Uma Premier League imprevisível com protagonistas inéditos. Será para sempre?



O segundo turno da Premier League 2015/16 terá início, neste sábado, em circunstâncias históricas peculiares, destacadas pelo site do diário The Telegraph. Nunca a competição esteve tão equilibrada, imprevisível, como que embaralhando as posições na tabela de classificação entre os historicamente fortes com os novos pretendentes a protagonistas. Parece que o enriquecimento dos clubes ingleses pode estar produzindo uma equiparação do nível técnico entre eles, como que se todos estivessem em condições financeiras mínimas para montar elencos competitivos.

Afinal entre os 5 primeiros colocados até a 19ª rodada aparecem Leicester (2º), Tottenham (4º) e Crystal Palace (5º) . E, vale lembrar, que o Arsenal, – este, sim, um dos gigantes ingleses – desbancou a liderança do atrevido Leicester exatamente nesta última rodada.

O Arsenal de Wenger é o novo líder (foto - Arsenal.com)

O Arsenal de Wenger é o novo líder (foto – Arsenal.com)

A comparação entre o posicionamento destes azarões na atual temporada com o da anterior é impressionante. O atual segundo colocado Leicester (com a mesma pontuação que o líder Arsenal), ao final do primeiro turno da temporada 2014/15, era o último colocado. O Crystal Palace ocupava o 18º lugar e o Arsenal era o 6º. O Watford, na Championship (segunda-divisão), se encontrava na 5ª posição, e hoje ele se situa no 9º lugar da Premier League a 1 mísero ponto dos poderosos Manchester United (6º) e Liverpool (7º).

Diante deste cenário, Paulo Hayward – editor de esportes do The Telegraph – sugere que a economia moderna do futebol está sendo subvertida. Segundo ele, “quanto mais rico o campeonato, mais igual ele se torna”. Hayward vai mais longe e sugere que “a Premier League tornou-se a nova NFL (liga de futebol profissional dos EUA) – o império americano que combina entretenimento com igualdade”.

O Leicestet tem Vardy, o artilheiro da Premier League (foto - Lance!)

O Leicestet tem Vardy, o artilheiro da Premier League (foto – Lance!)

 

Outra transformação espetacular pode ser percebida no gigante Chelsea, atual campeão da Premier League, imprensado na desconfortável e impensável 14ª posição entre o West Brom (13º) e o Norwich (15º) a 3 pontos da zona de rebaixamento tendo perdido 9 partidas das 19 da primeira fase da competição.

Ainda na linha das surpreendentes perfomances até aqui, os 3 clubes recém promovidos da Championship estão fora das posições de rebaixamento: Bournemouth é o 16º, Norwich é o 15º e o Watford (9º) . As últimas colocações estão ocupadas pelo Newcasttle (18º), Sunderland (19º) e Aston Villa (20º), clubes historicamente presentes na divisão de elite.

A demissão do mega star José Mourinho, o técnico campeão da última temporada, ainda na primeira metade da atual Premier League, também pode ser inserida nesta realidade tão inusitada quanto impremeditável. E os resultados obtidos pelo Leicester sob a direção do italiano Claudio Ranieri na outra ponta da tabela, considerados pelo site oficial do próprio clube como “miraculosos”?

José Mourinho 52 anos, demitido ainda campeão (foto - Chelseafc.com)

José Mourinho, 52 anos, demitido ainda campeão (foto – Chelseafc.com)

Estamos no meio da estrada, a 19 rodadas do fim do campeonato. Muito coisa ainda vai acontecer até a 38ª rodada em maio. Mas que algo de novo está acontecendo no reino da Rainha Elizabeth parece indiscutível! Na parte de cima e de baixo da tabela.

 

Atualizado às 11:27 h de 02/01/2015



  • ferrerodomonte

    Vejo o Arsenal sendo campeão com certa facilidade, não fossem as contusões, já seria líder com sobras, pra mim é o melhor 11 em qualidade técnica e entrosamento da Inglaterra.

MaisRecentes

Marco Asensio será o novo galático do Real Madrid?



Continue Lendo

Rummenigge, presidente do Bayern: “não podemos e não compraremos um jogador por € 222 milhões”



Continue Lendo

Monaco é o campeão europeu em faturamento nas transferências de jogadores



Continue Lendo