Uma terça-feira inesquecível e paradoxal: o Barcelona faz história e o Bayern vive noite dos horrores



Barcelona e Bayern de Munique, adversários nas semifinais da Champions League 2014/15 a partir da próxima semana, viveram uma terça-feira inesquecível por motivos antagônicos.

No Camp Nou, o tridente MSN voltou a encantar e escreveu mais um capítulo célebre na história do clube catalão, marcando 5 dos 6 gols (o outro foi de Xavi) com os quais o Barcelona aniquilou o Getafe pelo campeonato espanhol e confirmou a liderança na competição com 5 pontos de vantagem sobre o eterno rival Real Madrid.

Messi (2), Suárez (2), Neymar (1) chegaram a 102 gols na temporada se transformando no maior trio artilheiro da história do clube. Eles superaram a marca de 100 gols da também extraordinária trinca formada por Messi, Henry e Eto’o na fabulosa temporada 2008/09 em que o clube conquistou a tão sonhada tríplice coroa sob a direção de Pep Guardiola e Tito Vilanova.

O tridente mais espetacular da história do FC Barcelona

MSN – O tridente mais espetacular e artilheiro da história do FC Barcelona ( foto – site oficial do FC Barcelona)

O Barcelona de Messi com 49 gols, Neymar com 32 gols e Suárez com 21 gols prova que os recordes existem para serem superados e que não resistem quando desafiados por gente capaz, insaciável e disposta a superar limites.

Em Munique, na Allianz Arena, o Bayern viveu uma noite dos horrores e matou o sonho de uma tríplice conquista na temporada ao ser eliminado nas semifinais da Copa da Alemanha por um aguerrido Borussia Dortmund. Guardiola se contradisse e iniciou o jogo com Arjen Robben no banco. Seu time começou bem – ainda que cheio de improvisações – abriu o placar aos 29 minutos do primeiro tempo através de Lewandowski e dominou o jogo até os 29 minutos do segundo tempo quando Aubameyang empatou, mudando radicalmente a história da partida. Logo em seguida, apenas 18 minutos depois de ter entrado em campo no lugar de Thiago Alcântara, Robben sentiu a panturillha e foi substituído por Mario Götze. Era o início da noite dos horrores para Guardiola e seus atletas.

A partida foi para a prorrogação e depois  para os pênaltis quando registrou uma das mais catastróficas performances de um time neste tipo de decisão na história do futebol: quatro cobranças consecutivas desperdiçadas pelo Bayern contra a conversão de duas por parte do Borussia Dortmund. Lahm e Xabi Alonso escorregaram de maneira prática e pateticamente idêntica e chutaram nas nuvens nas primeiras duas cobranças, em lances no mínimo estranhos para dois jogadores tão experientes e competentes neste tipo de situação. Götze e Neuer também fracassaram, enquanto Gundogan e Kehl converteram para o Dortmund.

A tríplice coroa virou um pesadelo para o Bayern de Guardiola (foto - site oficial do FCB)

A tríplice coroa virou um pesadelo para o Bayern de Guardiola (foto – site oficial do FCB)

O sonho do clube bávaro de mais uma tríplice coroa sucumbiu inexoravelmente dentro da sua própria casa frente ao time guerreiro do pouco convencional e alto astral Jürgen Klopp, que jogará a final da Copa da Alemanha contra o vencedor da outra semifinal que reúne Arminia Bielefeld e Wolfsburg.

Em que condições estas duas equipes, que muitos consideram as melhores do mundo na atualidade,  chegarão ao Camp Nou na próxima quarta-feira para iniciar a disputa das semifinais da Champions League 2014/15? A resposta desvendará mais uma passagem memorável da história do futebol mundial. Daquelas que costumam debochar dos prognósticos lineares e presunçosos dos que se imaginam conhecer a fundo o nobre esporte bretão.



MaisRecentes

Ranieri, uma história sempre surpreendente no Leicester



Continue Lendo

Há 50 anos, o “Bola de Ouro” húngaro Albert vestia a camisa 9 do Flamengo



Continue Lendo

FIFA revoltada com ausência de Messi na festa do “The Best”



Continue Lendo