O retorno da desnecessária briga entre Flamengo e Botafogo - Resenha da Bola

O retorno da desnecessária briga entre Flamengo e Botafogo




Não sei se vale esse debate. O estádio Nilton Santos é do Botafogo, ele quem decide para quem pode alugar ou não. Mas será que vale mesmo dispensar qualquer tipo de receita com a atual situação financeira do clube? Além do mais, a comemoração do Vinícius Júnior não pode ser vista desta maneira, como um fator determinante para aumentar ainda mais a rivalidade.

O que Vinícius Júnior fez, com certeza, faz parte do futebol. Comemorou, brincou com a torcida rival e provocou. Trata-se de um garoto de 17 anos. Poderia ter 40. Não muda a brincadeira. O que não pode é haver a mistura que o Botafogo fez em questões mais complicadas e que atrapalha as relações entre clubes. Os rivais, inclusive, deveriam ser cada vez mais unidos. E não comprar briga fora de campo. A rivalidade tem que ser apenas entre as quatro linhas.

O Botafogo tem a faca e o queijo na mão. Mas não sabe usar. Afinal, o Nilton Santos é o único que tem condições de sediar jogos do Flamengo, quando o Maracanã ou a Ilha estão impossibilitados. E o Glorioso ao invés de fazer suas finanças subirem desta forma, se apega a algo tão pequeno e tira a final da Taça Guanabara do Rio de Janeiro. Além do mais, não lucra com a possível conquista – já que não chegou na final – e nem aumenta sua receita com o aluguel do estádio.

As direções estavam chegando a um denominador comum. As picuinhas fora de campo estavam chegando ao fim. Inclusive, o Flamengo negociava para mandar jogos da Libertadores no Nilton Santos. E negociava para o Botafogo lucrar. E agora, o entendimento vai por água abaixo.

Oficialmente nem Flamengo e nem Vinícius Júnior vão se manifestar. Algo que o Botafogo também não deveria ter feito. O clube perdeu a chance de ganhar dinheiro, independente das rivalidades a parte. Não vai lucrar com a final da Taça Guanabara. Nem com o Fla na Libertadores. E a união entre os grandes clubes que deveria existir, segue em xeque.



MaisRecentes

Escolhido pelo presidente, Marcos Paquetá não era unanimidade no Botafogo



Continue Lendo

Flamengo acerta com representantes e Maurício Barbieri fica até dezembro



Continue Lendo

Empresários de todos os cantos batem na porta do Fla, que só busca nomes de peso



Continue Lendo