Não é relativizar as coisas: resultado de Grêmio e Real Madrid foi enganoso - Resenha da Bola

Não é relativizar as coisas: resultado de Grêmio e Real Madrid foi enganoso




O Grêmio siau de cabeça erguida do Mundial de Clubes? Sem dúvidas. Mas isso é fácil de entender. O resultado de 1 a 0 foi enganoso, não porque o Real jogou demais e sim porque o Grêmio jogou de menos. Obviamente, fez um jogo muito abaixo devido a qualidade infinita dos espanhóis.

O Real jogou com posse de bola e fez o Grêmio correr atrás. Quem joga com a bola cansa menos. Além de tudo, os merengues sobram fisicamente. Aí o jogo ficou do jeito que Zidane queria. Como efeito de comparação, contra o Al-Jazira, parecia um time de várzea na defesa. Ciente da fragilidade do rival árabe,o Real passou sustos que deixou todo mundo impressionado. Tudo porque estava com o time todo aberto e indo para cima. Não se importou que tinha um time do outro lado. Zidane sabia que contra o Grêmio se ele fizesse poderia sim perder. A qualidade dos gaúchos é muito superior ao dos árabes.

Inclusive, o “sufoco” que o Real passou contra o Al-Jazira pode ter dado um excesso de confiança ao Grêmio. A equipe gaúcha tentou jogar, isso não é de se discutir, mas não chegou nem perto de conseguir. O discurso que jogou de ‘igual para igual’ é enganoso. Assim como foi o placar. O Real Madri fez o gol de falta, mas muito provavelmente sairia de outra forma. A partir do momento que fez 1 a 0, parou. Sabia que não ia levar o empate.

Basta ver o que o Grêmio fez. Um chute a gol. Em uma falta. Apenas um. Nem de fora da área, nem em um rebote, nem em um cruzamento… Não foi uma atuação memorável. Não jogou de igual para igual. Infelizmente não tinha como. O Grêmio não tinha obrigação. O Real sim. Por isso que deve sair de cabeça erguida. Porque fez sua obrigação e chegou a final do Mundial, como tem que ser feito. Não pode cair nas semifinais.

Só não foi vexame porque foi 1 a 0. Mas a atuação foi bem ruim. Muito por conta do potencial do Real Madrid. Mesmo assim, o Grêmio fica de parabéns pela brilhante temporada. Mas também fica o gosto um pouco amargo para os torcedores que podiam mais. Quem sabe até ser campeão ou jogar mais do que jogou, mesmo se perdesse até de um placar elástico. Faltou jogar!



MaisRecentes

No mercado, Flamengo buscou informações de Giuliano e virou o foco para Babel



Continue Lendo

Babel vira presente de despedida da diretoria do Flamengo



Continue Lendo

Escolhido pelo presidente, Marcos Paquetá não era unanimidade no Botafogo



Continue Lendo