Roma contrata Monchi, o “Rei Midas” do futebol europeu



Atualizado às 19:40h de 24/04/2017.

 

Em junho do ano passado este blog publicou longo post sobre um dirigente que se já se fazia famoso no futebol europeu pelos incríveis resultados de seu trabalho como diretor do Sevilla FC. Ramón Rodriguez Verdejo, o Monchi, depois de rescindir seu contrato com o clube espanhol finalmente acertou, nesta segunda-feira, que trabalhará pelos próximos quatro anos como diretor esportivo da Roma. Seu contrato com o clube vai até junho de 2020.

Monchi foi goleiro do próprio Sevilla até 2000 quando se aposentou. Com sua participação como diretor esportivo e responsável pelas contratações de atletas o Sevilla conquistou 9 títulos em 10 anos: 3 Europa Leagues, 2 Copas do Rei, uma Supercopa da Espanha e o título da segunda divisão espanhola.

O profissional de 48 anos foi alvo da investida de vários grandes clubes europeus recentemente (Manchester United e Everton dentre eles). Não por acaso há os que o chamem de “Rei Midas”¹ do futebol espanhol.

Monchi foi o responsável pela descoberta e aquisição de jogadores que se projetaram no Sevilla e, posteriormente, geraram negócios milionários ao clube: Dani Alves (adquirido por 500 mil e negociado por 35,5 milhões), Ivan Ratik (comprado por € 2.5 milhões e vendido por € 18 milhões), Adriano (adquirido por € 2,1 milhões e vendido por € 9,5 milhões), Negredo (comprado por € 15 milhões e negociado por € 25 milhões) e as recentes transferências do polonês Grzegorz Krychowiak ao PSG e do francês Kevin Gameiro ao Atlético de Madrid que garantiram € 52 milhões depois de 2 temporadas do primeiro e 2 do segundo no clube andaluz.

Monchi, 47 anos, tem contrato com o clube até 2010 (foto - uefa.com)

Monchi chegou nesta segunda à Itália  (foto – uefa.com)

Monchi também soube se valer do excelente trabalho das divisões de base do clube espanhol. Das 10 maiores vendas realizadas neste período, 3 envolveram atletas formados ali: Sergio Ramos, Jesús Navas e José Antonio Reyes renderam € 67 milhões aos cofres do Sevilla. Alberto Moreno representou outros € 18 milhões e € Luis Alberto mais 8 milhões.

A contratação do técnico argentino Jorge Sampaoli foi mais uma das últimas ações de peso de Monchi no clube. Em sua primeira temporada na La Liga, Sampaoli vai conseguindo o objetivo de incluir o clube da Andaluzia na zona de classificação para a Champions League.

A própria aquisição do meia brasileiro Paulo Henrique Ganso se ainda não produziu os melhores frutos neste primeiros meses, por outro lado, indica os conceitos técnicos com os quais o dirigente atua.

ESPECIALISTA NO MERCADO FRANCÊS

Monchi foi um dos primeiros dirigentes a investir no mercado francês. Lá ele garimpou jogadores interessantes, como Kevin Gameiro. Desde 2005 ele já contratou 19 atletas de clubes da Ligue 1. Só na temporada 2015/16 foram 4: o franceses Adil Rami e Gaël Kakuta, o brasileiro Mariano e o franco/congolês Steven N’Zonzi.

É provável, portanto, que a Roma a partir de agora atue mais ativamente na aquisição de jogadores da Ligue 1. Segundo Monchi, o jogador francês é tática e fisicamente dos mais completos do mercado. Ele se adapta perfeitamente aquilo que almeja e, no geral, podem ser adquiridos a preços razoáveis e acabam acertando contratos dentro dos padrões que persegue. A produção em campo dos franceses não costuma decepcionar.

Monchi define seu trabalho como a combinação de detalhada observação com muita intuição da parte dos observadores que ele reúne e nos quais confia. No Sevilla ele contava com 16 colaboradores que se espalhavam pela Europa. Ele revela que depois de se interessar por um jogador ele envia vários deles para fazer a observação in loco em pelo menos 10 partidas. Cada jogador observado inspira um relatório minucioso que pode enquadrá-lo no nível A para uma chance de ouro e de investimento imediato ou B para um jogador que deve seguir monitorado.

Monchi é especialmente preocupado com o lado humano e de personalidade de um jogador que admite contratar. Segundo ele, “obtenho a informação pessoalmente. Por exemplo, fui a casa de Kevin Gameiro mais de um ano antes de ele assinar com o Sevilla em 2013. Na temporada passada, fui umas vinte vezes à França. Tenho que ter certeza da vontade do jogador, que a escolha não é padronizada. Se não consigo me reunir com ele eu sempre converso por telefone. O contato humano é a única maneira de reduzir o risco de erro”.

Monchi tem papel estratégico nos planos de Pallotta (foto - acroma.com)

Monchi tem papel estratégico nos planos do presidente Pallotta (foto – acroma.com)

O presidente da Roma James Pallotta não esconde a satisfação pela chegada de Monchi e orgulho pelo nível do novo contratado:

– Não poderia estar mais feliz pela chegada de um profissional que é reconhecidamente um dos maiores conhecedores de futebol no mundo.

O diretor esportivo romanista Frederic Massara comentou o significado estratégico do trabalho a ser desenvolvido por Monchi:

-Como trabalharemos no mercado com Monchi? A Roma buscará sempre melhorar. Ele é um dirigente que fez coisas extraordinárias no Sevilla. Mais uma passo para nos aproximarmos da Juventus. Diminuímos a distância nos últimos 3 anos, esta aproximação no futuro significará que poderemos vencer e conquistar títulos. Desejamos investir o necessário para fazer da Roma um clube importante a nível europeu.

A Roma ocupa a segunda colocação na Série A com 75 pontos, quatro a mais que o Nápoli, terceiro colocado. Nesta posição ela assegura a classificação automática para a Champions League da temporada 2017/18.

 

1 Rei Midas é um personagem da mitologia grega, inspirado num rei de uma região da Turquia que tinha o dom de transformar em ouro tudo o que tocava e que passou a ter um caráter simbólico e metafórico na sociedade contemporânea.

 

 

 

 



MaisRecentes

Mourinho foi mais Mourinho do que nunca em Estocolmo



Continue Lendo

Final da Europa League: Ajax e Manchester United duelam como bom humor no Twitter



Continue Lendo

Os 4 meninos prodígios do futebol mundial



Continue Lendo