Recorde da Premier League: clubes gastaram mais de € 1.3 bi em contratações



Os clubes integrantes da Premier League inglesa acabam de superar seu próprio recorde em valores aplicados na contratações de jogadores na janela que se iniciou em julho e se encerrou na terça-feira. Segundo um levantamento da empresa inglesa de consultoria Deloitte eles aplicaram €1.1 bilhão nos últimos dias. Se acrescermos a estes números os €176 milhões já gastos no mercado realizado em janeiro chegaremos ao inédito investimento de €1.4 bi no ano de 2015.

Para Alex Thorpe, gerente da Deloitte “considerando o mercado europeu como um todo, os clubes da Premier League realizaram investimento bruto em contratações que foi o dobro de qualquer outra liga no continente. E o que permitiu isto foi o crescimento e a forma de distribuição das receitas dos direitos de contrato de TV”. Ele lembra que entre 2016 e 2019 estes valores chegarão a inéditos €10.8 bi o que deve desequilibrar ainda mais a capacidade de investimento a favor dos clubes ingleses em comparação com seus concorrentes de outras ligas nacionais.Premier League

A novidade em termos da saúde financeira do futebol inglês, segundo Thorpe, é que “apesar do nível recorde de gastos com as transferências de jogadores estes ano, coletivamente, os clubes da Premier League permaneceram lucrativos num nível que jamais aconteceu”. Segundo as projeções da Deloitte neste mesmo período em 2016 os investimentos deverão atingir €1.3 bilhão.

A força financeira atual da Premier League também pode ser medida pelo fato de que ela, isoladamente, neste período, realizou investimentos equivalentes a soma do que gastaram os clubes da La Liga espanhola (€545 milhões) e da Serie A italiana (€552 milhões) somados, a quase o triplo do investido pelos clubes da Bundesliga alemã (395 milhões) e perto do 3 vezes e meia o investido pelos participantes da Ligue 1 francesa (€300 milhões).

O belga De Bruyne foi o maior investimento do City no mercado ( foto -site oficial do MCFC)

O belga De Bruyne foi o maior investimento do City no mercado ( foto -site oficial do MCFC)

Um diferencial nos investimentos realizados pela Premier League é que eles se originaram de uma divisão das receitas dos direitos de TV mais equitativa do que a adotada noutros países, atendendo a uma política de mais paridade. Cada um dos seus 20 integrantes recebem um valor básico de € 177 milhões correspondentes a 50% do valor global do contrato. Do valor remanescente, 50% são divididos pelas equipes de acordo com suas colocações na tabela de classificação e outros 50% são pagos considerando as audiências obtidas pelas transmissões das partidas.

O levantamento da Deloitte revela também que os gastos em contratações pelos clubes ingleses seguiram a seguinte divisão em termos de posição: 3% foram gastos em goleiros, 25% em defensores, 46% em meio campistas e 26% em atacantes.

O Manchester City, com investimento €209 milhões, foi o clube inglês que mais gastou na aquisição de jogadores neste período, segundo o estudo, seguido do Manchester United com €156 milhões, do Liverpool com €120 milhões e do Chelsea com €98 milhões.

Não por acaso as duas contratações mais caras realizadas por clubes ingleses foram de autoria do Manchester City: do meia belga Kevin de Bruyne junto ao alemão Wolfsburg por €75 milhões e do atacante inglês Raheem Sterling junto ao Liverpool por €62.5 milhões. Já o Manchester United arriscou €50 milhões na contratação, junto ao Monaco, do jovem atacante francês Anthony Martial, no maior valor jamais pago para um jogador nesta idade.

O brasileiro Roberto Firmino foi o sétimo jogador mais caro no mercado europeu e o sexto no mercado inglês em função dos €41 milhões pagos pelo Liverpool junto ao Hoffeinheim da Bundesliga.

Firmino assinalou 47 gols em 151 partidas pelo Hoffenheim (foto - site oficial do LFV)

Firmino assinalou 47 gols em 151 partidas pelo Hoffenheim (foto – site oficial do LFV)

O relatório da Deloitte concluiu também que, desde que o sistema de janela para transferência foi adotado pela FIFA, 80% do valor gasto nas contratações de jogadores aconteceram na janela do verão europeu, isto é, de julho ao final de agosto.

Por outro lado, na contramão do que realizaram seus concorrentes diretos da Premier League, em entrevista ao diário The Guardian, o técnico do Arsenal, Arsène Wenger, reagiu com frieza às críticas de parte dos torcedores e da mídia, inclusive do famoso jornalista Piers Morgan, relativas ao baixo investimento realizado pelo clube londrino neste período: “Se estou satisfeito com o investimento que eu fiz? Sim, sempre. Eu contratei Sánchez, contratei Özil, contratei Petr Cech, contratei Gabriel no ano passado… O problema é que quando você tem que investir, você tem que encontrar os jogadores para contratar… O problema no momento é encontrar os jogadores que garantam que você terá um time melhor com a chegada deles”. A revolta tem a ver com a alegação de que o Arsenal possui uma reserva financeira estimada em €272 milhões e que não foi utilizada por Wenger para aproximar o nível do plantel do clube aos de outros concorrentes ao título.

Por fim, vale registrar que, como destaca o diário espanhol El Pais, os clubes espanhóis seguem sendo os responsáveis pelas 4 contratações mais caras da história do futebol europeu: Cristiano Ronaldo do Manchester United para o Real Madrid por €96 milhões, Gareth Bale do Totthenham para o Real Madrid por  €91 milhões, Neymar do Santos para o Barcelona por €90milhões e  Luis Suárez do Liverpool para o Barcelona por €81 milhões.

 Atualizado às 08:13h de 25/09/2015



  • Marcio #Lakers

    Neymar contratado por 90 milhões de euros e no santos dizem, que foi por 19 milhões de euros!!! E uma piada um negocio desses, tem gente podre de rico nesse negocio e o clube zerado…

  • Luiz Veloso

    As cifras são publicadas pelo El País, um dos jornais mais respeitados do mundo.

MaisRecentes

Juve e Leicester faturaram mais do que o campeão Real Madrid na Champions 2016/17 devido ao “market pool”.



Continue Lendo

Raios X dos 100 gols de Messi pelo Barça em competições europeias



Continue Lendo

Barça exibe bandeira pelo diálogo na Catalunha mas impede a distribuição de cartazes no Camp Nou



Continue Lendo