Carinho pelo Tricolor e salário baixo: os trunfos do Flu para ficar com Abelão - Resenha da Bola

Blogs Lance!

Resenha da bola

Carinho pelo Tricolor e salário baixo: os trunfos do Flu para ficar com Abelão



Abel Braga será o treinador que mais deve ser procurado ao fim da temporada. Sua multa rescisória é baixa

A fase financeira do Fluminense é preocupante. O clube completou na última semana dois meses de salários atrasados, além de um grande percentual de direito de imagem, o que vem incomodando todos dentro das Laranjeiras. Contudo, mesmo em crise, o Tricolor tem um trunfo para manter Abel Braga até o fim do seu vínculo em 2018: os baixos vencimentos.

Na mira do Internacional, e cotado também em outros gigantes, o treinador pelo carinho e gratidão que tem ao Fluminense, quando negociou suas bases salariais, aceitou ganhar muito menos do que vinha faturando no mercado. Quem conduziu no ano passado o retorno do treinador às Laranjeiras, foi no na época vice-Presidente de Projetos Especiais, Pedro Antônio Ribeiro da Silva, e grande responsável pela construção do CT tricolor.

Na época, Pedro Antônio explicou as condições financeiras do Fluminense e apresentou o projeto de retorno do treinador, que tinha voltado do Mundo Árabe para o Brasil. Ao ver o tão sonhado Centro de Treinamento – do qual Abel sempre quis em suas duas passagens anteriores pelo Flu – o treinador aceitou o desafio e topou receber metade do que já faturou nas Laranjeiras e em outros grandes do Brasil e de fora. Seus vencimentos estão abaixo dos R$ 300 mil, que são considerados valores não altos no mercado do futebol.

A pressão de conselheiros no clube, em especial o principal grupo de apoio de Pedro Abad, pela saída do treinador do cargo, aumenta a cada rodada. Contudo, nos corredores das Laranjeiras o mandatário não pensa em se livrar do treinador. Mesmo assim, caso o Internacional ou qualquer outro clube pague a multa estipulada em contrato – que são apenas dois salários do treinador – a diretoria tricolor não irá criar empecilhos e procuraria um comandante que receba ainda menos do que o treinador.

Além de tudo, a cúpula de futebol mostra-se tranquila com a situação, já que Abel Braga tem uma postura sólida de não interromper seus vínculos com as equipes no meio do contrato. Sendo assim, o Internacional, principal interessado, que terá que demover o técnico e convencê-lo. A diretoria gaúcha sabe disso, mas ainda estuda uma forma de mudar a cabeça do técnico. Ao final da temporada, o clube deve oficializar o interesse.

Por enquanto, Abel Braga garante foco no Tricolor carioca. Faltam apenas quatro rodadas para o término do Brasileiro, no qual o Flu não deve passar muitos sustos. Apesar de falar-se sobre possibilidades matemáticas de Série B, dificilmente isso se concretizará. Em dezembro, Abel terá a chance de repensar sua vida. Se topar o Colorado, terá vencimentos mais altos do que no Tricolor.

Afinal, o treinador aceitou esse desafio pelo carinho que tem pelo clube e por ficar, como costuma falar em sua coletivas, “maravilhado” em poder enfim utilizar um Centro de Treinamento com o Fluminense.



Cancelar Resposta

  1. Marcos disse:

    O Abel e o Fluminense vinhão fazendo um grade ano até a tragédia que abalou os dois,
    Nós torcedores temos que levar isso é em conta, o Abel é um dos melhores que eu vi triunfar no Fluminense.

  2. Themístocles Avelino de Sousa Martins Almeida disse:

    A sorte do Fluminense é que tem o Abel Braga. Senão já estaria rebaixado! Nunca vi dirigentes tão fracos! Incompetentes e desonestos. Se esse clube rebaixar, nunca mais ele volta para a série A.

MaisRecentes

CEP fala com exclusividade sobre planejamento do Botafogo e situações contratuais para 2018



Continue Lendo

Demora para indefinição com renovações cria mazelas no elenco do Botafogo



Continue Lendo

Atrasos no Flu começa a incomodar e a solução é buscar premiação do Brasileirão



Continue Lendo

Autor

Guilherme Abrahão

Formado em jornalismo pela Facha, no Rio de Janeiro, Guilherme é natural de Piracicaba, no interior de São Paulo, mas radicado no Rio de Janeiro. Foi responsável, no próprio LANCE, pela cobertura diária durante cinco anos de Fluminense e, por um ano, do Botafogo. Passou também pelo Extra, onde foi responsável pelo dia a dia do Tricolor carioca. Tem ainda passagem pela Garra Comunicação assessoria, trabalhando em grande parte com eventos e atletas de MMA. Retornou como editor do LANCE para falar do que mais gosta de escrever: futebol.

guilhermeabrahao@lancenet.com.br

@g_abrahao