Sergi Roberto, o curinga de luxo de Luís Enrique



O Barcelona que encanta o mundo tem Piqué, Mascherano, Busquets, Iniesta, Raktik e o transcendental MSN como estrelas mais reluzentes. Mas para o técnico Luís Enrique sua equipe conta também com um jogador fundamental, um autêntico atleta multifuncional, que já atuou como lateral direito, volante, meia direita, meia-esquerda e meia atacante.

Seu nome é Sergi Roberto Carnicer. Ele tem 24 anos e, desde os 14, joga no clube catalão, podendo ser encarado como um legítimo produto de La Masia, o CT das divisões de base do Barcelona.

Luís Enrique conhece Sergi Roberto como poucos, desde que o dirigiu no Barcelona B. A estreia do versátil jogador na equipe principal aconteceu em novembro de 2010 na goleada por 5 a 1 sobre o Ceuta, em pleno Camp Nou, pela Copa do Rei. Naquela temporada, sob a direção do argentino Tata Martino, ele jogou 27 partidas: 17 pela La Liga, 6 pela Copa do Rei e 4 pela Champions League.

Na primeira temporada do clube sob a direção de Luís Enrique, quando o clube alcançou a tríplice coroa, Sergi Roberto, curiosamente, teve menos chances, atuando em 18 jogos: 12 na La Liga, 4 na Copa do Rei e 2 na Champions League. Duas explicações parecem razoáveis para isto: o veterano maestro Xavi Hernández ainda não tinha partido para o mundo árabe e a equipe como um todo não teve tantos jogadores contundidos, o que, por certo, diminuiu o espaço para os jogadores mais jovens que despontavam no fabuloso elenco barcelonista.

Sergio Roberto usa a camisa 20 do Barça (foto - fcbarcelona.com)

Sergio Roberto usa a camisa 20 do Barça (foto – fcbarcelona.com)

Mas, desde que a atual temporada teve início, Luís Enrique não apenas provou o quanto confia em Sergi Roberto como permitiu que ele confirmasse sua versatilidade em toda a sua plenitude. Já nas partidas amistosas da pré-temporada realizada nos Estados Unidos, o técnico não vacilou em escalá-lo como lateral direito e admitia profeticamente: “ele tem um potencial impressionante, visão de jogo e perfil para jogar em várias posições. É uma alternativa que nós utilizaremos ao longo da temporada”. Segundo uma matéria do jornalista Jorge Quixano do diário El País, numa conversa a sós com o atleta o técnico teria dito: “eu acredito em você. E você terá ainda mais chances com a saída de Xavi”. Luís Enrique previu o que viria a acontecer.

A confiança do técnico em Sergi Roberto é tamanha que durante uma entrevista em que foi questionado sobre a disputa pela titularidade da lateral direita entre Dani Alves e Aleix Vidal – contratado junto ao Sevilla – Luís Enrique surpreendeu: “eu também não descarto a hipótese de usar Sergi Roberto nesta posição. Ele joga maravilhosamente por ali”.

Sergi Roberto tem sido o escolhido para o lugar do insubstituível Sergio Busquets nas raras vezes em que Luís Enrique resolve dar descanso ao extraordinário volante o que, por si só, comprova sua qualidade para a posição.

O curinga de Luís Enrique (foto - fcbarcelona)

O curinga de Luís Enrique é fruto de La Masia (foto – fcbarcelona.com)

A aptidão de Sergi Roberto para desempenhar diferentes funções na equipe que pratica o futebol mais espetacular do futebol contemporâneo o transformou no curinga indispensável de Luís Enrique na busca pela conquista de uma nova tríplice coroa que sintetiza assim o perfil de um curinga: “este tipo de jogador tem que ter inteligência e capacidade para saber diferenciar que cada posição requer coisas distintas. Não é a mesma coisa jogar de volante ou de lateral, sobretudo na hora de hora de avaliar o risco do que fazer com a posse da bola. O jogador precisa ter físico, técnica, além de outras qualidades e condições que acabam influenciando para se sair bem em cada função. São muito poucos os que podem fazer isto”.

Sai Dani Alves, entra Sergi Roberto. Sai Busquets, entra Sergi Roberto. Sai Raktik, entra Sergi Roberto. Sai Iniesta, entra Sergi Roberto. Conclusões: Sergi Roberto é sinônimo de multifuncionalidade no futebol e um atleta em quem Luís Enrique confia. Não é pouca coisa para quem é jogador do FC Barcelona.

 

 



MaisRecentes

Ranieri, uma história sempre surpreendente no Leicester



Continue Lendo

Há 50 anos, o “Bola de Ouro” húngaro Albert vestia a camisa 9 do Flamengo



Continue Lendo

FIFA revoltada com ausência de Messi na festa do “The Best”



Continue Lendo