Rebelião de jogadores agrava crise na seleção venezuelana



A Seleção Venezuelana, última colocada na tabela de classificação das eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo Rússia 2018, vive uma profunda crise a partir do momento em que 15 jogadores anunciaram, nesta segunda-feira, através das suas redes sociais, que não aceitarão mais a convocação enquanto a atual direção da Federação Venezuelana de Futebol (FVF) for a atual.

Na verdade, na semana passada, o zagueiro Fernando Amorebieta, isoladamente, já havia se manifestado neste sentido através de uma carta pública. A federação lamentou a decisão do jogador, e deixou “as portas abertas no caso de que Fernando reconsidere sua decisão e deseje regressar”.

Noel Sanvicente dirigi a Venezuela desde julho de 2014 (foto - site oficial da FVF)

Noel Sanvicente dirige a Venezuela desde julho de 2014 (foto – site oficial da FVF)

A revolta dos jogadores foi provocada por declarações do presidente da FVF, Laureano González, ao jornal venezuelano “Diário Líder”, em que ele acusou os jogadores de terem conspirado para a exoneração do técnico Noel Sanvicente. González teria dito que “se configurou um movimento para derrubar o técnico, que é o nosso treinador mais vencedor do futebol nacional”

No documento em que tornaram público o movimento os jogadores garantem “que estas declarações são totalmente falsas e agridem a nossa honra e nossa reputação”. Os atletas esclarecem que “não concordamos que atual junta diretiva da FVF continue dirigindo já que não é negociável a maneira como ela tem nos tratado e como ela tem encarado o projeto de ir ao Mundial até agora. Pensamos que a equipe necessita desta importante mudança no comando para que não se perca o trabalho realizado nos últimos 8 anos. Nesta altura das eliminatórias para a Copa do Mundo Rússia 2018 esta mudança é vital”.

Federação Venzuela

Os jogadores esclarecem que “o dinheiro recebido neste ciclo e que ainda nos é devido será destinado a uma fundação que estamos criando com a finalidade de ajudar a nossa juventude e desenvolver escolas esportivas em nosso país”.

O manifesto está assinado por  Tomás Rincón, Oswaldo Vizcarrondo, Salomón Rondón, Roberto Rosales, César González, Luis Manuel Seijas, Franklin Lucena, Grenddy Perozo, Josef Martínez, Juan Falcón, Nicolás Fedor, Gabriel Cichero, Ronald Vargas, Alejandro Guerra e Christian Santos.

O técnico Noel Sanvicente, 49 anos, assumiu a seleção em julho de 2014. O cargo estava vago desde dezembro de 2013 quando o técnico César Farias encerrou um trabalho iniciado em 2007. Sanvicente é treinador desde 2002 e já conquistou 7 títulos nacionais à frente dos clubes Zamora e Caracas.

A Venezuela está na lanterna da tabela de classificação das eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo Rússia 2018 com 4 derrotas em 4 partidas e saldo de gols de -7. Ela enfrentará, fora de casa, o Peru na 5ª rodada prevista para março de 2016.

A Venezuela nunca se classificou para uma Copa do Mundo.

Atualizado às 15:31h de 01/12/2015



MaisRecentes

Juve e Leicester faturaram mais do que o campeão Real Madrid na Champions 2016/17 devido ao “market pool”.



Continue Lendo

Raios X dos 100 gols de Messi pelo Barça em competições europeias



Continue Lendo

Barça exibe bandeira pelo diálogo na Catalunha mas impede a distribuição de cartazes no Camp Nou



Continue Lendo