É hora do Flamengo espantar seus fantasmas na Libertadores - Resenha da Bola

É hora do Flamengo espantar seus fantasmas na Libertadores




Depois de três eliminações consecutivas na primeira fase da Copa Libertadores, o Flamengo começa mais um desafio em um grupo que pode servir como verdadeiro teste para saber se o Rubro-Negro está pronto para protagonizar. River Plate, Santa Fe e Emelec são bons rivais para ver se os traumas do passado perseguem mesmo o Fla ou se foram só infelizes coincidências que fez com que a equipe desse vexames em 2012, 2014 e 2017.

Apesar de não viver um grande momento, o River Plate surge como o principal rival do grupo para brigar pela liderança da chave ao fim da primeira fase. A partida contra os argentinos já se torna um divisor de águas para que o Fla almeja em seu futuro.  Não é segredo que a direção, comissão técnica e jogadores – e a torcida presumo também – colocam a competição continental como a “menina dos olhos” na atual temporada. O River tem uma base consistente, com grandes nomes. O técnico Marcello Gallardo é o grande pilar desse elenco. Campeão em 2015, com contrato até 2021, ele é a experiência para ajudar os argentinos a suportar fortes pressões. Na Liberta, mesmo péssimo no nacional, a chave gira. É outra pegada.

Gallardo também conta com nomes que podem ser decisivos ao seu favor, como Pratto, Scocco, Quintero e Armani, além dos jovens Gonzalo Martinez e Ariel Rojas. Por sorte do Fla, os últimos dois estão fora do confronto, machucados. A partida desta quarta-feira será essencial. Por se tratar da equipe mais forte do grupo, os argentinos são o rival que o Flamengo não pode perder pontos “bobos” – isto é – fazer o dever de casa e não ser derrotado em Buenos Aires.

Já Emelec e Santa Fé chegam fortalecidos. Os equatorianos são atuais campeões de seu país e possuem um forte poder ofensivo. O ataque do Emelec é preciso ser observado de perto, ainda mais com uma defesa não tão consistente que Paulo César Carpegiani conta. O Santa Fe vem de uma fase preliminar, onde sequer passou sufoco e atropelou o Santiago Wanderers no jogo decisivo que garantiu vaga.

Se quiser garantir a classificação, o Flamengo tem que focar no River. É o rival a ser batido. Os outros dois, é preciso fazer a lição de casa. Com um elenco muito mais capacitado do que os dos rivais, o Flamengo entra dessa vez com a responsabilidade e obrigação de avançar de fase e chegar forte na disputa pelo caneco.

Percalços no caminho podem acontecer, mas nada que justifique. O Flamengo é sim o favorito. Independente de ter River, Santa Fe e Emelec pelo caminho. Ë preciso convencer. Ser campeão não é fácil. Mas com a força de seu plantel atual, é preciso pelo menos estar na cabeças. E entrar como favorito. Em especial nessa primeira fase.



MaisRecentes

No mercado, Flamengo buscou informações de Giuliano e virou o foco para Babel



Continue Lendo

Babel vira presente de despedida da diretoria do Flamengo



Continue Lendo

Escolhido pelo presidente, Marcos Paquetá não era unanimidade no Botafogo



Continue Lendo