Para compor o elenco, a base cumpre o papel



Fala, pessoal!

Sete jogadores para o ataque é um número elevado para o Vasco, nas condições de disputas da Série B do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil. Éderson chegou com tudo e já o vejo como titular. Jorge Henrique é o outro nome da posição, quando Jorginho opta pelo 4-4-2. Para compor o elenco, nomes da base cumprem o papel.

Esta possibilidade de Leandrão sair para o Guarani deve ser vista pelo Vasco com bons olhos. Ele cada vez mais não terá muita oportunidade, até por conta de outro nome de fora, Junior Dutra, ter sido contratado – e na única vez que jogou, foi bem. Além da chance de diminuir a folha salarial, não obrigará que Leandrão fique encostado, podendo seguir jogando o seu futebol em outro time.

Das opções existentes para a posição, Caio Monteiro é o mais promissor e deve ser aproveitado quando Éderson e/ou Jorge Henrique não tenham condições. Cria da base, é jovem e pode deslanchar. Thalles, outro nome da base, já teve muitas oportunidades, não conseguiu aproveitar nenhuma até agora e se vier uma proposta pelo seu futebol, deve seguir o mesmo caminho do companheiro Leandrão.

Outro nome para o ataque, Eder Luis merece até permanecer para compor o elenco, sendo uma arma para o segundo tempo quando se faz necessária a experiência aliada a qualidade de segurar a bola. No geral, para a próxima temporada até vejo o setor bom. Precisará de um nome mais forte pontualmente, mas depois destes ajustes no segundo semestre, meio caminho estará andado adequar o setor, ficando do tamanho mais do que ideal.

Até a próxima!



  • Dirceu

    Com todo respeito que tenho por sua coluna, mas você me decepciona ao dizer que o Jorge Henrique é o nome adequado para compor o ataque do Vasco.
    Vejo um bom atacante, como aquele que tem poder de chute, que tabele muito bem, que faça boas assistências.
    É o que temos nele? Nada disso. Corre o campo todo, ajuda na marcação, na cobertura de nosso capenga lateral esquerdo, mas como atacante, é nulo. Realmente não posso entender que alguém com conhecimento de futebol, possa considerar esse quase aposentado e rejeitado jogador, como adequado a um time que almeja subir e permanecer na série A.
    O outro seu comentário é ainda mais incrível. A entrada constante, teimosa do Éder tem se mostrado na quase totalidade dos jogos, de uma inutilidade sem precedentes. Simplesmente esse aposentado, nada produz de efetivo para a equipe, sendo uma unanimidade a sua rejeição para compor um time que pretenda retomar a lugar de destaque que o Vasco merece no futebol brasileiro e sul-americano.
    Realmente estou decepcionado com sua visão do que é o Vasco e do que é o futebol de qualidade, de alto nível, que é como espero ver de novo o nosso time.

MaisRecentes

Uma chegada fabulosa para o Vasco



Continue Lendo

Treinos 100% fechados: não há comentários



Continue Lendo

Com entrosamento dará certo



Continue Lendo