Real x Atlético: uma final entre diferentes na Champions



A segunda final espanhola da Champions League em 3 temporadas reunirá, de novo, desta vez no estádio San Siro, em Milão, Real Madrid Club de Fútbol e o Club Atlético de Madrid. Do ponto de vista histórico há uma tremenda desproporção entre as conquistas dos 2 clubes neste torneio. Enquanto o Real Madrid chega a sua 14ª final em busca de sua décima primeira “Copa dos Campeões” – a popular “Undécima”, para seus torcedores -, o Atlético chega a sua terceira final, sem jamais ter conseguido levantar o troféu. Se o fizer ele se transformará no 23º clube europeu a tê-lo erguido.

Trata-se também da consagração do futebol espanhol que conquistou todos os títulos europeus de clubes nas últimas 3 temporadas. O Bayern de Munique foi o clube não espanhol que levantou pela última vez uma taça continental, com a conquista em agosto de 2013, da Supercopa da Europa, na cidade de Praga, derrotando o Chelsea de José Mourinho. Naquela oportunidade o clube alemão já não era dirigido por Jupp Heynkes, mas pelo espanhol Pep Guardiola.

Ilustração: uefa.com

Ilustração: uefa.com

 A vitória no sábado não se encerrará em si mesma. Ela assegurará ao vencedor a participação na disputa da Supercopa da Europa, em agosto, na cidade de Trondheim, na Noruega, e no Mundial de Clubes da FIFA, em dezembro, no Japão.

O Real Madrid é o clube com a maior receita na Europa enquanto o Atlético de Madrid é o 15º, segundo o relatório “Football Money League 2016” produzido pela empresa de consultoria inglesa Deloitte. O faturamento do Real em 2015 foi de €577 milhões e o do Atlético de Madrid de €187.1 milhões. Apesar disto, para a atual temporada o investimento em reforços do Atlético foi superior ao do Real Madrid em €48 milhões. Isto foi possível por conta da elevação das receitas do clube em direitos de TV em função dos bons resultados esportivos e pelo aporte de recursos proporcionado pelo grupo chinês Wanda que adquiriu 20% do controle acionário do clube.

Ilustração: uefa.com

Ilustração: uefa.com

 

Em termos esportivos, a final de Milão é um confronto de equipes radicalmente diferentes. O Real Madrid vem de uma temporada tumultuada, inconstante, apesar de seu elenco repleto de astros como Sergio Ramos, Marcelo, Modric, Kroos e o badalado trio ofensivo BBC. Mas, foi apenas quando Zinedine Zidane passou a escalar o volante brasileiro Casemiro que a equipe se equilibrou e, além de avançar na Champions League, se recuperou na La Liga, chegando a apenas 1 ponto de diferença do campeão Barcelona. Se não tem uma defesa tão forte quanto a do Atlético, o Real tem o artilheiro do torneio, Cristiano Ronaldo, com 16 gols e o retrospecto de 9 vitórias contra apenas 6 do adversário na competição.Real Madrid

Já o Atlético de Madrid de Diego Simeone se orgulha de ser a equipe mais competitiva e estruturada do torneio. Tem Oblak o melhor goleiro da temporada, uma defesa quase inexpugnável e um contra ataque eficiente e letal. Mas, também é inegável, o caráter exageradamente pragmático e conservador da maneira como joga futebol. Com o nível de jogadores de meio campo que possui (Fernandez, Koke, Gabi e Saúl Ñinez) e uma dupla de ataque formada por Griezmann (eleito o melhor jogador francês da temporada) e Torres este Atlético de Madrid poderia perfeitamente sofrer menos e praticar um jogo diferente e mais cativante.

Cenário inesquecível de um Calderón efervecente (foto - uefa.com)

O Atlético e sua torcida incomparável  (foto – uefa.com)

Real e Atlético farão uma final madrilenha, em Milão, a outrora capital europeia de futebol. Milanistas e interistas, por certo, devem estar melancólicos por hospedar a final de uma competição que já venceram 10 vezes.

 

 

 

 

 

 

 



MaisRecentes

Jornais esportivos espanhóis de luto pelos atentados terroristas na Catalunha



Continue Lendo

Barcelona se revolta com matéria que vincula contratação de Paulinho aos interesses da empresa do presidente Bartomeu.



Continue Lendo

Campeonato Italiano com 20 clubes tem sido previsível e elitista ao longo da história



Continue Lendo