Time já mostra características do jeitão do Papai Joel Santana



Joel Santana ganhou muitos títulos pelo Vasco. Porém, o último momento do treinador em São Januário, pelo Cruz-Maltino, não foi nada legal. No último jogo do “Papai“, dia 20 de abril de 2005, o Gigante da Colina perdeu para o então desconhecido Baraúnas (RN), por 3 a 0, e foi eliminado da Copa do Brasil nas oitavas de final. Por conta disso, o retorno a sua casa, como ele mesmo gosta de dizer, não poderia ser sem vitória. Muito tenso a beira do campo e sem se movimentar como de costume, só observava o time.

Mas se ele só observava, logo no primeiro tempo teve motivos para vibrar e esquecer a tensão pela reestreia. Aos 18, Douglas Silva escorou, a bola bateu na trave e voltou para Rodrigo fazer 1 a 0. Especialista em defesa, Joel parecia gostar do que via, pois além de marcar bem os adversários, os dois zagueiros da equipe participaram do primeiro tento.

O treinador chegou fazendo uma mudança drástica na equipe. O contestadíssimo Diogo Silva deixou o time e o jovem Jordi ganhou sua primeira oportunidade na equipe principal. Embora pouco exigido, devido a grande atuação dos zagueiros vascaínos, mostrou segurança quando foi solicitado.

Além da significativa melhora na marcação, Joel mostrou outra marca: o jeito de paizão. Ao deixar o campo no intervalo da partida, o substituído Diogo Silva foi muito xingado pela torcida. Foi aí que o Papai Joel entrou em ação e desceu ao lado do goleiro até o vestiário, no que pode ser considerada uma forma de proteger o jogador.

Na volta para o segundo tempo, logo aos 15, Maxi Rodríguez fez o segundo e garantiu a vitória. O Vasco se mantém firme no G4 e Joel ouve: “Uh, uh, Papai chegou” da arquibancada vascaína. Que Joel fique como o papai da Turma da Fuzarca até o fim!



MaisRecentes

Uma chegada fabulosa para o Vasco



Continue Lendo

Treinos 100% fechados: não há comentários



Continue Lendo

Com entrosamento dará certo



Continue Lendo