Tottenham, em Wembley, vira triturador de recordes de público no futebol inglês.



Atualizado às 16:42h de 27/10/2017

 

O Tottenham Hotspur, tradiconal clube do norte de Londres, atual terceiro colocado na Premier League, vem provando o acerto de sua diretoria em construir um novo estádio projetado para 61 559 pessoas praticamente no mesmo espaço onde se instalava o velho White Hart Lane  (WHL) que dispunha de 36 mil lugares.

Enquanto as obras evoluem para o fim previsto em 2018, o clube transformou o estádio de Wembley em sua casa. Pois, no último fim de semana, na goleada por 4 a 1 sobre o Liverpool, 80 827 torcedores compareceram ao maior estádio inglês, quebrando o recorde de público na Premier League.

O recorde anterior do clube numa partida do campeonato inglês, em WHL, aconteceu em setembro de 1951 contra o Manchester United com público de 70.882.

Já o recorde de público como mandante aconteceu em novembro do ano passado, pela Champions League na partida contra o Bayern Lewerkusen, com a presença de 85.512 torcedores. Foi também o recorde para um clube inglês em casa na Champions League. Na outra partida contra o Monaco o público foi de 85 011.

Wembley tem capacidade para 90 mil pessoas (foto – site oficial do WS)

Por outro lado, o público de 80.465 contra o Gent, em fevereiro, estabeleceu um novo recorde para clubes ingleses na Europa League, superando o de 75.180 que compareceu para Manchester United x Liverpool, em Old Trafford, em março de 2016.

O ANTIGO WHITE HART LANE

Desde 1899 o Tottenham Hotspur jogava sua partidas em WHL. O estádio, ao longo da história, teve capacidades diferentes. Na primeira partida, pouco mais de 5 mil pessoas estiveram presentes. Aos poucos o clube foi ampliando a capacidade até que, em março de 1938, 75 mil torcedores presenciaram a derrota do clube para o Sunderland na tradicional FA Cup.

Ao longo dos tempos WHL foi sendo remontado com a construção de novas estruturas que ficaram conhecidas como pavilhões concluída nos anos 90 e a capacidade acabou estabilizada em 36 mil lugares.

Desde então o clube avaliou várias alternativas que variaram de adotar definitivamente Wembley ou de construir um estádio para os Jogos Olímpicos de 2012.

O clube acabou optando por construir um estádio inteiramente  novo aproveitando parte do espaço do velho WHL.

Os números recentes de público em Wembley atestam que o velho WHL estava absolutamente ultrapassado em termos de atendimento da demanda dos torcedores do Tottenham interessados a assistirem os jogos em casa.

O projeto do novo estádio, ao estabelecer a lotação em 61 559 pessoas, visou, antes de tudo, atender a esta demanda reprimida. Mas objetivou também, preservando uma margem de segurança para manter a utilização de 100% da capacidade do estádio, a possibilidade de praticar uma política de preços dos ingressos de modo a elevar o potencial de investimento do clube na montagem de elencos competitivos nacional e internacionalmente.

Harry Kane vem brilhando no gramado de Wembley (foto: premierleague.com.br)

O NOVO ESTÁDIO DO TOTTENHAM

Segundo o CEO do Tottenham, Daniel Levy, “o design de nosso estádio e sua concepção mais abrangente oferecerão uma experiência incomparável para nossos torcedores e benefícios importantes para a comunidade – criando um espaço para esportes e entretenimento de classe mundial para todos – e no mesmo local de nascimento de nosso Tottenham. Será o nosso novo lar para as gerações vindouras e queremos que seja excepcional”.

Através do site oficial a direção do clube observa que “estamos criando, o que acreditamos ser o melhor estádio em qualquer lugar do mundo para espectadores, visitantes e a comunidade em geral, oferecendo um novo e importante marco para o Tottenham e Londres”.

O novo estádio nascerá também como palco exclusivo de pelo menos 2 partidas por ano da NFL no Reino Unido pelos próximos 10 anos. Isto será possível dada a condição de multiuso com que ele foi concebido. O gramado será retrátil o que garante que ele estará sempre nas melhores condições para as partidas de futebol. Por outro lado, o piso para as partidas da NFL e para outros eventos será de gramado artificial sintético.

A operação do futuro estádio passa também pelo planejamento do transporte dos torcedores que prevê a utilização de 4 estações de metrô e até 144 ônibus por hora. Os benefícios das melhorias de transporte já vinham sendo sentidos. Houve uma mudança significativa nos padrões de transporte para a área do estádio, com os torcedoes trocando a utilização de seus carros pelo transporte público.

Em 2003, mais de 60% dos torcedores iam de carro para WHL. Em 2014, esse número diminuiu para 42% para os eventos de fim de semana. O objetivo é chegar a um máximo de 23% indo ao estádio de automóvel no futuro.

 



MaisRecentes

FIFA ameaça a Espanha de exclusão da Copa do Mundo da Rússia em 2018



Continue Lendo

Há 70 anos o Real Madrid inaugurava o estádio Santiago Bernabéu



Continue Lendo

Quais foram os 11 melhores jogadores das 5 principais ligas europeias no último semestre?



Continue Lendo