Tevez leva a Argentina de Messi à semifinal



A Argentina realizou sua melhor exibição, até aqui, na Copa América, mas só conseguiu superar a Colômbia na disputada de penalidades (5-4) para garantir a vaga na semifinal. Nos 90 minutos o placar foi 0 a 0.

A cobrança decisiva foi feita por Carlitos Tevez, desafeto público de Lionel Messi, que entrara aos 28 minutos ST. Tevez não participou da Copa do Mundo do ano passado e só foi convocado, agora, por Gerardo Martino diante de enorme pressão da opinião pública de seu país e da fantástica temporada que realizou na Juventus de Turim.

Não por acaso, a primeira página do diário esportivo argentino “Olé”, deste sábado, publica uma enorme foto do abraço de Tevez com o goleiro Romero na celebração da classificação, acompanhada manchete: “O Abraço do Povo”.

Edição do diário Olé celebrando a vitória argentina

Edição do diário Olé celebrando a vitória argentina

Lionel Messi liderou sua equipe num primeiro tempo avassalador a ponto de obrigar o técnico da seleção colombiana José Peckerman a realizar uma substituição tática aos 23 minutos do PT trocando o atacante Téo Gutierrez pelo volante Cardona. O cenário, no entanto, seguiu inalterado.

A Colômbia praticamente só se defendeu e contou com uma atuação sobrenatural de seu arqueiro Ospina e de grande energia e eficiência da zaga central composta por Zapata e Murillo. O resto da equipe, incluindo Cuadrado e James Rodriguez, foi incapaz de articular qualquer reação ao controle do jogo imposto pela Argentina. O arqueiro argentino Romero foi pouquíssimo requisitado nos primeiros 45 minutos.

Na segunda etapa a seleção argentina foi menos intensa, mas ainda assim dominou as ações, criando oportunidades para vencer o jogo  no tempo normal. Apenas nos últimos minutos a Colômbia levou algum tipo de ameaça para a sempre inconfiável defesa argentina, mas nada muito contundente que abalasse a supremacia da equipe do técnico Gerardo Martino que, ao final da partida, teve 62% de posse de bola e chutou 14 vezes ao gol adversário contra apenas 2 da Colômbia.

Lionel Messi foi cirúrgico na cobrança das penalidades (foto - Luis Acosta - AFP)

Lionel Messi foi frio e cirúrgico na cobrança das penalidades (foto – Luis Acosta – AFP)

Mesmo sem ter marcado gol Lionel Messi realizou uma fantástica exibição – notadamente na primeira etapa – ao nível das que costuma tão rotineiramente produzir com a camisa do Barcelona. Ele driblou, se movimentou intensamente, fez assistências preciosas, chutou com perigo ao gol colombiano e até perdeu um gol inacreditável ao cabecear livre da pequena área para uma defesa impressionante de Ospina.

O goleiro Ospina foi uma muralha nos 90 minutos (foto - AFP)

O goleiro colombiano David Ospina foi uma muralha nos 90 minutos (foto – AFP)

A cobrança de penalidades foi um show de horrores por parte dos jogadores colombianos com chutes bisonhos, totalmente fora do alvo, enquanto apenas Biglia falhou pelo lado argentino.

A favoritíssima ao título Argentina – ao lado Chile anfitrião – mereceu a vaga na semifinal. E jogou com a vontade de quem sabe que tem a obrigação de chegar ao título e não está disposto a fracassar de novo. Afinal, tem um dos maiores jogadores da história do futebol, vários craques respeitados internacionalmente e conta com praticamente o mesmo elenco com que chegou à final da Copa do Mundo do ano passado.

A hora da Argentina de Messi, Di Maria, Mascherano, Tevez e Agüero superar os 22 anos sem conquista da Copa América é agora.



MaisRecentes

Mourinho foi mais Mourinho do que nunca em Estocolmo



Continue Lendo

Final da Europa League: Ajax e Manchester United duelam como bom humor no Twitter



Continue Lendo

Os 4 meninos prodígios do futebol mundial



Continue Lendo