Rummenigge, presidente do Bayern: “não podemos e não compraremos um jogador por € 222 milhões”



O presidente do comitê executivo do Bayern de Munique, Karl-Heinz Rummenigge, 61 anos, se mostrou altamente crítico aos valores que as recentes negociações de jogadores vem alcançando neste final de janela do mercado europeu em entrevista à revista alemã Sport Bild. O ex-craque alemão foi taxativo: “neste momento somos bem claros. Temos uma filosofia diferente e própria. Não podemos e não compraremos um jogador de € 222 milhões”, numa crítica contundente ao valor recorde pago pelo PSG ao Barcelona para contratar Neymar.

O dirigente não precisou se referir às regras do Fair Play Financeiro da UEFA. Ele fez questão de reafirmar a política espontânea, explícita e responsável do Bayern. O clube alemão é gerido por uma empresa em que detém 75% das ações. O restante está dividido entre a Adidas, Audi e Allianz com 8.33% cada uma.

O comentário de Rummenigge ganha significado se lembrarmos que segundo o relatório “Football Mondey League 2017”, produzido pela empresa inglesa de consultoria Deloitte, o Bayern de Munique ocupa a 4ª posição como clube de maior faturamento na Europa com € 494 milhões na temporada 2015/16 e o PSG a 6ª com receitas de € 520 milhões. Estes números sugerem que a composição orçamentária e as formas de financiamento do clube parisiense tem algo de diferente e heterodoxo que sustentem uma ação no mercado tão agressiva e cara apesar de apresentar movimentação financeira inferior.

Rummenigge, por outro lado, situa o Real Madrid na atualidade como “a estrela mais luminosa no firmamento”. Ele não se refere apenas à questão esportiva, mas também ao trabalho de imagem e de marketing do clube espanhol na gestão do presidente Florentino Perez. Ele entende que existe um consenso no mundo do futebol nos dias de hoje: “o Real Madrid está acima de todos. A seguir aparecem o Barcelona, o Manchester United e o próprio Bayern”. Segundo ele, o fato de seu clube ainda figurar entre os primeiros quatro lugares no ranking da UEFA “é um prêmio para o Bayern”.

Rummenigge é presidente da ECA (foto - site oficial da ECA)

Rummenigge é presidente da ECA (foto – site oficial da ECA)

Os valores gastos nas últimas negociações acabam definindo o resultado das competições na realidade atual, segundo Rummenigge: “na Europa existem 10 clubes perseguindo o mesmo objetivo. Seria lindo que conseguíssemos encurtar os ciclos entre nossos títulos na Champions League: de 1976 e 2001 e entre 2001 e 2013. Mas não será fácil neste mundo irracional”. Ele não vê chance de se reproduzir uma final entre Bayern e Borussia Dortmund como a da temporada 2012/13, disputada no estádio de Wembley em Londres: “sou cético”.

Um jogador do Bayern e da seleção alemã está chamando a atenção de Rummenigge: o polivalente Joshua Kimmich. Para ele o jovem de 22 anos vem mostrando um amadurecimento impressionante: “acredito que ele já está mais avançado que Philip Lahm estava nesta idade”. Kimmich foi das divisões de base do Sttutgart. Em 2013 ele se transferiu para o RB Leipzig. Em 2015 o Bayern o adquiriu por € 7 milhões. Seu contrato tem 5 anos de duração. Pep Guardiola e Carlo Ancelotti se valeram de sua versatilidade. Ele já atuou como lateral direito, zagueiro, volante e meia desde que chegou ao clube bávaro.

Rummenigge também é o presidente da ECA – Associação Europeia de Clubes – até o dia 5 de setembro quando seu sucessor será eleito. Ele está no cargo desde a fundação da entidade em janeiro de 2008.

 



  • Hemerson Silva

    Os valores não estão invertidos?

MaisRecentes

Relatório aponta que todos os 12 principais clubes campeões nacionais de futebol na Europa são lucrativos



Continue Lendo

Os números de David Neres o colocam na trilha de Romário no futebol holandês.



Continue Lendo

Brasileiros na mira da Inter de Milão: Rafinha do Barça e Ramires do Jiangsu Suning.



Continue Lendo