Em seu retorno às origens, Juninho brilha e marca um golaço



Por Rodrigo Ciantar

Não era somente mais um jogo do Brasileirão. Não para Juninho. Pernambucano, estava há 12 anos longe de sua terra natal. Mas foi como se o tempo não tivesse passado. Hoje defendendo o Vasco, aos 37 anos, desfilou na Ilha do Retiro, onde tudo começou, como um menino apaixonado por futebol: deu passe de efeito, roubou a bola com carrinho e executou com perfeição o que aprendeu nos gramados de Recife: um golaço de falta, que abriu a vitória por 2 a 0 e deu a liderança ao Cruz-Maltino, ao menos até o fim da rodada, hoje.

Ao entrar em campo, vaias da torcida do Sport e apoio dos vascaínos. Já com a bola rolando,  ele começou organizando o meio e orientando, como já fizera em Recife mais de uma década atrás, quando foi jogador e técnico de um time de seu condomínio, o Albatroz.

A cada lance errado, coisa rara, ou bola parada para Juninho, mais vaias dos rubro-negros. Mas até os hoje rivais deixaram escapar um aplauso quando, aos 4 minutos, o vascaíno ele deu um lindo passe de calcanhar, de primeira, para Auremir. De quem sabe.

No  segundo tempo, Juninho ajudou mais na marcação. Roubou até bola de carrinho. Até que, aos 12 minutos, falta perto da área. Era o momento que os vascaínos tanto esperavam e que os rubro-negros temiam. Juninho ajeita a bola, bate por cima da barreira… Erra o alvo.

Mas não demorou muito para que o Rei tivesse outra oportunidade. Uma falta mais perto da área, pelo lado direito. Mãos na cintura, alguns passos em direção da bola e… Golaço. Uma cobrança perfeita, no ângulo. Na comemoração, beijinhos para os familiares que acompanhavam a partida nas sociais da Ilha do Retiro.

Aos 37 do segundo tempo, o camisa 8 foi substituído. Deixou o campo com sentimento de dever cumprido. No local em que foi coroado Reizinho, Juninho voltou a jogar como majestade.



  • Excelente Juninho, jogou com maestria mostrou seu lado profissional, independente da ingratidão da torcida adversária. Imaginava que Juninho ainda pudesse jogar no Sport, por gratidão, mas vejo que a torcida não está tão afim… assim fique no Vasco, que nos o trataremos muito bem…

  • Arthur

    Incontestavelmente o Juninho Pernambucano é o melhor jogado do Brasileirão até agora!

  • Fernanda Carvalho

    Deu show mais uma vez! Mas os beijos não foram para a torcida do Sport; foram para a família dele que estava nas sociais e que sofreu agressões da torcida do Sport.

  • washington

    A torcida do Sport foi ingrata com o Reizinho. Não se vaia um idolo. A torcida do Vascão jamais vaiará nosso Reizinho . Viva Juninho e o seu talento incontestável.

MaisRecentes

Uma chegada fabulosa para o Vasco



Continue Lendo

Treinos 100% fechados: não há comentários



Continue Lendo

Com entrosamento dará certo



Continue Lendo