Adeus a um (verdadeiro) ídolo tricolor



No último post do blog, o Rodrigo Lois falou sobre o tratamento dado à Fred, que divide opiniões entre a torcida do Flu. Alguns acham que ele é, atualmente, o maior ídolo e referência para os tricolores. Outros acham que ele é apenas mais um mercenário se aproveitando do dinheiro da Unimed.

Mas eu não quero estrear no “Social Tricolor” falando mais uma vez dessa polêmica, e sim lamentar o falecimento e fazer uma ode à carreira do ex-zagueiro Pinheiro, esse sim, um dos maiores ídolos da História tricolor. Por motivos óbvios não me recordo dos feitos dele. Mas em rodas de conversas com parentes mais velhos, sempre ouvi elogios ao jogador.

Em uma época que o profissionalismo no futebol dava seus primeiros passos, Pinheiro foi uma referência por ter jogado a maior parte de sua carreira pelo clube, fato cada vez mais incomum nos dias de hoje. Em cerca de 14 anos, ele honrou a camisa de três cores por 603 oportunidades dentro dos gramados. No Flu, apenas Castilho, outra lenda, jogou mais vezes.

Foi campeão da Copa Rio de 1952. Para alguns, o maior título dos 109 anos de clube. A equipe que enfrentou o Corinthians tinha: Castilho, Píndaro, Pinheiro (Nestor), Jair, Édson, Bigode, Telê (Róbson), Didi, Marinho, Orlando e Quincas. O técnico era o também lendário Zezé Moreira. Se houver algum torcedor com 70 anos ou mais lendo o blog, ele suspirará ao recordar essa escalação. Após se aposentar, treinou o time em três oportunidades. A última passagem foi no ano de 1994.

Fora as glórias com o time que é o mote principal deste humilde blog, o ex-zagueiro da Seleção, titular na Copa de 54, tem marcado no seu currículo o fato de ter sido o primeiro treinador a escalar Ronaldo Fenômeno pela equipe profissional do Cruzeiro, em 93, contra a Caldense, pelo Campeonato Mineiro. A equipe celeste venceu por 1 a 0, gol de Ramon, aquele mesmo, ex-Flu, Vasco, Botafogo e mais 98 outros times. Com os mineiros, Pinheiro também foi campeão da Copa do Brasil no mesmo ano.

E no comando do Bangu, segundo time da maior parte dos moradores da Zona Oeste carioca e que me levou algumas vezes até Moça Bonita para torcer por ele, foi campeão da Taça Rio de 1987, talvez um dos últimos brilhos da história banguense.

Como “dizem” por aí, Pinheiro saiu da vida para entrar na História. Não só do clube de seu coração, mas do futebol.

P.S: Para o torcedor que quiser dar o último adeus ao ídolo, o velório será feito, das 10 às 20h, ou seja, neste momento, no Salão Nobre do clube, em Laranjeiras.

P.S. 2: Quero parabenizar a diretoria do clube por ter agido rapidamento e decretar luto oficial de sete dias no clube. Mostra respeito por quem construiu a História do clube.



  • JA SE VAI UMA LENDA DO FLUMIMINSE PINHEIRO FOI PARA FLU UM PROFISSIONAL DE RESPEITO SEGUNDO MEUS PAIS JUNTAMENTE COM CASTILHO FORMOU A BARREIRA DA DEFESA DO FLUZÃO EM OUTRAS EPOCAS CASTILHO J MARINHO PINHEIROS CLOVIS E ALTAIR ESSA SIM ERA UMA
    RESPEITO QUE HONRAVA AS CORES DO FLU JOGAVAM POR AMOR A CAMISA .
    HOJE NÃO PODEMOS FALAR MAIS COM ESSA DEFESA HORROROSA QUE TEMOS COM MARCIO ROSARIO DA VIDA

    • Ivan

      Em 1957, eu estava no Maraca e ví uma goleada histórica do Fluzão sobre o nosso adversário de hoje, o São Paulo – Flu 7 X São Paulo 2 !
      Com 12 anos, naquela época, não sabia ainda a escalação toda do Flu mas lembro de um penalty cobrado pelo Pinheiro e de um outro gol feito pelo Wilson Baurú!
      Fomos os primeiros cariocas a ser Campeões do Rio-S.Paulo . Tempos maravilhosos!

  • PINHEIROS DESCANSE EM PAZ VOCE SERÁ SEMPRE LEMBRADO PELO FLUMINENSE COMO O MAIOR ZAGUEIRO CENTRAL DA HISTORIA DO FLUZÃO. QUE DEUS NOSSO PAI LHE DÊ O REPOSO ETERNO

  • Kleber Freitas

    Sempre ouvi meu pai falar do Pinheiro, infelizmente como ele, há muito tempo não existem mais jogadores que doam sua vida por um clube. Obrigado e descanse em paz.

  • Roberto Valença de Siqueira

    Ví Pinheiro jogar com distensão muscular na ponta esquerda para não desfalcar o time no Maracanã. Esse sempre honrou a nossa camisa e dava a vida pelo nosso clube. Aprendi a gostar do fluminense no inicio dos anos cinquenta e Pinheiro estava lá defendendo as nossas cores. Sua batida de penalti era mortifera. Fizeste a sua história no nosso amado Flu. Descanse em paz João Carlos Pinheiro verdadeiro guerreiro.

  • Betoviscky

    Descanse em paz , Sr. Carlos Pinheiros , nós da familia tricolor nunca lhe esqueceremos ,obrigado por ter nos dado tanta alegria em um passado não muito distante, sua memoria já esta eternizada em nossa historia.

  • Nesta tarde de frio no rio com chuva venho aqui me deparar com esta triste noticia …pinheiro madeira nobre e nobre foi este zagueiro que eu não tive a honra de ver jogar mais meu pai disse que dava gosto de velo mais ele esta guardado em nossos corações SR.PINHEIRO agora seras zagueiro do céu defendendo o reino de deus…agora ai de cima pede uma ajuda ao nosso pai pelo no fluzão pelo amor de deussssssssss

  • Bejota

    EU TIVE A FELICIDADE DE VER PINHEIRO JOGAR, INFELIZMENTE NUM UNICO JOGO NA FINAL DO CARIOCA DE 1960, QUANDO PINHEIRO PERDEU UM PENALTY E O AMERICA ACABOU CAMPEÃO. VELHOS TEMPOS EM QUE OS JOGADORES AMAVAM E HONRAVAM A CAMISA DO CLUBE E, PORQUE NÃO LEMBRAR TAMBEM, TEMPOS EM QUE O AMERICA DISPUTAVA TITULOS. PINHEIRO FOI TREINADOR DOS JUNIORES (NA EPOCA ERAM JUVENIS) DO FLU, TENDO FORMADO E LANÇADO MUITOS BONS JOGADORES, DENTRE ELES ABEL E EDINHO (O VERDADEIRO, NÃO ESSE FALSIFICADO QUE HOJE VESTE A CAMISA DO FLU). QUE ELE VA EM PAZ, REFORÇAR O FLU DO ALEM, JUNTO COM CASTILHO, TELÊ, ETC.

    • juarez

      Amigo,
      Por favor fazer a seguinte correcao: pinheiro bateu o Peanlty, o goleiro rebeteu e ai o Pinheiro meteu no gol. Flu 1×0, depois o empate do America, e a virada com gol do zagueiro Jorge. Eu tinha dez anos de idade, e estva no Maraca.
      Abraco,
      Juarez

  • Fernando Farias

    JOÃO CARLOS PINHEIRO – Uma lenda TRICOLOR, que certamente, ora, esta conversando com
    NELSON rODRIGUES, dando notícias do FLU.
    Lembro-me bem da garra e da determinação deste guerreiro, em cujas veias corria sangue com três corês: Grena, Verde e Branco.
    Quando seu pai faleceu em Campos, num domingo pela manhã, Pinheiro estava concentrado para um jogo. Obviamente ficou abalado com a notícia, mas jogou, e só após, foi prantear a morte de seu genitor.
    Há outras histórias fantásticas desta LENDA TRICOLOR…
    Com certeza, o SupremoTécnico o escalara no escrete celestial.
    Deus o tenha…

  • Armando

    Pinheiro disse algo como: a maior conquista (ou a maior glória) que eu tive em toda a minha carreira não foram os títulos mas sim todas as vezes que eu vesti esta camisa.”

    Precisa dizer mais?

    Esteja com Deus, Velho Guerreiro.

  • brito

    a minha manifestação aqui é contra o tite , tecnico do corinthians. este cara não tem responsabilidade mesmo, ele quer jogar pra galera do corinthians , que não ganhou o brasileiro do ano passado por culpa do são paulo e palmeiras ,ensiando que os dois clubes paulistas facilitaram o jogo para o flu. olha está na hora da CBF PUNIR ESTE senhor com puniçoes severas . ele precisa respeitar as instituiçoes que administran o futebol brasileiro . ele não consegue 1 titulo se quer no corinthians , então fica pondo a culpa em terceiros. ele não fez a parte dele por imcompetencia do seu trabalho . se tivesse feito sua parte, tite , com certeza o senhor teria sido campeão independente de resultado de terceiro. e olha que o corinthians ainda ficou no lucro ao ficar em 3º . pois beneficiado em varios jogos pela arbitragem. contra o vitoria na ultima rodada , ao anular um gol legítimo do vitoria, contra o cruzeiro , ao dar um penati que não em cima do ronldo e contra o proprio fluminese ao anular um gol legitimo do fred
    eu quero saber o motivo do choro ´? se fosse tecnico de clube pequeno pegaria uma punição muito grande.

  • Antonio Carlos Marcondes-Volta Redonda-RJ

    A esperança é que baixe o espirito do PINHEIRO , nesta zaga desastroza do FLUZAÕ, desse grupo eu não espero mais nada, mas a minha parte vou fazer que é torcer.
    \saudações tricolores.

  • Marcel Cezar

    O Fluminense e a sua torcida são muito gratos pelos feitos do gigante Pinheiro.

    Numa época em que os grandes jogadores jogavam muito e ficavam mais de 10 anos em seus clubes, o dinheiro era o que menos importava. Jogava-se pelo prazer de defender as cores de seus clubes.

    Não era um zagueiro técnico. Não era também um zagueiro violento e desleal. Mas compensava qualquer falta de técnica com muita disposição e ótimo posicionamento. Era o cobrador oficial de pênaltis do time. Cobrava sempre da mesma maneira: forte, no meio do gol. Ai do goleiro que se atrevesse a colocar as mãos na bola.

    Como bem salientou um torcedor do Fluminense, em certo documentário: “Tem gente que não torce pelo Fluminense. Que não gosta do Fluminense. Mas sabe que a escalação do Fluminense começava com Castilho, Píndaro e Pinheiro, ‘a santíssima trindade tricolor’.”

    Já tivemos Victor Etchegaray, Vidal e Chico Netto, Renganeschi e Machado, Píndaro, Jair Marinho e Pinheiro, Edinho, Ricargo Gomes e Thiago Silva.

    Hoje, temos que ver Márcio Rosário, Gum e Digão…

    Pinheiro foi campeão Carioca em 1951 e 1959. Campeão invicto da II Copa Rio de 1952. Campeão invicto do Torneio Rio-São Paulo de 1957 e 1960.

    QUE OS PÉSSIMOS ZAGUEIROS QUE TEMOS HOJE, POSSAM ENCARNAR 5% DO QUE FOI O GIGANTE PINHEIRO.

    Saudações Tricolores!

    • Marcel Cezar

      Só completando: Pinheiro foi titular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1954, na Suíça.

  • Antônio A. Naves

    Infelizmente mais um grande ídolo de nosso querido FLUZÃO nos deixa. Mas, assim como o Criador já levou o melhor técnico, o Super Telê Santana, o maior goleiro, Castilho, Ele quis reforçar seu time celestial com o maior zagueiro central da história do tricolor.
    Que Deus lhe dê o merecido descanso eterno, guerreiro Pinheiro.

  • Eu lembro muito bem ,CASTILHO , PINDARO E PINHEIRO JAIR EDSON E BIGODE, TELE DIDI MRINHO ROBSON E QUINCAS . TINHA TAMBEM ORLANDO PINGO DE OURO ERA UM CRAK.nO DIA EM QUE ESCURINHO ESTREOU FOI NO MEIO DE SEMANA ELE VEIO DO VILA NOVA DE MINAS,NESTE DIA ESTREOU UM CENTROAVANTE VINDO DOS FUZILEIROS NAVAIS QUE FOI A SENÇASÃO ,O JOGO TERMINOU 4 A 2 PARA O TRICOLOR 2 GOLS DO VALDO 1 DO ESCURINHO E SE NÃO FALTE A MEMORIA 1 DO JAIR FRANCISCO. O VALDO PARA MIM FOI O MAIOR E MELHOR CAMISA 9 QUE O FLUMINENSE TA TEVE . OBRIGADO ESTOU MUITO TRISTE ESCREVENDO ,ESTOU CHORANDO MAIS A VIDA CONTINUA . TRICOLOR ATÉ MORRER !

  • Muito bem escrita essa matéria!!!
    O Fluminese está de Luto.

  • Victor

    Obrigado por ter dedicado sua vida ao Fluminense.

  • Pinheiro era do tempo de jogadores como Castilho que preferiu amputar um dedo à perder as finais do campeonato carioca. Pinheiro perdeu o pai, foi ao enterro, e voltou no mesmo dia para jogar e ainda fez um gol de penalti. Uma época em que o Fluminense tinha jogadores com orgulho de vestir a camisa ao contrário de hoje que o nosso clube, infelizmente, virou um balcão de negócios. Mas ainda sim amamos o FLUMINENSE e devemos sempre amar.
    Perdemos um dos maiores jogadores da história do clube,estou feliz pela vitória de ontem mas de luto pelo nosso GRANDE PINHEIRO.

  • Leofabiano

    O céu ganhou mais um jogadoraço e gostaria de imaginar a crônica do Nelson Rodrigues para o Diário Eterno: ” A torcida organizada Anjos Tricolores prepara uma grande festa para a chegada triunfal do zagueiro Pinheiro que já é aguardada pelos seus companheiros de time como Castilho e Telê.No céu o Flu não terá adversários à sua altura e a humildade acaba aqui!”
    Fluminense Eterno Amor!!!

  • Toda vez que ouço o nome do Pinheiro lembro do meu saudoso pai. Tricolor apaixonado quando o Flu entrava em campo meu velho olhava para o zagueiraço e dizia com orgulho: Esse aí é a raça em pessoa. Pesoalmente, nunca o vi jogar mas tenho saudades só de lembrar os comentários do meu pai sobre ele. Puxa, Pinheiro, obrigado mesmo por ter envergado com tanta determinação a nossa camisa e ter nos proporcionado tantas emoções com a conquista de títulos históricos. Tenho certeza que lá em cima você terá a eternidade como parceira ao lado de tantos outros craques que, como você, nos deram tantas alegrias em uma época em que o futebol era para profissionais de caráter que envergavam com amor as camisas dos seus times e não para dissimulados e mercenários como acontece hoje. Que Deus o acolha com sua infinita bondade e dê conforto espiritual para sua família.

  • andré

    Infelizmente sai do nosso convívio uma lenda tricolor, qualquer homenagem ao ídolo é pouca, contudo apesar do fluminense ter entrado em campo com a faixa de luto contra o São Paulo, o fraco narrador do SPORTV, um tal de linhares, sequer noticiou e o comentarista mostrando ausência de conhecimento sobre o grande ídolo do futebol brasileiro e carioca também deixou a oportunidade de homenageá-lo corretamente. Por isso acredito ser importantíssimo os tricolores se fecharem em suas tradições, seus ídolos e suas homenagens e não esperar da mídia qualquer reconhecimento, pois a mídia do nosso país é reflexo desta sociedade sem memória e sem respeito aos grandes esportistas do passado. E controlada por corporações coisa que com certeza nosso grande Pinheiro nunca teve de enfrentar em campo numa época que o que importava era o amor a camisa e o mérito do mais preparado e mais hábil. Futebol puro.

    Viva o Pinheiro do Fluminense! Pinheiro de raízes profundas, de caule forte que o vento não derruba, de folhas verdes de esperança e que sempre estará na nossa memória!

  • tricolor do passado

    Parabéns André pela homenagem só tricolor é assim. Valeu pinheiro.

  • Cristiano Palma

    Parabéns Luiz, um belo post !!

    Pinheiro foi um exemplo de atleta, carater e muitas vezes pagou o ônus por isso, já que vivemos em um mundo ditado pelo “Business” onde os reais valores se perderam.

    Não torço pelo Fluminense, coisas da vida, mas tive a honra de ter Pinheiro em minha vida como meu parente e pude ter o privilégio de escutar muito de suas histórias, as quais, muitas delas achava que eram poéticas demais e não dava a devida credibilidade. Mas em uma ocasião em que estava auxiliando meu primo em um trabalho de conclusão de curso, onde o tema era sobre Pinheiro, a vida veio me dar uma tapa na cara através de um senhor que estava na sede social do Fluminense e ao encontrar Pinheiro, teve quase um treco e disse “Salario nenhum paga o que vc representa para esse clube”. Bom esse senhor dizia, como espectador da época, as mesmas histórias contadas naquelas conversas ditas anteriomente mas com detalhes que as faziam muito maiores.

    As histórias de Castilho, Pindaro e Pinheiro deveriam ser espalhadas para essa nova geração de tricolores que ovaciona “Freds”, “Marquinhos” e cia vejam quem eram os que realmente honraram o Fluminense e o futebol Brasileiro !

    Sou apaixonado por futebol. Peladeiro, torcedor, técnico de plantão (como todo brasileiro) e aprendi uma coisa com Pinheiro: “NÃO SEI NADA DE FUTEBOL”. Nunca me esqueço dele me dizendo isso com cara de aborrecido…hahaha

    Muito obrigado por tudo T. Pinheiro !!! Brilhe muito nos gramados ai em cima hein!! (Olha lá !!!)

    • Luiz Gustavo Moreira

      Fala Cristiano, muito obrigado pelos elogios.

      Estive lá no velório do Pinheiro e pude ver como ele é querido dentro do clube (não poderia ser diferente né?). Personalidades e pessoas “comuns” se referindo à ele com a mesma intensidade e adoração.

      Por lá estava rodando uma colagem com fotos da época que ele jogou, formações do Fluminense e recortes de jornal. Depois, se der, eu posto a foto. Altair, Jair Marinho e amigos vendo e lembrando de “causos” da época.

      A sensação de conviver e conversar com ídolos dessa estirpe é algo indescritível.

      Abraços.

      • Cristiano Palma

        Eu cheguei bem de noite e vi os cartazes. Achei muito interessante o material. Lembra muito alguns guardados na Flumemória (Não sei se ainda existe…) que vale a pena perder uma tarde para ficar lendo e vendo as noticias da época.

        Só senti falta da Taça Tereza Herera, que para mim é a mais bonita e imponente do Fluminense, junto com a Taça Rio ali pertinho do grande Pinheiro!

      • Cristiano Palma

        Aliás é interessante comentar também que além de grande jogador ele foi técnico também, e dos bons. Pinheiro foi um dos que iniciaram o centro de formação em Xerém, lançou atletas como Toró, Ronaldo Fenomeno (como tec. do Cruzeiro) e projetou altletas como Euler (América MG) e foi campeão por onde passou, exceto o Botafogo (pq será?).

        É engraçado que uma vez ele me mostrou uma foto de quando foi técnico na Arabia, tinha um sujeito no cantinho que estava aprendendo a profissão. Era um tal de Parreira….

        Mas essa fica história fica pra outra.

        Grande abraço a todos !

  • O que nos conforta nessa passagem do grande Pinheiro ao plano espiritual é que muitos de nós não o vimos atuar e, independente disso, estamos aqui para homenageá-lo. Realmente, é algo que não tem preço.

    Grato, Pinheiro.

    Saudações tricolores,

    Josmar

  • Ivan Mello

    Não peguei a Copa Rio de 52 mas, vi o Pinheiro muitas veses no Maraca!
    Campeão em 1959 com Castilho, Altair, Jair Marinho, Edmilson, Clovis, Maurinho, Paulinho, Valdo, Telê e Escurino !

MaisRecentes

Torcida única – Qual deve ser a posição do Fluminense?



Continue Lendo

Fred será protagonista em mais um Fla-Flu?



Continue Lendo

Vale apostar em Enderson Moreira?



Continue Lendo