UEFA aprova mudanças na Champions League e na Europa League



Finalmente a UEFA decidiu rever aspectos importantes da organização da Champions League e da Europa League, as principais competições entre clubes do mundo, como previu este blog em post anterior.

Pressionada pela ECA (Associação Europeia de Clubes) a UEFA aceitou reformar o formato da Champions League e da Europa Leaque das temporadas 2018/19, 2019/20 e 2020/21 sem mexer no sistema de disputa das mesmas, mas com novos critérios de classificação.

As mudanças foram precedidas de uma ampla consulta a todos os setores do futebol europeu a partir da qual a UEFA apresentou as medidas que foram aprovadas pelo Comitê Executivo, seguidas de recomendações do seu Comitê de Competições de Clubes e do Comitê Executivo da ECA.


logo UEFA

As principais novidades são:

1- ampliar para os 4 primeiros clubes classificados das 4 principais ligas nacionais (Alemanha, Espanha, Inglaterra e Itália) a classificação automática para a fase de grupos da competição.

2- O campeão da Europa League terá presença assegurada na fase de grupos da Champions League da temporada seguinte.

3- O histórico dos clubes serão considerados na elaboração dos rankings e na definição dos coeficientes.

4- A divisão das receitas auferidas tanto da Champions League quanto da Europa League premiará ainda melhor os clubes participantes das 2 competições.

5- A criação da empresa UEFA Clubs Competitions SA para cumprir um papel estratégico no futuro e na gestão das competições entre os clubes europeus. de sociedade da ECA e da UEFA. Os diretores serão indicados em número igual pela ECA e UEFA.

A Champions League continuará contando com a participação de 32 clubes na fase de grupos, assim como a Europa League seguirá com 48 equipes.

Rummenigge foi o principal negociador pelos clubes (foto - site oficial da ECA)

Rummenigge foi o principal negociador pelos clubes (foto – site oficial da ECA)

Para Karl-Heinz Rummenigge, o presidente da ECA, a decisão da UEFA é positiva:

– Eu saúdo a decisão da UEFA por que ela reflete uma séria e justa solução para o futebol europeu de clubes. Estou particularmente satisfeito pelo fato de que a comunidade europeia do futebol permanecerá unida e se desenvolvendo”.

Todos os detalhes das decisões tomadas pela UEFA nesta sexta-feira em Mônaco serão esmiuçados na próxima reunião da ECA em sua 17ª Assembléia Geral que acontecerá nos próximos dias 5 e 6 de setembro em Genebra na Suíça.

As decisões da UEFA devem ser entendidas como produto do fortalecimento crescente dos grandes clubes europeus que há anos amadurecem a ideia de criação de uma Superleague que venha a organizar uma competição no lugar da Champions League, com conceitos que a aproximaria da NBA e da NFL americanas.

Na verdade, a ideia da Superleague é também uma maneira dos grandes clubes não ingleses se defenderem do poder de mercado e financeiro avassalador da Premier League. Não por acaso o presidente Josep Maria Bartomeu do Barcelona foi um dos principais articuladores, ao lado de Rummenigge, do acordo alcançado.



MaisRecentes

Há 50 anos, o “Bola de Ouro” húngaro Albert vestia a camisa 9 do Flamengo



Continue Lendo

FIFA revoltada com ausência de Messi na festa do “The Best”



Continue Lendo

Última chamada na Champions League: 7 clubes disputam 4 vagas.



Continue Lendo