Ter vergonha é também saber admitir os erros



‘DO ALTO DA COLINA’:

Peraí, para tudo! E parem as máquinas! O que tem a ver “tanta coisa no Brasil para se ter vergonha” com o time do Vasco? Acho que o “professor” Adilson Batista meio que viajou à lua nesta tentativa de defender o desastre contra o Vila Nova, na última terça-feira. Tenho o defendido neste espaço porque vejo seriedade e determinação no trabalho dele, mas a situação do Brasil (país e não Seleção) não pode ser ligada ao que acontece com a equipe do Vasco em campo.

Sim, acho que é para ter vergonha da derrota, até porque é o lanterna da competição, tem pior ataque, pior defesa e por aí vai… E ter vergonha não é nenhum desmerecimento. Pelo contrário. É saber reconhecer que errou (e neste caso, feio) e já procurar acertar no próximo compromisso. Também é bom parar com esse papo de que o Vasco é o time a ser batido na Série B. Não é bem assim.

A cada partida, qualquer adversário é o time a ser batido da vez. Pela sua grandeza (e parabéns pelos 116 anos de uma linda e gloriosa história), o Vasco também seria o time a ser batido na Série A. Enfim, hoje, só a vitória interessa contra o “forte” Icasa.

Além disso, um alerta para Adilson e departamento de futebol: está na hora de bater aquele papinho com os jogadores. Não é só montar o time. A cabeça deles anda um pouquinho fora de sintonia, não acham? No jogo de hoje, dez jogadores pendurados, sendo seis titulares. Imaginem se o juiz resolve distruibuir cartão amarelo a torto e a direito. Não só neste jogo, mas o bicho vai pegar também na próxima rodada.

A função dos comandantes não é só contratar, montar elenco e escalar time. É também deixar os jogadores com a cabeça boa para desenvolverem em campo o melhor que podem. Fala-se muito em tranquilidade, time focado, entre outras coisas. Com certeza, a equipe está se doando. Disso não tenho dúvidas e merecem aplausos, porém, algumas cabeças estão, sim, esquentadinhas. Se liga aí…

Está com medo de quê?

Agora, dou um pulo até as festividades de ontem para perguntar a Roberto Dinamite qual a razão de proibir a imprensa de entrar no clube em um dia de festa. Diga lá, nobre presidente? Algo a esconder que a imprensa não pudesse ver? Já disse várias vezes: quem não deve, não teme!

A imprensa simplesmente queria repassar para os torcedores o que se passou nas depências do clube neste importante dia. Como sempre digo, são estes torcedores que movimentam o clube, movido e abastecido por uma paixão que não se mede. Usar somente o site oficial do clube é achar que todo mundo é burro, porque o nome já diz: site oficial. E, por ser oficial, coloca-se nele o que convém, né!?

O senhor disse, no discurso, que a instituição Vasco da Gama está acima de qualquer coisa e qualquer pessoa. Concordo em gênero, número e grau. Mas as atitudes deveriam, então, fazer jus com o discurso. Lamentamos muito que o nobre presidente não tenha, nesta sua segunda gestão, sentado com a reportagem do LANCE!Net para um entrevista limpa e transparente, respondendo não só nossas perguntas como também muitas outras dos sócios e torcedores.

Mas, enfim, cada um sabe onde o calo aperta, não é mesmo!? Ainda mais agora que estamos perto de outubro, mês das eleições pelo Brasil. Nobre deputado estadual (PMDB), pedir voto é fácil, cumprir as promessas depois que é difícil. Não deveria ser. Mas é, infelizmente!

Assim como em outubro, os eleitores vascaínos devem pensar direitinho o que querem para o clube, a partir de 11 de novembro. Lógico, querem o melhor. Então, estudem as propostas de todos os candidatos, vejam os seus passados, as suas condutas e boa sorte!

Nos acompanhem também pelo Twitter: @lance_vasco



  • ODILON SILVA – RJ

    Agora o barco já zarpou, o time é esse, a formação é essa, e é assim que vamos, precisa nesse hora da colaboração e do apoio dos verdadeiros vascaínos. O que pode prejudicar muito o Club nesse momento, é essa politicada improdutiva, tem candidato aí, que torce contra mesmo, tem candidato há presidência do Club, que adora tumultuar, o combustível desse abutre é a desgraça vascaína. O VASCAO precisa de uma trégua, o time vem relativamente bem, estava quatro meses sem perder, essa derrota foi a quarta do ano do time vascaíno, o time luta, honra a camisa que carrega a cruz de malta no peito, a equipe vem superando o trauma, como foi descaradamente garfado na final do cariocao. Esse time bem concertado, bem focado, livre do astral negativo politico,bem escalado, bem pociosionado em campo, esse time pode ser campeão da COPA BRASIL, a equipe não é ruim de tudo, tem seus valores, tem suas virtudes. O time estava quatro meses sem perder, uma hora perderia, foi vítima de um zebrao, não é por causa disso que nada ptesta, esses tipos de zebras acontecem surpreendentemente no futebol, é hora de manter a motivação, a esperança, acreditar na camisa vascaína, não pode fazer o jogo dos abutres politiqueiros que só pensam em tumultuar o ambiente vascaíno.

  • Parabéns,

    É isso mesmo, divagar sobre o país ao invés de reconhecer a pífia atuação da equipe diante do lanterninha Vila Nova é simplesmente fugir à responsabilidade de uma explicação plausível e convincente.
    Mais: Considero o Sr. Adilson Batista, vulgo Professor Pardal, um excelente teórico do futebol, mas como profissional do campo para mim é uma lástima. Seria maravilhoso vê-lo como comentarista esportivo da BAND, pois conhecer de futebol e suas táticas ele conhece como poucos no país, mas como estrategista de campo ele ainda engatinha.

    Sds.
    Fernando Claudio G. Santos

MaisRecentes

Uma chegada fabulosa para o Vasco



Continue Lendo

Treinos 100% fechados: não há comentários



Continue Lendo

Com entrosamento dará certo



Continue Lendo