Seleção holandesa pode ter técnico estrangeiro depois de quase 40 anos



Atualizado às 23:14h de 07/11/2017

 

O novo CEO da KNVB (federação holandesa de futebol), Eric Gudde, de 63 anos, tomou posse nesta terça-feira com a firme disposição de inaugurar uma nova era na seleção de seu país. Gudde foi diretor técnico do Feyenoord por dez anos.

Durante a cerimônia em que se despediu do clube e foi homenageado com o título de cidadão de Rotterdã, Gudde se mostrou disposto a uma total transformação na direção da seleção: “um técnico estrangeiro é uma possibilidade perfeitamente admissível para mim. Eu não limitarei minha busca por um novo nome. A qualidade do profissional é o que importa. Mas também há técnicos holandeses capazes de assumir a função”.

O novo técnico deverá ser decidido em março de 2018, segundo Gudde. O novo CEO admitiu que vai estudar experiências recentes de outros países: “devemos observar como as seleções de países como Islândia, Bélgica e Sérvia tem sido administradas e a estabilidade que alcançaram recentemente. Mesmo sem tantas opções eles conseguiram definir um claro estilo de jogo e o praticam com muita paixão. São coisas que pretendemos conseguir”.

As mudanças na comissão técnica começaram a partir da saída planejada há muito tempo do gerente de futebol profissional Hans Jorritsma e a chegada de Fernando Arrabal. Jorritsma exercia esta função desde 1996. Gudde agora começará a avaliação do novo diretor de futebol e do novo treinador.

O último técnico não holandês a dirigir o time laranja foi o austríaco Hernst Happel entre 1977 e 1978.

O fato de admitir a escolha de um estrangeiro para dirigir sua seleção principal é apenas mais um indicativo da crise em que seu futebol se encontra.

E cabe uma indagação: como reagiria Johan Cruyff diante desta possibilidade?

Eric Gudde, à direita, tem 63 anos. (foto: knvb.nl)

 

Gudde chega num momento de turbulência administrativa na KNVB, O mais importante cargo executivo na federação estava sem um responsável permanente desde agosto do ano passado em função da saída de Bert Van Oovsteen. Gudde chega à seleção credenciado pelo trabalho de recuperação financeira e esportiva que liderou no Feyenoord.

Os fracassos recentes da seleção holandesa são impressionantes e traumatizantes. Ela não se classificou para a Euro 2016 disputada na França, nem para a Copa do Mundo do ano que vem na Rússia.

A decepção do país com sua seleção é completa. Afinal, os insucessos internacionais recentes foram precedidos da participação contra a Espanha na final Copa do Mundo na África do Sul em 2010 e do terceiro lugar na Copa do Mundo Brasil em 2014.

A renovação da própria composição da seleção tem sido desastrosa. Nomes consagrados como de Mark Van Brommel, Nigel De Jong, Wesley Sneijder, Robin Van Persie e Arjen Robben não vem dando lugar a jogadores que mantenham a competitividade no mesmo nível. A instabilidade na direção da equipe nacional tem tido efeitos devastadores.

Robben está fora da Copa da Rússia (foto – Facebook)

O quadro de curto prazo é aflitivo inclusive diante do anúncio de Robben de que não mais jogará pela seleção.

Desde a saída do técnico Louis Van Gaal – que nesta sua última passagem como técnico não perdeu nenhuma partida oficial¹ – após o Mundial realizado no Brasil, o cargo já foi ocupado por Guus Hiddink, Danny Blind e Dick Advocaat. Com isto não há continuidade na montagem de uma nova equipe nem na afirmação de novos talentos.

A seleção holandesa, ainda sob o comando de Advocaat, realizará amistosos contra a Escócia, na próxima sexta-feira e contra a Romênia na próxima terça-feira.

Os técnicos holandeses que dirigiram a seleção após Hernst Happel em 1978 foram:

  • Jan Zwartkruis – 1978-1981
  • Kees Rijvers – 1981-1984
  • Rinus Michels – 1984-1985
  • Leo Beenhakker – 1985-1986
  • Rinus Michels – 1986-1988
  • Thijs Libregts – 1988-1990
  • Leo Beenhakker – 1990
  • Rinus Michels – 1990-1992
  • Dick Advocaat – 1992-1995
  • Guus Hiddink – 1995-1998
  • Frank Rijkaard – 1998-2000
  • Louis Van Gaal – 2000-2002
  • Dick Advocaat – 2002-2004
  • Marco Van Basten – 2004-2008
  • Bert Van Marwijk – 2008-2012
  • Louis Van Gaal – 2012-2014
  • Guus Hiddink – 2014-2015
  • Danny Blind – 2015-2017
  • Dick Advocaat – 2017 até agora

 

 

 

¹A Holanda empatou com a bola rolando na semifinal contra a Argentina e perdeu a vaga para a final na disputa por pênaltis.

* O título do post foi corrigido para “Seleção holandesa pode ter técnico estrangeiro depois de quase 40 anos”.

 

 



MaisRecentes

O Fórum Mundial de ligas nacionais de futebol é contra a expansão da Copa do Mundo



Continue Lendo

Argentinos tem vantagem sobre brasileiros em finais da Libertadores



Continue Lendo

La Liga conta com Amazon e Facebook para negociar TV por € 2.3 bilhões



Continue Lendo