Zlatan Ibrahimovic emocionado com retorno à sua Malmo



O craque Zlatan Ibrahimovic, mais do que nunca, será o centro das atenções da partida entre PSG e Malmo, pela Champions League 2015/16. Afinal, ele enfrentará o clube que o projetou para o futebol, depois de tê-lo deixado 14 anos atrás, para brilhar na Holanda (Ajax), Itália (Inter, Juventus e Milan), Espanha (Barcelona) e França (PSG).

O clube francês atuará esta noite com uma camisa especial, com a incrição “Je suis Paris” (Eu sou Paris) no lugar do patrocinador principal, numa manifestação de reafirmação da sua alma parisiense num momento tão dramático da cidade em função das vítimas dos atentados terroristas recentes.

O PSG rende homenagens às vítimas dos atentados (foto - psg.fr)

O PSG rende homenagens às vítimas dos atentados (foto – psg.fr)

Ibrahimovic, um dos mais egocêntricos jogadores do futebol internacional, tem feito de tudo para que este retorno se transforme num evento a ser lembrado para sempre pelo povo de sua cidade natal. Sabedor de que os 21 mil ingressos do Sweedbank Stadium se esgotaram 28 minutos após terem sido colocados à venda, ele financiou a instalação de vários telões na praça principal de Malmo para que outros milhares de conterrâneos consigam assistir a partida que está sendo chamada de “O retorno de Zlatan” pela imprensa local.

Ibrahimovic sabe tanto ser ferino com as palavras, quanto utilizá-las para cultivar a imagem de ídolo nacional. Semana passada, sem um pingo de modéstia, ele declarou que “colocou a Suécia no mapa do mundo”, menosprezando toda a geração de jogadores da seleção de seu país que conquistou a terceira colocação na Copa do Mundo dos Estados Unidos em 1994 e que contava com outros grandes jogadores da história do futebol sueco como Henrik Larsson, Martin Dahlin, Tomas Brolin e Thomas Ravelli. Ou ainda desprezando a geração vice campeã do mundo na Copa de 1958 -que contava com Nils Liedholm, Lennart Skoglund, Agne Simonsson, Gunnar Gren e Kurt Hamrin -, que a própria Suécia organizou e que foi vencida pelo Brasil.

Em entrevista ao site oficial do Malmo, o craque o PSG foi emocional e grato ao clube que o projetou no futebol e à cidade onde nasceu: “eu vim do Malmo. Onde quer que eu vá eu represento o Malmo. Eu sou o que eu sou por causa do Malmo. Tudo começou no Malmo e eu me sinto um membro do Malmo. Eu ando e falo numa maneira típica de Malmo. Tudo para mim tem a ver com o Malmo. Foi lá que eu fui para a escola. Lá eu fiz amigos com quem eu fiz um monte de besteiras. Lá eu era livre. Ainda tem muita coisa dentro de mim que diz que ele ainda é o meu clube. Mesmo se eu represento o PSG, Juventus ou outro clube, Malmo continua sendo o meu clube. Não há nenhum outro para mim”.

Ibrahimovic, 34 anos, nunca conquistou a Champions (foto - site oficial do Malmo)

Ibrahimovic, 34 anos, nunca conquistou a Champions (foto – site oficial do Malmo)

Zlatan confessa à rede de TV CNN que não sabe como reagirá quando entrar em campo para atuar contra o Malmo: “para mim será um momento único. Não sei como vou me comportar se eu marcar um gol. Este jogo será muito emocional para mim. Não quero programar nada. Vou deixar para o momento”.

Zlatan Ibrahimovic é filho de pai bósnio muçulmano e mãe croata católica. Ele se conheceram no bairro Rosengard, na periferia de Malmo, onde há grande concentração de imigrantes. O holandês Marco Van Basten e Ronaldo Fenômeno são seus ídolos de infância.

 

 



MaisRecentes

Quais foram os 11 melhores jogadores das 5 principais ligas europeias no último semestre?



Continue Lendo

Guardiola vence o derby e celebra campanha com vitórias em Stamford Bridge e Old Trafford



Continue Lendo

Lillo, mentor de Guardiola e sucessor de Rueda, deixa o Atlético Nacional de Medellín



Continue Lendo