Quais as dificuldades de ir ao Engenhão?



O presidente do Fluminense, Peter Siemsen, enumerou alguns motivos pelos quais a torcida tricolor não tem comparecido em grande número no Engenhão. O tumulto, tanto por conta do trânsito como na hora de entrar no estádio foi a essência escolhida pelo mandatário do clube das Laranjeiras.

– Uma vez eu saí do centro às 19h30 e cheguei no Engenhão, duas horas e meia depois, isso complica muito a ida do torcedor. Outra coisa é a falta de controle da venda de bebidas ao redor do estádio. Assim, os torcedores ficam no entorno do Engenhão bebendo e querem entrar, todos jutos, cinco minutos antes da partida começar. Isso acaba afastando quem quer evitar qualquer tipo de tumulto – disse.

E você, tricolor, quais você considera o(s) principal(is) problema(s) que você enfrenta para ir ver os jogos do Fluminense, no Engenhão?



  • Marcelo Tricolor

    A chegada e saída do Engenhão é um martírio. Em um jogo da Libertadores contra o Arsenal, saí de casa no Humaitá às 20 horas, ou seja, depois da hora do rush, para um jogo às 22 horas, fui pela Rua vinte e quatro de maio, cheguei às 22:30. Duas horas e meia no trânsito. No jogo com o Boca fui de trem. Desta vez cheguei bem, porém na saída, já de cabeça quente, esperamos o trem sair da Estação até à 00:45 … depois pegamos o metrô e o ônibus integração até o Humaitá, resultado, chegamos em casa quase 2 horas da manhã, tendo que trabalhar no dia seguinte. Ir ao Engenhão é muito sacrifício. Quanto a cervejinha concordo com o Presidente do nosso FLUZÃO, por que não pode vender dentro do estádio se pode vender lá fora livremente? É pura demagogia. Por que não são consultados os torcedores ao invés de deputados que são ligados às igrejas evangélicas? Esses não comparecem aos estádios de futebol e, nas suas igrejas já não são vendidas bebidas alcoólicas.

  • wagner

    O engenhão não dá emoção ao torcedor, não dá eco, o o som do grito da torcida é ruim demais , além de ser muito ruim de se chegar, de se estacionar, e pra gastar 30 ou 40 reais por jogo é melhor ver um jogo em um barzinho ou churrasco com os amigos !!

  • tricolor

    Eu moro no Maracanã relativamente próximo do Engenhão e não consigo chegar em menos de 1h de ônibus e subir e desce a estação é complicado quando você está com idosos e deficiêntes. Normalmente vou com minha mãe e a minha avó de 83 (que é torcedora fanática) o trajeto é curto daria para ir de taxi sem muito custo no entanto com os engarrafamentos rotineiros e a falta opção de caminho inviabiliza alterativa. O trem também não é tão fácil as duas estações mais próximas a noite normalmente estão desertas escuras e sem escadas rolante (ir com uma idosa não uma boa ideia) e inseguro. O Horário não ajuda. Quem conhece a Cidade sabe que o Engenho de dentro é passagem quase obrigatória para muitos bairros da Zona Norte. O Estádio é bem localizado Geograficamente mais as vias não foram adaptadas e não comportam o fluxo do horário do Rush normal e ficam intransitáveis com os jogos da 19h e das 20h. Normalmente vou para o setor Sul e saio antes do fim do joga já que para locomoção da minha vó é mais fácil. Aquelas rampas são ajudam aos idosos são muito longas, já levei 30min para desce com vó e minha mãe que tem problemas de locomoção é extremamente cansativo. Na saída não tem transporte os ônibus não param os taxis querem escolher as corridas o trem demora. Se o jogo começa as 22h tenho que sair de casa as 19h, e na saída 24h chego em casa 1h30min.

  • Tiago

    Eu, que sou de São João de Meriti, cidade da Baixada Fluminense que fica ao lado da cidade do Rio de Janeiro, começo falando de como era ir ao Maraca e depois vou falar de como é ir ao Engenhão, ou seja, vou fazer uma comparação. Quando era no Maraca, era só ir ANDANDO para o metrô e pegá-lo na Pavuna. Da estação da Pavuna até o Maraca é exatamente MEIA HORA. Desde a hora que saio de casa eu estou dentro do Maraca em 40 minutos apenas. De carro, depende do trânsito, dependendo do horário, chegamos lá em 25 minutos. Com trânsito no máximo em 50 minutos. Já no Engenhão, NÃO DÁ PARA A GALERA DA BAIXADA FLUMINENSE IR SEM SER DE CARRO. Tem que ser de carro. Daí, pegamos um trânsito GROTESCO e demoramos mais de 1 hora e meia SEMPRE para chegarmos ao Engenhão. Para írmos de condução daqui, temos que pegar pelo menos duas e demoramos também uma hora e meia mais ou menos por conta de termos que pegar 2 conduções. O GRANDE PROBLEMA está na LOCALIDADE. Ir para o CENTRO DO RIO DE JANEIRO é muito mais logistico do que ir para a região do ENGENHÃO. Para finalizar, eu falo o seguinte para todos: quando o MARACA voltar, segurem a torcida do FLUZÃO, pois vai ser mais 50 mil todo jogo bom como esse que tem contra o Grêmio. S.T.

  • As razões do nosso presidente foi correta e digo mais, sou de VOLTA REDONDA e costumava ir com certa frequência ao MARACA. No ENGENHÃO não tinha ido até o jogo contra o BOCA na libertadores, com receio por tudo que se falava do estádio e digo que foi um horror, pois saí de VR às 15;30hs e quando já estava dentro do estádio a bola estava rolando uns 10 min. Além de tudo que foi dito tive que pagar RS 40,00 e usar a garagem de um morador ao redor pra poder ver o jogo. Outra coisa muito importante é que a torcida do FLUMINENSE em grande maioria usa carro para ir aos jogos e como estacionar no ENGENHÃO um lugar sem entrada e sem saída. Volta MARACA, alô presidente, o MARACA é nosso….

  • MARCO AURELIO CORREIA DA SILVA

    SEMPRE VOU AO ENGENHAO VER O FLU E NA VOLTA E A MESMA COISA A CONDUÇAO DESAPARECE , PIS O TREM NA SERVE PARA QUEM MORA EM IRAJA . RESULTADO E BRONCA DA PATROA TODO JOGO QUE E QUARTA FEIRA.NO QUE FALTOU LUZ PELA LIBERTADORES , ESTAVA COM MEU FILHO QUE ESTUDA DE MANHA E CHEGAMOS EM CASA QUASE 3 DA MANHA , POIS OS POUCOS ONUBUS NAO PARAVAM . POR FAVOR VOLTA MARACA .

  • VINICIUS REZENDE TOLEDO

    Primeiro de tudo: PREÇO! O povo brasileiro não tem condições financeiras de acompanhar o ritmo do futebol, que está cada mais alto, seja para adquirir uma camisa oficial do seu clube, ou para ir ao estádio, junto com a sua família. Sobre o trânsito, não o culpo, pois o carioca que trabalha, já está acostumado com a bagunça, portanto, temos que nos adequar a chegar mais cedo. Hoje em dia, o torcedor tem que se habituar a comprar o ingresso com antecedência nos pontos de venda físicos, ou até mesmo, na Internet (baita conforto!), e não deixar para comprar em cima da hora. Destaco que a Integração Metrô/Trem, funciona maravilhosamente bem, só necessitando ter a segurança reforçada em dia de clássico.
    No meu entendimento, o problema é de PREÇO. Temos um salário mínimo de R$ 622,00 e jogos com ingressos custando entre R$ 20,00 e R$ 60,00. O gigantesco avanço financeiro do futebol, matou logo de cara, a turma dos geraldinos que sempre foram fiéis! E a classe média atual, que rala bastante para pagar as contas em dia, já não olha para o futebol como antigamente. Ninguém está disposto a comprometer parte do seu salário, em futebol! Uma família com rendimento mensal de R$ 5.000,00 (casal e dois filhos), geralmente tem despesas que comprometem quase toda esta renda e se bobear, ainda fica faltando. Como é que esta família vai a um Fla x Flu, com o ingresso mais barato de R$ 30,00 e mais caro, de R$ 60,00? Pai e Mãe = R$ 60,00 e 2 filhos pagando meia = R$ 30,00 / Estacionamento: R$ 25,00 / 4 Refrigerantes = R$ 20,00 / 4 salgados = R$ 24,00 / Gasolina = R$ 20,00 / Total da brincadeira: R$ 160,00 de bobeira em um jogo! Aí no outro final de semana tem outro e no mês inteiro, um total de 4/5 jogos. Há condição?

    Em que mundo os CLUBES de futebol vivem? Estamos no Brasil! O problema é PREÇO! Querem jogar para cima do trânsito, condução e outros, mas o problema principal é preço.

  • Alessandro

    Como o Wagner disse, o grande problema do engenhão á acústica. Estádio estilo europeu que não agradou a nós cariocas. O estádio parece um prédio de tão alto que é, o espaço entre as cadeiras são pequenos demais. Quando vamos a um estádio não queremos só ver o jogo, também queremos ver o show da torcida. Como a torcida vai conseguir dar show num estádio sem acústica e desagregador, com vários setores.

    Mesmo com todos os problemas mencionados acima, o principal fato está no ALTO VALOR DO PREÇO DO INGRESSO. Pagar R$ 40,00 do ingresso + 12 de passagem + 30 de lanche por jogo são: R$ 82,00. Mesmo que o torcedor tenha uma condição boa, fica dificil gastar R$ 80,00 em média por jogo.

    Ta,bém não adianta o presidente colocar o ingresso a R$ 10,00 dos setores Norte e Sul, pois de lá não da para ver o jogo. Os setores que deveriam ter o preços diminuidos são o Leste e o Oeste tanto inferior quanto superios.

    Isso já faz parte do plano da copa do mundo, devagar eles estão afastando o povão dos estádios e levando cada vez mais elite para os estádios.

    Quanto menor for o público, mais facil fica de se controlar.

  • Mario Cezar

    As pessoas quando analisam as dificuldades de assistir aos jogos no Engenhão, invariávelmente o fazem comparando com o Maracanã. Evidentemente que o acesso ao Maracanã é muito melhor.
    Entretanto, se compararmos com outros Estádios, o Engenhão certamente será bem melhor.
    As pessoas precisam conhecer melhor os acessos ao Engenhão. Por exemplo; quem vem da zona sul, deverá vir pelo tunel Rebouças, pegar linha amarela e na saída 2, última antes do pedágio, pegar a Rua Borja Reis, seguir até a Rua Adolfo Bergamini e no seu final ou em ruas ao redor, procurar um local para estacionamento. Procurar a estação e atravessar para o outro lado, saindo em frente ao estádio. O mesmo se aplica para quem vem da Barra da Tijuca.
    Várias linhas de ônibus do centro para o subúrbio passam no mesmo local. A dica esta sendo dada para os que mais reclamam, que são os moradores da zona sul.
    O estádio esta entre os melhores do Brasil e não procede tanta reclamação.
    A quem prefira ir para o da Cidadania, Moça Bonita, São Januário, Macaé e outros …
    Concordo plenamente com o comentário sobre a ENTRADA, onde as pessoas ficam bebendo e depois e ao mesmo tempo, faltando 05 minutos para início do jogo, querem o acesso facilitado.
    Adoro uma cervejinha e que vai muito bem nos dias de jogos e podem perfeitamente ser vendida dentro dos estádios. Não é a cerveja que provoca brigas nos estádios, são os marginais que marcam encontros para se matarem em nome do que chamam de paixão pelo seus clubes. Vê se pode.

  • Leandro

    Na boa quem fez este estadio só estava pensando nos moradores locais. Eu, para chegar no estadio tenho que pegar um ônibus,uma barca e o trem. Tá de brincadeira né?
    Amo meu clube + só para chegar meu ingresso duplica o valor.

  • chicao DF

    Fui com minha familia de Brasilia ate o rio o jogo era em Volta Redonda 160km ,foi muito legal mesmo o FLU perdendo para o Atletico,Eu grito nense mesmo quando o time vai mal… fui ate presenteado antes da partida pelo animador gravatinha (no telao e tudo) galera tricolor estamos vivendo um momento unico, entao tira a B U N D A do sofa e vamos mostrar quem e a nossa torcida, dia 04 11 no MORUMBI vamos estar no meio da galera ,VAMOS GRITAR CAMPEAO saudaçoes tricolores ah parabens PETER nosso pres. e ao torcedor CELSO BARROS.

  • André

    – O Engenhão é um estadio Olímpico, e não de futebol.
    – O campo fica longe da torcida.
    – Não tem acústica, a torcida não se ouve e não é ouvida.
    – Não há segurança nas ruas em volta.
    – As ruas estão em obra, dificultando ainda mais a passagem dos torcedores.
    – Transito pra chegar e pra ir embora.
    – Embora a diretoria tricolor insista que diminuiu o valor das entradas, os ingressos de promoção são sempre dos setores norte ou sul, os dois piores lugares para assistir uma partida no Engenhão.
    – O valor dos ingressos normais, onde a torcida costuma ficar, custam R$40,00 e R$50,00
    – Na internet não é disponibilizado os ingressos de meia entrada, obrigando o torcedor a pagar o valor integral e ainda a taxa em cima do valor do ingresso.

  • Ademir Santino de Lima

    O acessoa ao Engenhão só é ruim pra quem não conhece os caminhos do Rio de Janeiro. Pra quem vai de carro as dificuldades são as mesmas que temos no Maracanã.
    Tudo leva crer que essa insistência da imprensa em esculachar o Engenhão é porque não é administrado pelo Flamengo…

  • paulo

    Eu tentei ir de carro: caos do trânsito e quase duas horas para chegar e finalmente ao chegar extorsão de flanelinha para estacionar na rua muito longe do estádio. Fui de taxi, gastei horrores para ficar parado no trânsito, desci no meio do caminho e peguei um trem. Fui de trem: a irregularidade, insegurança e lotação dos trens mesmo em horários fora do rush são expressivas. Depois de chegar, caos para comprar ingresso e poucas bilheterias além do assédio de cambistas. Lá dentro, o campo é longe para caramba, aquela pista de atletismo serve para que mesmo? O estádio é olímpico, beleza, mas o palco é de futebol, que arrendem aquela joça para a Federação de Atletismo. Para futebol não dá.

  • Pingback: A "elitização dos estádios" é a PEC 37 do futebol brasileiro | Segue o Jogo()

MaisRecentes

Torcida única – Qual deve ser a posição do Fluminense?



Continue Lendo

Fred será protagonista em mais um Fla-Flu?



Continue Lendo

Vale apostar em Enderson Moreira?



Continue Lendo