco que um time com uma grande vantagem nas mãos não tem porque correr e como tem sido em toda sua carreira, Renato não vai pagar para ver.

Mas depois, não venha com o discurso de equipe mais ofensiva do Brasil. Um pouco de cautela realmente não faz mal a ninguém, inclusive nas palavras.



  • Não concordo, já não concordava com o trio de cabeças de área e muito menos agora que perdeu o Jean que ainda consegue, “quando bem” chegar ao ataque como fez no lance do gol, mas daí colocar o Rafinha…o comentário é que colocando o Wagner o time ficaria muito ofensivo…muito é demais, pois o Wagner é meia, já jogou de segundo cabeça de área, porém é mais habilidoso e tem um bom arremate de fora e chega mais ao ataque… fica muito ofensivo com o Sobis, mas ainda prefiro este ao Rafinha… como ficar muito mais ofensivo se o adversário virá com o trio de atacantes, como fez no jogo anterior e sendo assim ficará com um a menos no meio(3) e o FLU com quatro… jogar pelo empate é suicídio, sem contar que tirando o último jogo, o FLU sempre levou gols jogando com o trio no meio. Acredito que com o Wagner o FLU ficaria mais com cara de time, pois as melhores partidas foi jogando no 442, isso ainda quando contava com o Deco(bem) e o Thiago Neves. Tem mais, pois com o Rafinha, prejudicaria ainda mais o Conca que teria uma marcação maior que o normal, já que seria o único com capacidade de fazer a bola chegar aos atacantes, tendo em vista que o Vasco está lançando os atacantes de lado justamente para segurar os nossos laterais. Não precisa ser técnico para enxergar o óbvio, jogando com o Rafinha será pedir para perder.

    • Uelson

      Caro Almir, belo comentário. Parabéns e boa sorte para nós hoje. sds tricolores!

      • Depollo

        Perfeito Almir.

  • Renato , é Wagner e pronto, se recuar com Rafinha , o Vasco vai prá cima e aí aparece os rombos na zaga, porque GUM e Elivelton, não estão jogando nada. É melhor partir para cima do Vasco porque se fizermos um gol vai bater desespero neles , aí é trabalhar bem a bola com Walter ou CONCA e fechar o caixão. O time deles só corre, o que não é o nosso caso, time técnico e lento.
    Castilho

  • Meus parabens almir, e mais ou menos isto que espero e vamos ver o que vai dar.

  • Sirlene

    Acredito que a melhor formação para o Fluminense na atualidade devido a qualidade dos zagueiros do elenco e principalmente dos titulares Gum e Elivéton fosse escalar o time no 3-5-2, dando mais poder de marcação e força ao setor (que diga-se de passagem é o mais frágil da equipe). Ao invés de 3 volantes por que não 3 zagueiros?
    Com esse esquema de 3 zagueiros os alas (Bruno e Carlinhos) teriam mais liberdade para apoiar, deixando a equipe mais rápida e com mais opções de ataque mesmo com o Walter e o Fred jogando mais fixo no ataque. Jogariam como alas tendo a cobertura dos volantes e dependendo a de mais um zagueiro quando o adversário atacasse. Até porque o vasco vem com 3 atacantes e 3 no meio campo, com isso o Fluminense teria maior número de jogadores (5) no meio campo que o vasco (3).
    O time poderia ser este:

    Diego Cavalieri, Gum, Elivélton e Wellington Carvalho (Leandro Euzébio); Bruno, Diguinho, Valencia, Conca e Carlinhos; Walter e Fred.

  • Felipe Menezes

    Pelo jeito vcs do Lance! também não acompanham futebol…

    “Rafinha, que é um volante muito mais de contenção do que o próprio Jean”

    Aonde isso?

    Rafinha joga ou como 2º ou 3º homem de meio campo (já jogou até de ponta direita no ano passado), da mesma forma que o Jean… O infeliz que comanda o time nesse momento disse que ele tem as mesmas características do Valencia. Isso mostra o quanto esse cidadão sabe sobre a equipe…

    Lamentável!

  • Cezar

    Não sou treinador de futebol, sou torcedor e apenas darei meu palpite de time ideal na minha humilde visão. Cavalieri, Bruno, Gum, Helivélton, Carlinhos, Valencia, Diguinho, Conca, Walter, Sóbis e Fred… Vamos ver né…

  • Pedro

    Qualquer coisa menos essa nulidade que é o Wagner, esse cara é muito fraco já vai pra 3 anos de Flu e nunca vi uma grande partida dele, o máximo que vi foram alguns lances e alguns gols, gols esses que acabam escondendo o fraco futebol que ele apresenta e iludindo a todos, só por que fez gol jogou bem ? Reparem bem quando ele joga, só da passe lateral ou pra traz, nao arma uma jogada, definitivamente nao é um bom jogador meia armador que nao arma nada se resume a alguns chutes de fora da área… Que entre o Rafinha que pelomenos tem disposicao, chega bem ao ataque e é veloz.

  • Sirlene, excelente o comentário, o único e grave problema é que se o Adilson conseguir neutralizar o CONCA, com uma marcação cerrada, o Fluminense não ia chegar ao ataque. Fred e Walter são lentos, não teríamos nenhum atacante rápido e Valencia e Diguinho só desarmam, não acertam um passe e nem aparecem no ataque. Seria interessante esse seu time para segurar o resultado, mas aí corre-se o risco de chamar o Vasco para nos atacar.Nesse jogo acho que temos que entrar com o Wagner apesar da irregularidade dele, pelo menos divide as atenções com o CONCA.
    O importante é se classificar, depois trataremos do framengunho.
    ST,Carlos Castilho

  • Daniel Pereira

    Sempre achei esse Adilson Batista um técnico medíocre. Mas depois de ver o Vasco, com peças individuais de menor qualidade, jogando muito mais compactado e coletivamente, dá para perceber nas mãos de que treinador nós estamos entregues.
    Vai se preciso a desclassificação hoje e para o Horizonte em pleno Maracanã para ver que Renato Gaúcho é uma invenção como treinador?

MaisRecentes

Torcida única – Qual deve ser a posição do Fluminense?



Continue Lendo

Fred será protagonista em mais um Fla-Flu?



Continue Lendo

Vale apostar em Enderson Moreira?



Continue Lendo