Com entrosamento dará certo



Fala, pessoal!

A temporada de 2016 do Vasco foi a do vinho no primeiro semestre para a água no segundo. No início tudo funcionou para no fim quase nada dar certo. Isso tem muita relação com o setor de criação e o ataque, com queda contínua na atuação de praticamente todos os jogadores.

A dependência na criação em 2016 era exclusiva ao bom desempenho de Nenê. Quando ele não estava em um bom dia, as coisas desandavam. No ataque, depois da saída de Riascos, contratações foram feitas para que a lacuna fosse ocupada, mas todos os tiros foram para fora do alvo. A diretoria acertou em mirar nestes pontos para esta temporada.

A começar com a chegada de Escudero. Anunciado no Natal do ano passado, o meia argentino tem muito a dar na equipe. Não somente para substituir Nenê, mas até para jogar ao lado do camisa 10, deixando Andrezinho, então titular, como opção para o banco. A considerada “lembrancinha” tem sim qualidade e poderá provar isso brevemente.

No ataque, a chegada de Muriqui também tem um bom fundamento. É superior aos afastados Junior Dutra e Jorge Henrique e também ao agora reserva Éderson. Fará, no primeiro momento, dupla com Thalles, mesmo ainda fora do peso ideal, mas com a provável contratação de Luis Fabiano, tem total condição de formar uma das melhores duplas de ataque do Brasil neste 2017.

Um indicativo de que o técnico Cristovão Borges está com ideia de mudar o retrospecto de seu estilo de jogo nos times que comanda nesta segunda passagem pelo Vasco foi o jogo-treino do sábado passado. Jordi, Madson, Luan, Rafael Marques e Alan, Andrezinho, Evander, Escudero e Nenê, Thalles e Muriqui formaram o time titular e mostrou que o caminho está certo. Com entrosamento, o Vasco versão 2017, mesmo ainda não fechado, tem tudo para ir longe e conquistar seus objetivos.

Até a próxima!



MaisRecentes

Uma chegada fabulosa para o Vasco



Continue Lendo

Treinos 100% fechados: não há comentários



Continue Lendo

A indignação vai mais pela terceira Série B



Continue Lendo